sábado, 27 de dezembro de 2014

Recesso pra voltar com força total! Um excelente 2015!

Estrada da Granja Vargas, Palmares do Sul, RS, 2013.
O final de ano chega e a gente não encontra resposta para muita coisa... quem diz que as têm, ou parou de fazer as perguntas, ou não está olhando o mundo da mesma maneira que a maioria. Muita gente esta se sentindo perdida quando o assunto é humanidade, pois parece que há mais coisas para consertar do que coisas para comemorar. No entanto, persistir é preciso. A gente acorda pela manhã sabendo que tem motivos fortes para continuar lutando... são os ideais que ainda não se concretizaram! A gente quer ver as pessoas atravessando a rua sabendo que nenhum carro vai cruzar o sinal vermelho, também quer garantia de que o motorista vai passar a mais de 1,5 metros do ciclista. Não pedimos muito, mas se a gente for pensar na verdade disto, queremos uma mudança brutal no comportamento das pessoas. Nós queremos que as pessoas respeitem uns aos outros. E respeitar é mais amplo do que imaginamos... pq para isto é preciso entender um pouco mais a necessidade do outro, e torcer para que o outro não sinta que vc esta apenas devendo a ele. Todos devem a todos. Escutar é preciso... eu mesmo estou tentando, mas tenho visto muita gente querendo ser ouvida sem jamais considerar o "talvez"ou "será que estou errado?". Hoje, a caminho de completar minha 4ª década, já não tenho mais as certezas que tinha quando jovem, que vejo nos olhos e nas argumentações de tanto. "Quanto mais aprendo, menos sei...", com a certeza de que conhecimento é gerar mais perguntas e titubear entre as questões! Aliás, estou "certo" de uma única coisa... há muito para descobrir! Serve para as pessoas, para ciência, para a natureza tão agredida... 
Este ano, resolvi não por visitação neste bloguito... descobri coisas mais importantes. Não importa a quantidade de pessoas que por aqui passam! Das palavras de ciclistas que se tornam meus amigos... um deles disse: "Vc não faz o topa tudo por dinheiro da bicicleta! Vc faz algo único como crítico especializado!" Outro: "Teu diário de bordo dá razão pra muita gente, mas teu trabalho fotográfico com a bicicleta é história da bicicleta!"
Eu recebo, muitas vezes, mensagens... por email, por sms, etc, são felicitações, agradecimentos e todo tipo de interação com o leitor, que não esquece de passar por aqui. Agora, aproveito para dizer que este final de ano, me dei o direito de parar alguns dias, me dediquei algumas vezes pelo facebook, compartilhei coisas variadas, tanto no Bikes do Andarilho como no Diário do Andarilho, pq sei que ao passar o recesso de natal e ano novo, todos que fizeram do Bikes do Andarilho, retornarão a este espaço que entra no ano 08. Sim, somos uma parte da história da bicicleta neste país... Este ano, já não somos mais parte somente do BR, estamos nos tornando referência para ciclistas e entusiastas de outros lugares do mundo. Nossa estatística move 35% de países variados e os 65% são do Brasil. O próximo ano vai ter tudo isto de novo... vai ter Interbike, pelo terceiro ano consecutivo (isto é inédito no Brasil), vai ter Brasil Cycle Fair, vai ter tudo que a gente achar que dá pra fazer. A gente vai fazendo, devagarito, no ritmo do coração e da bicicleta. E agradeço de coração as mensagens de Feliz Natal e Feliz 2015, e digo o mesmo a todos. Tenham um grande ano, repleto de sonhos realizados, saúde, paz e amor. Em breve, recomeçamos com gás total! Estou dando um tempo pra mente e trabalhando em projetos... pra vc!

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Algo muito bom... a bicicleta?

Imagem meramente ilustrativa. Downhill de Rolante, 2014. Foto: Roberto Furtado / FGC

Acordamos cedo pra nos reunir... são muitas as questões sobre o esporte, sobre a bicicleta. Nos motivamos pelo esporte, pelos princípios, por ideais! Pode ser...
Durante e após as provas a gente percebe algo muito interessante que não vê na maioria das competições. Nós observamos a postura de "concorrentes" lado a lado, em perfeito sincronismo da amizade. Isto é sabedoria... é preciso muita sabedoria para separar os posicionamentos dos valores verdadeiros. Por muito tempo pensei que isto era a bicicleta, talvez a própria modalidade esportiva, mas hoje vejo que são as pessoas. O downhill é uma das poucas modalidade esportivas em que presenciei isto. Eu vejo poucos esportes competitivos com este comportamento dos atletas. E eu fico muito orgulhoso por presenciar esta realidade. Há algo muito bom na bicicleta, em todas as modalidades e principalmente na bicicleta da mobilidade, mas no que diz respeito a competição, isto é uma raridade.  O que há de bom são as pessoas... 

