segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Farol na bike... prende aonde?




       Quanto mais inquieta é a mente, mais ela busca por alternativas! Isto é algo que se aprende desde cedo... e vamos dizer que nos leva ao exercício diário de soluções para problemas ou obstáculos corriqueiros. Quando reconstruí esta Giant Sedona, da década de 90, modelo 760 ATX series, não imaginei que a decisão por manter o sistema de freio cantilever pudesse se tornar um obstáculo. Coloquei um cantilever moderno e a eficiência me agradou muito, pq estes novos modelos são realmente tecnológicos e trazem consigo a bagagem de solução dos velhos modelos. Então quem quer manter trocadores integrados as maçanetas de freio, daqueles antigos, justamente para sistema cantilever, pode simplesmente comprar freios modernos e assim ter a compatibilidade. Contudo, foram justamente os freios cantilever que me trouxeram alguma queima de cabeça para resolver onde colocar o farol. O cabo em "Y" (aquele Y de ponta cabeça), justamente se fixava junto furo de fixação do farol. O parafuso apenas, poderia ser colocado ali, mas o farol se projeta para frente e pegaria no cabo. Isto me levou a pensar em outros motivos pelos quais o vbrake nasceu... veja a importância de pensar nos motivos da construção mecânica. Sem ter como prender o farol nesta bicicleta, pq no guidão uso a bolsa de guidão... me lembrei deste velho booster que se usava em bicicletas como alternativa de resistência aos esforços da frenagem. Aliás, eu questiono este motivo até hoje... contudo, agora torna-se um alternativa bem interessante. O booster pode ser usado como suporte de farol, e isto serve não apenas aos garfos rígidos, mas também aos garfos amortecidos que não possuem furação para paralamas em seu arco de união (chamam de brake arch). O booster se parece muito com brake arch de alguns modelos antigos de suspensão de bicicleta, mas ele tem uma construção mais leve e delicada, também plana, justamente para fixar nos pivôs de freio vbrake ou cantilever. Então, como demonstro nas imagens, utilizei o booster para fixar o farol do cubo dínamo. Ao que parece, na minha escolha, o farol se posicionou um pouco mais baixo que o local onde deveria ser colocado originalmente, mas também se projetou para frente, o que permite uma boa eficiência no direcionamento. Quando a posição levemente lateral, acredito que não teve nenhum ônus. Tenho a impressão que no local original não ficaria bem também pela bolsa de guidão... mas seria o caso de averiguar se isto realmente tornou-se solução para estes casos. De qualquer forma, tudo que encontro de solução para os ciclistas, compartilho, pois sei que muitos são os modelos de componentes e bicicletas que deixam a desejar sobre uma alternativa de instalação de utilidades. 


Complemento informativo - postagem anterior
       
          Estou testando dois modelos de cubo dínamo, ambos da shimano... e em bicicletas diferentes, com e sem disco de freio. Aos poucos vou fazendo considerações importantes sobre instalação e uso. Por este motivo, coloquei o link da postagem anterior contendo imagens e outras informações desta avaliação de longo prazo. Faço meus agradecimentos à Camptrail Bike Shop, empresa que forneceu estes componentes para teste.