quarta-feira, 16 de julho de 2014

Old Giant Sedona ATX series... cantilever?

Durante a década de 90, os freios mais populares entre as MTBs eram o sistema tipo cantilever. Um bosse de freio, pivô de fixação, garantia o local correto para suportar o "balancim" de freio. Com um de cada lado e um cabo que era puxado de uma única direção e sentido, os freios eram acionados pressionando as sapatas de freio contra o aro. Impressionante era a diferença de qualidade entre marcas e modelos. Havia produtos muito bons, porém de custo maior, e se encontrava também peças de baixíssima qualidade vendidas a valores simbólicos. Ainda na década de 90, os freio tipo cantilevers deram espaço aos vbrakes, que se apresentaram mais eficientes em mais de uma questão. Os vbrakes eram muito mais fáceis de regular e exerciam de forma melhor a frenagem, exigindo menos do condutor da bike. Por fim, reside até hoje como mais popular dos freios, o tal vbrake, mas entusiastas de pilotagens mais agressivas preferem sistemas a disco. Os vbrakes, dificilmente deixaram de existir, até mesmo pq podem ser utilizados em bicicletas de pneus mais finos, uso muito adequado para frenagens precisas e suaves, evitando o travamento total das rodas. Hoje, é difícil imaginar um freio dizer que um sistema é melhor que o outro, pq desta questão depende mais a aplicação, condutor, meio em que vai pedalar. Seria necessário utilizar discos de freio em ruas planas de uma grande cidade? Talvez... pq não? Não se trata de obrigação. O freio cantilever não deixou de existir, apenas caiu em desuso e/ou desinteresse por existência de outras opções. Contudo, sabe-se que peças antigas, tais como maçanetas (manetes) de freios de bicicletas dos anos 90, não aceitam bem o uso de vbrakes. Maçanetas de freio de um sistema não são exatamente compatíveis com freios de outro sistema. Até pode ser usado, mas não ficará bom... o curso de alavanca entre os sistemas de maçaneta são diferentes. Então para um sistema, utilizar adequadamente o que for compatível. Vbrake e disco para tais manetes!
No caso dos cantilevers, eles são compatíveis com as maçanetas de freio de road bikes, também com as maçanetas de seu tempo! No catálogo da shimano é possível compreender o uso destas peças e um bom lojista possui um catálogo destes para verificação, mas normalmente ele já sabe a respeito das compatibilidades. Existem também, passadores de marchas para bikes tipo road com guidão reto... neste caso, normalmente, eles são projetados para os freios de speed, modelos evoluídos de ferraduras de freio, também para cantilever. Como aparece na foto ao alto, os freios cantilever modernos são compatíveis com maçanetas de freio antigas, da década de 90. Isto permite que o entusiasta da bike possa realizar o upgrade sem descaracterizar sua magrela antiga. Até pq, nos dias de hoje, encontra-se trocadores de 7V bem simples e aquém de design e qualidade de peças dos anos 90. A evolução dos materiais atuais também levou os grupos a um número maior de marchas... o que pode ser desnecessário para alguns entusiastas, principalmente para aqueles que gostam da simplicidade.  Na Giant Sedona, que originalmente possuia cantilvers shimano exage, ficaram agora cantilevers modernos, tipo desagrupados da shimano, equivalência shimano 105. Funciona perfeitamente... e a grande vantagem dos novos freios fica para o sistema de ajuste idêntico dos vbrakes, portanto, muito mais fácil de regular.