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Campeonato Gaúcho de Downhill - A última etapa de 2014

Foto: Roberto Furtado / FGC
      O ano passou mais rápido que os anteriores... os meninos de ontem, cresceram, estavam maiores. 
Os meninos grandes, de todas as idades, estavam iguais, alguns novos apareceram, outros aparecerão amanhã. O final do campeonato gaúcho de downhill teve fortes emoções, teve muitos tombos, quase todos sem maiores gravidade... alguns ficarão de molho alguns dias, mas apenas isto. A etapa foi um sucesso. Ontem, disse ao amigo Clécio Bissolotti... " ficar perto desta gurizada é a própria fonte da juventude!"
Adoramos, todos, pais, amigos, colaboradores... adoramos os sorrisos, a emoção da superação, a descida rápida que traz felicidade. Quem não gosta de ver gente feliz? Eternizar esta galera é genial... é sempre muito bom estar entre vcs. Lamento tanto que este bonito esporte não tenha mais atenção da mídia, do público e do governo brasileiro, pq lá fora isto é um espetáculo que não tem preço! Se todos pudessem ver a diferença no valor do downhill na terra do MTB, muitas coisas seriam diferentes. Na califórnia, na Interbike, em todo EUA, há indícios de todo tipo que descrevem o valor da bicicleta, seja ela de forma esportiva, seja recreativa ou funcional. Há motivos de sobra para apostar no esporte, na bicicleta. 
A última etapa do CGDH foi tudo isto e muito mais... foi uma oportunidade de reflexão, sobre cair e levantar, sobre quanto devemos acreditar em 2015. Nossas vidas profissionais, nossos sonhos, família e momento de lazer são o alimento da alma. E quem não tem sonhos? Ora, todos temos... vos digo o básico pq muitas vezes esquecemos! O dia de corrida é o sonho destes guris... sonho estampado nos olhos de cada um. Quem desceu menos rápido, frustrou-se, quem caiu, mais ainda... mas eu lembro todos vcs de que a vida é o maior dos presentes e emocionar-se é uma dádiva. Sintam os momentos com o coração, pois o tempo passa e não volta. Quantos amigos, amores, familiares se foram? Pois então, façamos valer cada esforço de quem amamos... sejamos muito felizes! Desejo que cada um pense um pouquinho neste final de ano, e que desta reflexão venha acertos fantásticos para um novo ano. Que o próximo ano seja um ano de mudança para muitos outros que virão!
Um abraço e roda pra frente

Do amigo Andarilho

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Novo Pier Inaugurado... da zona sul pega a bike e vai pra Guaíba!

Pier Barra Shopping, Porto Alegre, 2014.
    Estava em dúvida sobre onde deveria fazer esta postagem e abordagem... pois o assunto poderia ser para o Diário do Andarilho que tem foco diferente e diversificado. No entanto, aqui vai tudo com assunto da bike... e a embarcação da Catsul tem toda relação com bicicletas. As embarcações possuem estrutura para receber a bicicleta. Sei que existe um regulamento para transportar bicicletas, mas não estou apto a abordar pq desconheço este regulamento. Imagino e lembro algo que diz ser muito mais flexível que o trem que liga Porto Alegre a região metropolitana até Novo Hamburgo. No caso do Catsul, outra proposta, direção para Guaíba. Confesso que fiquei muito animado com esta proposta, até mais que o trem!
Esta imagens fiz por acaso, passava por ali, no ofício de repórter fotográfico garimpeiro... aquele que circula a cidade pescando algo nas "horas vagas". E me deparei com o fim da inauguração. 
  Quando inaugurou o transporte, alguns anos atrás, fiz oficialmente para empresa. Teve tudo no contexto... até o governador Tarso Genro encontrava-se no local. E lembro que na data, tive dúvidas se aquela proposta iria pra frente, pois parecia meio surreal as pessoas usarem o catamarã para fazer a travessia, mas vejo que deu muito certo. Há muitas pessoas interessadas no transporte, estão também investindo em novas estruturas, novas paradas. É fato que funciona... e bem verdade que por motivos simples, trata-se de uma proposta privada. Onde há o dedo do segmento privatizado, parece que a coisa anda muito melhor. Tento ainda entender os motivos, mas talvez nem deva pensar muito a respeito. Vou pensar apenas na questão da bicicleta...

Roberto Furtado

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Final de semana tem última etapa do CGDH


Neste final de semana rola a última etapa do campeonato gaúcho de downhill. A prova acontece em Rolante. A Federação Gaúcha de Ciclismo e os participantes festejam o encerramento do campeonato da modalidade em grande estilo. Pista quente para os atletas! Os favoritos são sempre os mesmos, mas meninos voadores não são poucos! A chance sempre esta lançada quando se começa a tomada de tempo. A última prova teve conquista de Maicon Zottis, que aparece na esquerda com o pneu furado na pista de Carlos Barbosa e lidera o campeonato gaúcho. A direita esta Lucas Bertol que deverá lutar pra manter a segunda colocação do campeonato. Bertol, após a etapa anterior, passou Daniel Gayeski que ocupava a segunda posição até o momento.
De título para diversão, podemos dizer que o público espera mesmo um grande dia de tempos batidos a cada descida. Os meninos voadores provarão que a montanha não vence, quem vence sempre é o esporte! Comparece... não perde esta! É pura adrenalina! Nos dias 13 e 14 de dezembro acontece o espetáculo! O Bikes do Andarilho, mais uma vez, estará com vc!

