domingo, 2 de outubro de 2016

Cubos geradores... Para um caminho iluminado!

Cubos tipo geradores (cubo dínamo), dianteiros, fabricados pela Shimano. Versões sem e com opção para disco. 
               Embora estejamos no ápice tecnológico da bicicleta e assim se entende quando observamos o acelerado investimento e produção de componentes e bicicletas, nota-se que levou muito tempo para que este tipo de recurso aparecesse aqui no Brasil. Muitos foram os ciclistas que conheci que pagaram centenas (ou milhares) de reais para ter geradores de energia em suas bicicletas, buscando o fim das pilhas e baterias para trafegar em suas bicicletas durante à noite. O valor dos cubos geradores no exterior não é alto, mas atravessadores traziam de fora do Brasil e colocavam margens exorbitantes justamente pela exclusividade. Uma prática que acontece até hoje, mas aos poucos vai mudando pelo cerco que o fisco dá nas operações de compra e venda pela internet de produtos vindos do exterior, e também nas alfândegas.
            Muitas vezes  abordei tecnologia, mas creio que este seja um dos assuntos que despertem muitos interessados. Precisando dos materiais para fotografar e estudar antes do teste, falei com o Tiago Lumertz, da Camptrail Bike Shop, em Novo Hamburgo. Tiago, a quem sou muito grato, sempre esteve aberto e me ajudou muitas vezes... por isto, procurei por ele para disponibilizar as peças e assim prosseguir neste trabalho de informação que certamente ajuda ciclistas nas escolhas. Sei da existência de outros fabricantes destes cubos tipo dínamo, porém me assusto ao saber os valores através de pesquisas rápidas de internet e bike shops físicas. Diante da situação de pouca variedade e elevado valor deste tipo de material, penso que a alternativa seja falar do que é mais facilmente encontrado e com valores atraentes. Muitos devem pensar que estes acessórios "custam mais de 1000 reais!", mas a verdade é que estão na casa dos 350-600 reais nos modelos mais simples, como estes que vc vê. Aliás, no Brasil, me parece que chegam as lojas pelo caminho oficial da Shimano, apenas estes dois modelos. É preciso ter certeza disto e como não consegui descobrir com exatidão, deixo esta advertência de que pode haver mais algum modelo. A importância, evidentemente, fica para fins de garantia e algum tipo de reposição. No Brasil ainda é muito difícil ver esta preocupação sendo atendida como deveria, mas no exterior você encontra reparos e componentes para substituição. De outra forma, estas peças seriam totalmente seladas, pois não é desejável que entre umidade no interior do gerador. Construir uma peça hermética seria uma boa forma de evitar isto, mas a reparação seria impossível, então, justifica-se a necessidade de ser reparável e de haver peças no mercado. E nem estamos entrando na questão que sendo uma peça de valor agregado maior, cabe manutenção e reparo. 

Modelos da abordagem e características
          
           Os modelos de cubos geradores são  DH-3D32-QR e DH-3N31-QR, da Shimano. Ambos destacam suas propostas por acabamento... onde aquele que tem opção para freio a disco, recebeu um bonito acabamento no corpo de alumínio, ficando esta brilho do polido. O outro modelo, exclusivo para freios cujo o sistema é a compressão do aro por sapatas de frenagem, possui acabamento pintado cinza. Ambos, com a blocagem mais simples da shimano, neste caso, em aço, cromada. O peso dos cubos é elevado... me pergunto se o peso destes componentes adicionados dos faróis, pesaria mais ou menos que os cubos tradicionais adicionados de um sistema de farol a bateria com iluminação compatível. Todo teste crítico precisa de observações verdadeiras... e hoje vemos diversos canais realizando testes extremamente simples, aos quais deixam os ciclistas ainda com mais dúvidas, ao invés de saná-las. Por este motivo, estou fazendo observações importantes que certamente ajudarão os colegas na decisão de aquisição destas peças. Estou testando o modelo DH-3N31-QR por mais de 60 dias, bastante uso, inclusive durante o dia. Acho que uma vez que o consumo de pilhas inexista, não preciso me preocupar com desligar o farol no período iluminado pelo dia, até pq estou tentando avaliar se isto poderia ser um motivo que aumenta a segurança nas ruas de Porto Alegre. Creio que sim... mas o tempo vai confirmar. É preciso de experiências para garantir isto...


Se comenta a dificuldade na obtenção de raios para montagem em alguns tamanhos de rodas, justamente devido a alteração do diâmetro dos cubos. É preciso estar atento na hora de escolher raios e aros, justamente por esta limitação dimensional do recurso. Acontece o mesmo nos cubos com marchas internas. 

Modelo mais simples do mercado esta sendo encontrado com valor de até 350 reais, mas é preciso procurar muito!

Dispositivo de encaixe dos fios é excelente... permite o uso de qualquer marca ou rápidos reparos na fiação.

Faróis de LED são uma opção para alta luminosidade, em vantagem de que raramente queimam estes faróis.
          Ao rodar a roda com a mão não se percebe a resistência do cubo... no entanto, com a roda removida da bicicleta, vc sente uma resistência ao girar o eixo, sugerindo alguma perda de energia de tração, mesmo que mínima. Eu achei pouca informação sobre isto, mas o que fiquei sabendo que esta resistência é desprezível. Acredito que seja significativa em competições, mas em uso recreativo ou de mobilidade, me parece uma preocupação sem sentido. As escolhas são muito pessoais... eu, por exemplo, andava sem paciência para ficar carregando pilhas (recarregáveis ou baterias) para enfim manter a luz do caminho da bicicleta. O cubo gerador veio em bom momento... para cooperar com a minha paciência. E pilhas tradicionais eu não uso... já basta que no equipamento fotográfico não consigo, muitas vezes, escapar de produzir tal lixo. 
Em primeiro momento posso dizer que o teste esta indo bem... por hora, a shimano, como era de se esperar, não deixa a desejar em nada neste equipamento. Ele é de fácil instalação e quando os fios se desconectam junto da roda por qualquer motivo que seja torna-se relativamente fácil de reconectá-los. No próximo passo farei algumas colocações sobre o uso e também adicionarei informações novas, que estou descobrindo aos poucos. Em primeiro momento, posso dizer que estou satisfeito e otimista com esta ideia.