terça-feira, 15 de março de 2016

Audax 200 km... Sociedade Audax de Ciclismo homenageia Saul Rodrigues

Saul Rodrigues, nosso homenageado, completando o ar dos pneus minutos antes da largada. 






Lazary, dando a última espiada no trajeto antes da largada. 
              Estou certo que a cada oportunidade em que se observa um brevet muitas são as lições que aprendemos. A Sociedade Audax de Ciclismo, através da diretora Sirlei Ninki, apresenta alguns ciclistas ao mundo, através desta forma de homenagear os ciclistas. Na primeira oportunidade deste ano, vi a homenagem ao Luis Lazary; agora, em nova oportunidade este ciclista é Saul Rodrigues. O que eles tem em comum acredito ser o carinho dos colegas, pois ambos sempre são referenciados com alegria. Aliás, este meio é bem assim... os antigos, tornam-se "ícones" indispensáveis e valorosos destas provas. E o valor disto nós sabemos muito bem... e afinal, estas diferenças entre ciclistas deixam a todos muito curiosos. Qual seria o critério de escolha para homenagear um ciclista de estrada? Velocidade? Planejamento? Frequência? Acredito que nenhum destes quesitos seja o motivo... quem anda ligeiro sabe que Lazary é sempre um dos últimos! Todo mundo sabe que ele mesmo diz... "Se ficar atrás de mim pode não conseguir chegar!" Lazary é sempre um dos últimos... brilhante, mas a velocidade, definitivamente não faz dele o escolhido. Saul Rodrigues... já vi ele ser o primeiro durante um Audax 1000 km. Ele poderia ser bem rápido e resistente para derrubar qualquer prova, este poderia ser um critério na escolha? Acho que não... já vi mais rápidos e, isto não faz ninguém melhor que ninguém. Bom, de verdade não tenho resposta para isto, pq nunca perguntei a Ninki o real motivo. Contudo, sempre imagino que o real motivo seja o perfil destes caras... Eles são realmente extraordinários como seres humanos. A educação, alegria, cumplicidade, sorriso no rosto por pedalar livre de rótulos... precisa um motivo maior que este? Me parece que é isto... não tenho outra crença. 
Nesta oportunidade, trabalhei em dois eventos distintos... não queria deixar ninguém na mão, mas ainda deixei. Deixei de fazer o XCM de Camaquã e o DH de Nova Prata, ambos da Federação Gaúcha de Ciclismo. E a verdade é que não consigo estar em muitos lugares ao mesmo tempo, muito embora escute de várias pessoas: "como vc consegue estar em tantos lugares ao mesmo tempo?"
Bom, eu sempre brinco... na verdade sou um extraterrestre apaixonado por trabalho. 
Gostaria de falar muito mais sobre Saul Rodrigues, também sobre Luis Lazary, pq acredito que eles sejam ótimos exemplos para serem seguidos. Contudo, neste momento o dever me chama... e como a homenagem do momento é do nosso amigo e ídolo Saul, deixarei aqui o link do relato que ele fez sobre o Giro do Chimarrão, terceira edição. E vc vai saber um pouquinho como é forte este nosso amigo... um forte abraço aos ciclistas de longos sonhos.