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Projeto Pescar... meninos da bicicleta!


De braços cruzados a sociedade não vai mudar nada. Foi justamente pensando nisto que Everson Ribas, conhecido na Zona Sul de Porto Alegre como Dudu Bike, aceitou o desafio de participar no Projeto Pescar. A iniciativa e o convite foram feitos por Alexsandra Alfonso, que hoje não está junto deste projeto, mas que sente muito orgulho dos rapazes e do bom andamento do conjunto. A ideia consiste em treinar e capacitar jovens para o mercado de trabalho. Neste caso, a grande maioria dos participantes tem idade entre 16 e 18 anos, são internos da FASE (Fundação de Atendimento Sócio- Educativo), cumprem pena socioeducativa por determinação judicial. Meninos que optaram por um rumo equivocado, ingressaram nos problemas da sociedade, mas que têm chance de ter uma vida digna.
Adriana Tavares, pedagoga e atual orientadora dos garotos, conta que muitos deles têm uma realidade difícil, contudo, os participantes do projeto acreditam e trabalham por uma mudança. “Estão aqui por algum deslize comportamental, as pessoas não os querem nas ruas. Aqui oferecemos um tempo para que eles possam pensar e aprender! A intenção é que eles tenham uma atividade promissora e honesta ao saírem do sistema, para que desta forma sejam reintegrados ao convívio social.”
Everson se vê como cidadão construindo um efeito em favor das mudanças que todos desejam, mas que poucos alimentam. “Capacitando os meninos, eles poderão exercer uma atividade que lhes dará dignidade e que pode render um sustento! É uma forma de gerar um mundo mais justo e seguro para todos. Quais são as expectativas destes garotos?”, completa Everson, que vai ao encontro dos garotos toda segunda e quarta pela manhã. Com disposição, ele ensina montagem e desmontagem, limpeza de peças que apresentam corrosão, montagem e centragem de rodas, conserto de pneus, alternativas na recuperação de uma bicicleta. Todo processo, objetivando a reparação com o menor custo. 
Paulinho*, um dos internos que passou no processo de seleção para participar do projeto, disse: “me envolvi com outros, foram más influências para mim. Usei drogas, me envolvi porque eu quis, acabei na pior. O aprendizado aqui é uma chance que tenho para pensar na solução disto!”
Outro interno, Pedro*, atento na atividade que fazia enquanto era entrevistado, esboçava felicidade porque fazia algo de que gostava. “Quando sair daqui, vou trabalhar numa oficina de bicicletas que tem perto da minha casa. Ajudarei minha mãe e meu irmão de oito anos. Meu padrasto esteve preso, agora estou aqui. O crime não está com nada, é sofrimento para todo mundo”. Era possível perceber um sentimento de culpa, e talvez este seja o primeiro passo para reingressar na vida social com novos horizontes.
Muitas vezes o sistema induz os garotos ao erro, e um dos motivos é a falta de referência. Com esta falha da atenção paternal, surge a oportunidade da influência do meio e do convívio. Everson diz que os jovens sempre estão sobre uma influência... Se esta influência for boa, o resultado será bom; de outra maneira, se ela for ruim, o resultado será negativo. O ministrante da oficina incentiva os alunos, chama a atenção deles para que acreditem em uma nova vida, pois eles podem fazer e merecem esta vida. “O que passou já foi, agora a gente vai construir um futuro. Vamos nos focar neste trabalho”, diz o professor Everson, incentivando seus alunos.
Alexsandra, orientadora e articuladora da primeira turma do projeto realizado na FASE, descreve uma trajetória de dificuldade para iniciar trabalhos deste porte e relevância social. Tais dificuldades são relacionadas às mudanças que precisam ser feitas e a desinteresses políticos. Outra dificuldade é reunir voluntários capazes de participar do projeto. “É preciso convencer as pessoas participantes de que elas podem cumprir um papel importante, e que não devem desistir. Eu acredito nos garotos! Digo a eles que fizeram uma curva em algum lugar do caminho que deveriam ter seguido, e que agora devem retornar para a estrada correta”. A iniciadora do projeto, Alexsandra, comemora o progresso dos meninos. “De novembro de 2012 para este momento, a evolução foi grande. Deve-se isto à estrutura que oferecemos e ao quanto nos dedicamos”, falando de todo conjunto de envolvidos e dos próprios internos do projeto. 
A bicicleta deve ser observada para que o mundo possa realizar as escolhas que favoreçam a sociedade. A bicicleta pode mudar o mundo por um perfil especial em aproximar as pessoas. A personalidade nos indica um caminho durante a formação como cidadãos e a bicicleta é o elo, independente de escolhas. Existe alguma influência permissiva da bicicleta para com toda pessoa que se interessa por ela. As pessoas sentem-se mais felizes, com isto tornam-se mais tolerantes e as portas se abrem. Nós, cidadãos, ligados à bicicleta ou não, temos a obrigação de ver esperança, de alimentar a aceitação dos garotos ao convívio social. Eles são muito capazes, andar nesta estrada é difícil, mas eles estão se saindo bem. Se pudermos contribuir para que o caminho seja de menos obstáculos, então todos nós poderemos desfrutar do mundo que desejamos. É uma questão humanitária que conta com a bicicleta, e isto ela pode oferecer.
A Revista Bicicleta acredita na reintegração social dos garotos do projeto. 
* Os nomes dos internos foram substituídos por completo para preservação de integridade dos mesmos.
Texto e Fotos: Roberto Furtado / Revista Bicicleta 

