segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Sociedade Audax de Ciclismo com o brevet 300 km 23/24 de setembro 2016

Grupo com cerca de 40 ciclistas deixou a cidade de Porto Alegre e percorreu um caminho em direção a cidade de Santa Cruz, retornando pelo mesmo trajeto para perfazer 300 km do brevet. Foto: Roberto Furtado / Sociedade Audax de Ciclismo

Foto: Roberto Furtado / Sociedade Audax de Ciclismo

Foto: Roberto Furtado / Sociedade Audax de Ciclismo

Foto: Roberto Furtado / Sociedade Audax de Ciclismo

Foto: Roberto Furtado / Sociedade Audax de Ciclismo

Foto: Roberto Furtado / Sociedade Audax de Ciclismo

 Foto: Roberto Furtado / Sociedade Audax de Ciclismo
A velocidade com média regular é a estratégia de muitos ciclistas... nem rápido, nem devagar, uma velocidade certa!      Foto: Roberto Furtado / Sociedade Audax de Ciclismo
         Em todas as oportunidades que fui convocado para fotografar um evento da Sociedade Audax de Ciclismo, me deparo com reflexões sobre esta prática esportiva corajosa e desafiadora. Ter um coração forte pode ser o melhor resumo para um ciclista da longa distância. Em poucas palavras é possível definir um ciclista que tem um equilibrio entre mente e corpo. Se trata de um alguém com perspectivas de desafiar a si mesmo, tendo o coleguismo como ferramenta de apoio, sem esquecer que o amor pelo esporte é o grande elo destas amizades. Muitas vezes escrevi sobre a queda do gigante, muitas vezes vi que outros autores usaram esta expressão "gigante", aqui gravadas na história deste blog ao longo de mais de 8 anos. Tenho muito orgulho por ter presenciado tantos feitos bonitos, tanta energia, tanto ativismo da bicicleta com formato de específico. O ciclismo de longa distância tem meu maior respeito... acho-o tradicional, formador de bons costumes, construtor de histórias e personalidades, dentre outras coisas belas que só a convivência comprova. Como fotojornalista da bicicleta, este é meu berço... aqui nasci, cresci e me tornei apto no mercado. Não gosto de ser visto como o melhor, tampouco como famoso, como toda hora diz meu amigo Eduardo Macedo. Faz ele para valorizar meu trabalho, mas isto pode ser feito através de comentários sobre os resultados deste trabalho. Sou parte de um grupo, com uma função bem específica, me sinto parte de uma família. Por favor, não façam este tipo de coisa comigo. Não viso fama ou status, e sim ser parte disto. Prefiro pensar que nós, ciclistas, colaboradores e voluntários, somos uma grande equipe que defende a bicicleta como veículo capaz de transportar um ser humano aos lugares mais distantes. Cultivem isto em terceiros... falem a respeito, expliquem suas emoções, mostrem amor a esta prática que só acrescenta a sociedade. O resto é puro estrelismo... pluralidade, sem verticalizações, somos um só! Somos a ponta da espada, somos a roda que gira, somos uma comunidade ciclística. 
Ao meu querido amigo Macedo, meu abraço apertado... continue sendo esta pessoa ímpar. Continuarei meu papel de comunicar as pessoas sobre os feitos e eventos da bicicleta. Agradeço a Ninki, pela primeira oportunidade que nos trouxe até aqui... bj aos amigos todos.