quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

A caminho da bicicleta ideal... 2015 é o marco temporal da nova bicicleta!

Centro de Porto Alegre, RS, 2014.
    A primeira postagem do ano... é de responsabilidade. Então que ela seja de valor, pois este é o papel verdadeiro do crítico da bicicleta. 
    Chegamos em 2015... muito depois da tal odisseia no espaço! É momento de colocar em prática todas as ações que julgamos por ideal. Bons comportamentos nos espaços divididos com semelhantes. Não estamos sozinhos... se vivemos em sociedade, não estamos sozinhos! Os espaços podem e devem ser compartilhados com qualidade. Cada pessoa tem o seu lugar, assim como cada veículo... e nem estamos a julgar se os espaços são justos, pq não são! Contudo, desejamos que os espaços oferecidos para cada opção da mobilidade sejam utilizados com sabedoria e decência. Ciclovia não é para pedestres, calçadas não são para ciclistas, mas se necessário, ambas opções podem ser utilizadas oferecendo a prioridade a opção que pertence. 
A vida não é para ser perdida... se há um valor neste sistema que chamamos de sociedade, tal é das vidas humanas individualmente. Cada vida é uma história, um fragmento pertencente a algo... nada deve ser destruído, perdido, desfragmentado. A estrutura possui um equilíbrio sutil, fácil de respeitar, mas todo mundo se comporta de forma a banalizar a vida. Então, que 2015 seja o ano em que a bicicleta comprovará para todos que estamos em um novo tempo, marco temporal. Que sejamos sensatos, respeitosos, exemplares... nos tornaremos, em 2015, um bom exemplo para o futuro. Espera-se que as ciclovias sejam respeitadas, assim como as calçadas, mas acima de tudo, que as pessoas sejam respeitadas.