Gancheira é pauta na edição de dezembro da Revista Bicicleta

Foto: Roberto Furtado
      Na edição de dezembro de 2014 teremos uma pauta de tecnologia sobre gancheiras. O componente que é uma extensão do quadro (frame) garante a integridade do quadro em casos de acidentes. É a gancheira que ao quebrar protege o quadro. Antes do surgimento da gancheira removível para quadros de alumínio, carbono e demais frames tecnológicos, o dano era localizado na peça integrada que fazia parte do frame. Com o surgimento da gancheira removível, a solução tornou-se simples... quebrou a gancheira, troca-se!
      A gancheira é uma peça de alumínio, confeccionada em alumínio tecnológico, de ligas variadas, em sua melhor forma é produzida através de usinagem tipo CNC. O sistema CNC é basicamente uma "copiadora", faz peças perfeitamente idênticas. A fresadora é comandada por um sistema que recebe cotas (coordenadas em três dimensões) e as transfere para um bloco de alumínio. Após este processo, a gancheira pode receber polimento, anodização ou pintura, ficando com o aspecto final que conhecemos junto das bicicletas. Na imagem* ao lado, a gancheira é caracterizada por fixar o cambio ao quadro, aparece em cor de alumínio anodizado. A Bike Village esta fornecendo gancheiras especiais, de alta qualidade, usinadas em alumínio tecnológico 7075, para bicicletas de downhill, freeride e enduro. Agradecimentos especiais a Bike Village pelo apoio de pauta. Acompanhamos a pauta desde o surgimento da gancheira na fresadora CNC na cidade de Caxias do Sul e a transformamos em informação para que vc saiba como surge uma gancheira de qualidade. 

Texto e Foto: Roberto Furtado

*direitos autoriais reservados.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Outdoor Demo 2014, da Interbike!



    Cerca de 300 imagens do Outdoor demo da Interbike 2014 estão neste álbum que estamos disponibilizando para o leitor. O evento aconteceu na cidade de Boulder City, algumas milhas de Las Vegas. O Demor é um grande evento que reúne muitos comerciantes e ciclistas envolvidos com o mercado para testar e confraternizar. Uma oportunidade única para quem respira bicicleta. Como a matéria da Revista Bicicleta já saiu, agora podemos mostrar a coleção de fotos. 
Por estar dentro de uma área controlada e protegida, o visitante consegue ver alguns animais selvagens da região. A maioria destes animais é pequena, são lagartos, cobras e insetos endêmicos da região. O cenário é de cinema... muitos videos e filmes já foram produzidos nesta região. E mesmo que seja uma região muito quente, isto não é problema. A organização fornece água pra vc. "Quer uma água?" Disse um dos monitores para mim ao me ver trabalhando. Durante a trilha, um dos agentes da polícia local, devidamente equipado com uma bicicleta de qualidade, passou por mim e perguntou se estava tudo bem. É grande a atenção dada por quem se envolve nestes eventos no EUA. Temos muito para aprender... mas a grande questão é que eles sabem quanto retorna um evento destes. E vos digo isto pelo investimento, eles acreditam. O mercado americano é um gigante, incluindo sua exportação cultural da bicicleta, que é de fato, mundial. Há visitantes de todo lugar do planeta, testando, observando, fechando negócios. Seria muito bom ver o Brasil seguindo esta parte do exemplo... ser consumista da bicicleta, não de iphones ou de ipads, mas sim desta bicicleta que pode motivar e levar o mundo adiante em suas questões da mobilidade. Bom... aí já são devaneios de um ciclista que curte esperança. 
Agradecimentos aos apoiadores, em especial a Revista Bicicleta.


Texto e fotos: Roberto Furtado / Bikes and People.com

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Final de semana cheio... bicicleta pra todo mundo!

