domingo, 7 de maio de 2017

O dia em que nós voltamos pra casa...


             Esta é uma daquelas postagens que eu pensei em fazer e desisti na mesma hora, por dezenas de vezes, mas acabei pensando que ela seria maior que eu... e por isto, inevitável. Não é surpresa para ninguém que eu fotografo eventos de bicicleta, de naturezas diferentes, do entretenimento, movimento social, competição e superação pessoal. Estou nesta estrada como profissional por alguns anos... e dela me orgulho. E nunca achei que seriam rosas, contudo, volta e meia tomo um "tijolaço" no peito. Nunca estive tão frustrado quanto a esta face do meu fotojornalismo... até aí isto é problema meu, ninguém nem deveria saber que ando chateado com isto, mas dá pra entender um motivo. Eu vivo de alegria, pois bicicleta representa isto... e de tempos em tempos, me invade o sentimento da perda de ciclistas. É ghost bike, vidas perdidas... quase sempre por quebra de protocolos. Me parece tão simples... não beba ao volante, não desempenhe alta velocidade perto de pedestres ou ciclistas, não se exceda! Será que é papo de maluco? Parece... pois isto não entra na cabeça das pessoas. 
Nós perdemos nesta noite... um ciclista da longa distância. Fazia ele e outros grandes aventureiros da longa jornada, o trajeto de um brevet de 300 km, da Sociedade Audax de Ciclismo. Um maluco motorista, ao que parece, muito louco e talvez alterado por alguma substância, atingiu o ciclista, fatalmente, faleceu no local. Segundo relatos... tal motorista teria realizado a proeza de investir contra os ciclistas na estrada. Não sei ao certo o que aconteceu pq não estava lá, mas foi o que entendi. Com o acidente, ao conhecimento da organização, a prova em andamento foi imediatamente cancelada. Toda estrutura e pessoal, bem como os ciclistas, se retiraram da localidade. Fiquei sabendo apenas pela manhã, mas o acidente ocorreu na madrugada. Ali se adiaram sonhos de superação... e encerraram o sonho de uma família. Sobre o motorista... bem, ele fugiu! Não teve responsabilidade para conduzir o automóvel, menos ainda para assumir o que fez. Se vão identificar, acredito que sim... mas fico pensando quanto adianta isto agora. Pessoas ali perderam alguém... e agora?
Eu fui até o PC onde se concentrava toda galera envolvida... trouxe de lá, comigo, um ciclista + 7 bicicletas. E no caminho... só pensava que alguém não voltaria pra casa. Foi o dia em que nós voltamos pra casa... menos um!