    Um grande final de semana para quem não ficou em casa... quem aproveitou o clima bom e quente para pedalar ou produzir algo em bicicleta. Em Campo Bom tivemos a etapa do campeonato gaúcho de ciclismo, em Guaporé uma etapa do campeonato gaúcho de MTB, teve ação solidária do POA Bikers em Porto Alegre, também uma copa de bicicross em Estrela... em SC aconteceu o Desafio Márcio May. Teve também Massa Crítica em algumas cidades do Brasil, tudo em sua devida e única importância. A importância em pregar a bicicleta como máquina da liberdade. Muitos ciclistas aproveitaram para pedalar, fazer pequeno cicloturismo... outros foram até o litoral!
O ano esta terminando, mas a bicicleta esta saindo das garagens, das casas, das paredes! A bicicleta esta em evidência, nas ruas secas e ensolaradas, ou como em Brasília, sendo utilizada com veículo nas enxurradas. As bicicletas... as bicicletas do Brasil são estranhas e poderosas. Nós estamos vendo um momento mágico da bicicleta, de sino em sino das competições, das campainhas entre manifestações, pelas ciclovias, pelas estradas, pela vida! A vida é o que queremos que ela seja... e nós queremos bicicleta, pelo direito de todos, de ir e vir, de respirar e sentir o vento no rosto. Não há céu tão azul como este do mundo da bicicleta, mesmo quando chove! Boa semana e bicicleta...

domingo, 30 de novembro de 2014

Ciclismo em Campo Bom... quente, muito quente!

Ciclista Felipe Castaman foi campeão da categoria SUB 30. Foto: Roberto Furtado.
Um dia quente... muito quente! Foi quente para quem estava sentado, mais quente para quem fincava pé no pedal, mas mesmo assim ocorreram fugas, grandes sprints e decisões apertadas, como na categoria estreante. Aconteceu também em outras categorias, mas felizmente, com as câmeras bem posicionadas, todas as dúvidas forma retiradas.
Não existe velocidade tão alta para um esporte cuja energia provem do próprio corpo, sem interferência de externos. Aqui se anda de pneu colado no chão, mas a velocidade é alta. O risco esta em cada colisão, pois se anda acima de 40-50 km/h em muitas oportunidades. Se ocorreram tombos, sim, aconteceram! Sem gravidade, apenas experiência levada para próxima etapa. E haverá outra etapa este ano para o campeonato gaúcho de ciclismo? Esta é a pergunta que todos fazem... talvez, de acordo com a FGC a resposta é positiva. A cidade é Muitos Capões, além de Vacaria. Com 12 etapas no campeonato, muitos dos atletas dizem não ser preciso, mas esta é uma decisão de conjunto com a Federação. 
Se o dia foi quente... foi mesmo! Foi também de fortes emoções, reencontro com amigos e alguma certeza sobre a pontuação do campeonato. Agora é esperar a decisão sobre a realização de uma 13ª etapa e torcer pelo seu atleta.


Texto e Fotos: Roberto Furtado

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Mais sobre estradas para pedalar nos EUA... Bike Lane por tudo!



Os Estados Unidos da América são um excelente local para pedalar... Há fortes indícios disto por tudo. Inclusive nas estradas onde não vemos ciclistas! Não dá pra dizer que a infraestrutura que aparece nas imagens é mais conveniente ao pedal que as estradas brasileiras se tratando de um acostamento estreito, no entanto e vc pode reparar que existe um pouco de sujeira na via específica, mas não existe buraco! Em Nevada você pode dizer muitas coisas a respeito da bicicleta ou de pedalar... uma delas é com relação a visibilidade pelo ar seco, outra pela qualidade do pavimento ao rodar, também pelo respeito dos cidadãos para com os ciclistas. Ciclista é uma pessoa nos EUA, mas aqui eu preferi nem entrar neste assunto pq vai parecer aquela pregação de que ciclista de extrema posição contra o sistema. E isto não sou... quero apenas mais direitos para ciclistas e pedestres, direitos para as pessoas! Costumava pensar que eu não conseguia impor mais qualidade para meu trabalho por causa do material ou até mesmo por causa da técnica, mas na américa descobri que sou um fotógrafo melhor ainda do que eu pensava, pq a nitidez veio como nunca imaginei. É o ar... o ar é limpo em Nevada! No Brasil, inclusive no RS onde costumo fotografar, a umidade do ar e até mesmo a poeira são elementos destrutivos do trabalho. É muito bom e fácil fotografar ciclistas nos EUA, principalmente para quem esta constantemente desafiado pelas condições do Brasil. Claro que deve haver locais melhores que os que conheço para fotografar... Contudo, se explica muito sobre as propagandas e comerciais feitos em determinados locais. Realmente existe um diferencial, esta na paisagem, no ar! Se é assim para fotografar, imagine para pedalar. Em SP estão vendendo máscaras especiais para pedalar. Ora... o que é isto? Se vende ou se oferece... pq precisa! O EUA tem uma imagem de poluição, problemas, etc, que quando visitei, não consegui ver. Dos 50 dias que já estive naquela terra, até hoje penso e reflito sobre as coisas ditas, malditas! Inverdades... é um lugar maravilhoso para pedalar, de outra forma não seria tão comum encontrar ciclistas nas estradas. 
Algumas estradas dos EUA não podem ser pedaladas... há inclusive proibição para isto, porém, em outras estradas há até mesmo placas indicando a prática e pedindo cautela dos motoristas. É sensacional ver a preocupação do poder público americano em resposta as solicitações do cidadão. Experimenta chamar a polícia no Brasil e faz o mesmo nos EUA... pede por ciclovias  no Brasil e faz o mesmo lá! Olha as imagens de capitais menos desenvolvidas e compara com as mais desenvolvidas no Brasil. Estamos perdendo feio... poderíamos usar de exemplo, os bons exemplos, de educação. Experimenta ir e vir dos lugares, e vc verá a diferença na educação das pessoas. Estou certo que os extremistas dirão... culpa do governo, culpa disto, daquilo, mas é culpa do povo mesmo, culpa nossa!
Lá é a terra da bike lane... aqui, bom aqui a gente tenta!

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

A Expo Bici... mais um sucesso para a bicicleta!


 Expo Bici dos sonhos de muita gente... Evento democrático, limpo, divertido! A feira gaúcha em sua terceira edição reuniu muitos velhos conhecidos, novos amigos, gente que a gente não via há muito tempo! Nesta estrada ciclística muitos são os que mudam de cidade ou de profissão, e com estas variantes surge também a dificuldade em participar dos eventos que juntam tantos sorrisos. Eis a importância de uma feira local... juntar novamente as pessoas, trazer os novos ciclistas ao convívio dos velhos, agitar o mercado local. Afinal, tudo isto é importante! Sim, tudo tem sua devida importância... fomentar o mercado, alavancar novos negócios, perpetuar amizades e bons costumes. Gerar hábitos sadios como de recuperar velhas bicicletas esquecidas ou abandonadas. É tempo de tirar a poeira, jogar no vento para que novas energias sejam canalizadas. É primavera, tempo de calor, de juntar a galera. Então, baita oportunidade! A Expo Bici possui uma finalidade diferenciada. As grandes feiras do mundo destinam-se a promover o mercado brasileiro ou mundial, mas aqui nós temos um oportunidade ímpar em ajudar o comércio local. O comércio local é responsável por administrar o sorriso nos rostos daqueles que aceitam o desafio de pedalar num dia de sol. Bem, esta é uma sensação única... não dá pra explicar. É o tipo de vivência que todo mundo deveria experimentar...

 A terceira e bem sucedida feira da bicicleta no RS teve apoio de dezenas de comerciantes. Nós nos juntamos, nos divertimos, alguns de nós compraram ou venderam peças. Isto só foi possível por estes comerciantes da bicicleta. Em evidência, estão parceiros do Bikes do Andarilho que possibilitaram muitas ações, tais como a cobertura fotográfica. Tão importante quanto registrar é poder promover, soltar ao vento, imagens, palavras, garantir a voz da bicicleta. Os agradecimentos especiais, pelo Bikes do Andarilho, são para a Gaúcha Bike e a Aventura Bikes, lojas que apoiaram este veículo informativo da bicicleta. Também ao POA Bikers e a Sociedade Audax de Ciclismo, por fim e não menos importante, a Revista Bicicleta, a mais abrangente e popular revista especializada em bicicletas, do Brasil.

Fotos da Expo Bici - 3ª edição

Texto e fotos: Roberto Furtado

sábado, 22 de novembro de 2014

Neste domingo... Expo Bici!

Neste domingo acontece a Expo Bici, 2ª edição de 2014. A principal finalidade desta feira é motivar o mercado. O consumidor terá oportunidade de ver o que temos aqui no RS. Temos qualidade, temos bons profissionais, mas precisamos mostrar todo este conjunto! 
Estaremos todos lá pela manhã... será um grande momento, democrático da bicicleta, onde os usados deixamos de lado podem ser vendidos e virar novo recurso para pedalar. Confere lá... Nós, do Bikes do Andarilho, representando a Revista Bicicleta, estaremos por lá. A expectativa é para comparecimento de 5000 pessoas. Vá até lá, reveja os amigos, faça negócios, motive-se. Te vejo lá amanhã...

Roberto Furtado

A próxima pauta de tecnologia... Revista Bicicleta de Dezembro 2014

Foto: Roberto Furtado
A edição de Dezembro da Revista Bicicleta reserva algo muito especial. Fazia algum tempo que eu aguardava por oportunidade tão especial. Uma pauta bastante técnica, como nunca vemos em revista alguma aqui no Brasil. Você vai ter que esperar... mas a dica é a foto acima. Agradecimentos aos amigos Ricardo Oliveira e Luis Machado por tal oportunidade. Roda pra frente...

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Para vestir ciclistas... Letgo!



    A convite do diretor da ASA Sports, srº Sadi Rodrigues, visitei a empresa para conhecer o trabalho e a linha de materiais. A empresa é especializada na confecção de vestimentas esportivas. Os esportes atendidos pela ASA Sports são variados, são uniformes de futebol, artes marciais ou para esportistas diversos. A empresa especializou-se na fabricação de material para ciclistas com a marca Letgo. 
   A Letgo compreende uma linha colorida, bem feita, de roupas para ciclistas e, dentre as peças estão bretelles, bermudas, camisas de manga curta ou longa, calças, etc. Uma ampla linha de materiais com tamanhos variados, pois produzem também tamanhos especiais. Além do material produzido em linha, a ASA Sports, fabrica uniformes ou padronizações para equipes. Equipes de ciclismo ou triathlon, como a Gusch, possuem seus uniformes esportivos fabricados pela ASA Sports.
As camisas tradicionais de ciclismo possuem, bolso, forro, corte, costura e tecido especial para melhor conforto. De acordo com a consultora de vendas Tainara Fabiane, um dos modelos mais vendidos pela empresa é este que ela segura, que ilustra a bandeira do Brasil. A ASA Sports atende comerciantes e empresas, e possui show room em Ivoti. A equipe de vendas estará pronta para atender aos clientes da melhor maneira. Para saber mais, acesse o site da Asa Sports e confira também a linha Letgo.

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Sítio da Bike... dia de treinamento!

Sítio da Bike, Novo Hamburgo, RS, 2014. Foto: Roberto Furtado / Bikes and People.com
O final de semana foi de clima espetacular... e no sábado pela manhã fui conferir o Sítio da Bike, a convite de Alexandre e Luisa Saft. O Sítio é um projeto tipo Bike Park onde os atletas podem treinar na pista de Cross Country com nível moderado a difícil. Na trilha estão opções com rock garden, pontilhões, saltos e em praticamente todos os obstáculos ocorre a opção do desvio. É excelente pista para treinamento. O pessoal do triatlo também faz do point o local de treino, já que o local acomoda muitos automóveis para estacionamento e fica a marge de via asfaltada e próxima do centro urbano. O lago é utilizado para a prática de natação e ali se treina ciclismo, natação e a corrida com qualidade, havendo inclusive recursos semelhantes a transição para o perfeito simulado. Junto de toda estrutura esta a loja, que oferece materiais de nível intermediário ao avançado (profissional e amador avançado). O local é frequentado pelos ciclistas que pedalam pela região da Lomba Grande. A região tem excelente cenário para um cicloturismo ou mesmo para treino. 
O sábado pela manhã foi marcado com presença da galera do triatlo, da Gusch, e a tarde apareceu a galera do XC. O almoço, na data oferecido como cortesia pelo Sítio, foi um "salchipão" bem ao estilo do RS. E estava bem bom... galera legal, clima favorável, estrutura local e uma boa coleção de fotos pra gente recordar. 

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Brasil Cycle Fair 2014... as imagens oficiais de uma grande feira!

Em frente ao estande da SCOTT, no Expo Center Norte, 2014. Roberto Furtado / Aliança Bike
Muitos devem ter se perguntado sobre as imagens da Brasil Cycle Fair que eu havia feito... então neste momento estou publicando praticamente todo material produzido. Um material entregue em 10 dias após a conclusão. Foi um trabalho legal e grande, um prazer para mim! O material foi uma solicitação da Aliança Bike, para a Brasil Cycle Fair 2014.
Esta foi minha 7ª feira nacional, mas fiz também a cobertura por dois anos seguidos da Interbike, e no próximo dia 23 realizarei a cobertura oficial da Expo Bici, pela segunda oportunidade. No próximo ano devo estar presente novamente na Interbike, pois estou tentando colocar em um patamar confiável a minha avaliação crítica sobre esta feira de importância global e, é possível avaliar as tendências num todo somente quando fazemos parte de um contexto por pelo menos três anos. E lá nós estaremos...
A Expo Bici é uma feira regional, apoiado por lojistas do RS, com iniciativa do POA Bikers e que reúne muitos ativistas e ciclistas por seu caráter democrático. Como na edição anterior, praticamente todos os ciclistas de Porto Alegre e arredores foram vistos neste evento regional, que tem demais a acrescentar como uma reunião saudável entre ciclistas de toda natureza. E se há valores e necessidades para serem avaliadas, o momento para tal é um grande evento como as feiras. Elas conseguem reunir todos, por sua necessidade, mas também pelo valor humano que magicamente se unem em eventos da bicicleta. A Brasil Cycle Fair foi uma surpresa muito boa para mim, pois vi muitos dos meus sentimentos em relação a bicicleta, serem colocados em pauta por empresários, políticos, colaboradores, ciclistas independentes ou representantes da UCB. Eu gostaria de frisar que este é apenas o começo... talvez recomeço, porquê iniciativas anteriores existiram e eu seria injusto de omitisse isto. É um projeto de esperança... ali se plantaram grandes perspectivas. Nós temos sim uma tal de crise sendo alarmada pela frente, mas pergunto para vc, leitor, não seria apenas mais uma crise? Não houve um momento em que nós percebemos que a crise dos valores humanos e de outras tantas questões sociais foram afloradas por barbáries detalhadas na televisão? Ora, crise haverá, mais uma e outra, mas o que não podemos é perder a fé na superação. Nós devemos sim ouvir nossos instintos e, então, somarmos ao conhecimento que possuímos e aplicarmos um jogo de cintura para solucionar problemas em conjunto. Hoje, me preocupa definitivamente, mais a falta de respeito e consideração, também percebida no trânsito de todo país, do que a própria questão econômica. Ao meu ver, se cair a produção do automóvel, haverá brecha para o consumo de bicicletas. Este será mais um momento onde as pessoas pensarão em como viver melhor, como sair de altos custos do automóvel e consumirão bicicletas. E é de bicicletas que nós precisamos!
Alguém realmente me perguntou o que vi nas feiras e, em uma tiragem em tom de brincadeira eu disse: "Eu vi bicicletas, eu vi bicicletas o tempo todo!" 
Foi mágico, foi melhor ainda pelo valor humano, pq sem humanos bicicletas não são nada! Nós fazemos a bicicleta ser a melhor coisa do mundo! Agora, voltando ao objetivo deste post... eu digo. Vc quer ver o que vi? Vc quer ver o que meus olhos viram? Então acesse estes dois álbuns abaixo e divirta-se! 

Coleção de imagens da terceira edição da Brasil Cycle Fair:

- Brasil Cycle Fair 2014 - 1º lote

- Brasil Cycle Fair 2014 - 2º lote

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Aceitação da mobilidade e as mudanças necessárias


Aos poucos... um degrau por vez, uma semente por temporada de verão, uma oportunidade a cada momento! É aos poucos que vemos as mudanças nas ruas de Porto Alegre, que ao trânsito se parece imóvel e não evolutiva. Houve um tempo em que Porto Alegre deu passos largos pela bicicleta, que significa por uma sociedade livre, mas atualmente parece que a cidade pulsa contra pedestres e ciclistas. Nem se fala a respeito, mas há muitos atropelamentos de pedestres nesta capital que tantos adoram dizer umas das mais evoluídas do país. E de que adianta ostentar tal afirmativa se em relação ao primeiro mundo isto não é nada! Quem quiser, que vá a qualquer país do mundo verdadeiramente civilizado e comprove o que é necessário. Quando estive em Nova Iorque, São Francisco, Los Angeles percebi que a terra dos grandes automóveis tem um potencial plus que não se relaciona com o automóvel. Os EUA demonstram educação para quem vai cruzar a porta logo atrás de alguém... o gesto do primeiro é segurar a porta para quem chega depois e, a resposta é um "muito obrigado!"
A primeira importância da mobilidade praticamente inexiste no Brasil. Vc sabe qual é... mas há tempos ela não é praticada. Colocamos a culpa no governo, mas a conduta do governo também é fundada no perfil desta sociedade brasileira. Aquela cultura dos bons hábitos se foi... culpa sempre de uma geração anterior, por degraus que descem a escala em direção aos que surgem para substituir os membros da sociedade. Há engravatados repletos da falta de educação, há profissionais simples, como porteiros de prédios, com educação exemplar, mas os exemplos se explodem aos jovens de forma conveniente ao sistema. É a própria teoria do caos para a educação que não se passa apenas pelas escolas, mas sim nos lares, no berço familiar. E há também a falta de inteligência, pq nós sabemos que algumas pessoas que não tiveram oportunidade, transformaram-se em grandes homens, outros, de berço esplêndido viraram péssimos exemplos. Há de tudo, um pouco, mas o peso é sempre em favorecimento do caos. Aos olhos da sociedade preconceituosa, um porteiro, socialmente, é um fracassado. Enquanto um vereador ou deputado é um bem sucedido, pois lhes garanto que educação e bons hábitos não possuem cunho econômico, como muitos insistem em dizer. Culpar o Estado é a válvula de escape da desculpa esfarrapada... "morde a língua" pra dizer, pois se esta eleito, lamento, culpa nossa! Há tempos, não tão distantes, percebi que não há como lutar contra questões da mobilidade sem mudar o comportamento primeiro. É uma guerra perdida sem livros, berço e histórias tradicionais. Se falo tradicionais, traduzo da educação formal, dos bons costumes... do "bom dia", "por favor", "precisa de ajuda?" ou apenas siga seu coração, sem pisar no pé alheio ou esbarrar acidentalmente sem um pedido de "desculpa". Agora, pintar as ruas é um gesto de esperança, instalar bicicletários é necessário, porém, que seja com essência, com bons exemplos comportamentais, que sejamos um pouquinho mais sábios, pq as ruas do Brasil se parecem com a selva de pedra dos piores países do mundo e não se trata de oportunidades, se trata de "querer"!
Dedico esta postagem a minha mãe, que foi quem me deu carinho, oportunidade e talvez a paciência para me tornar um homem um pouquinho melhor. E com este texto, penso gerar reflexões, para que eu seja apenas um fragmento desta estrada que possa ser construída para uma sociedade mais "convivível".

Roberto Furtado

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Audax 200 km de Capão da Canoa 09.11.2014 - série 2015





O Audax 200 km da Sociedade Audax de Ciclismo reuniu aproximadamente 130 ciclistas. Em um dia quente, de pouco vento, céu limpo e mar que atraiu banhistas. Enquanto banhistas chegam a Capão da Canoa para curtir uma praia, estes bravos pedalantes correram contra a subida para derrubar mais um gigante e marcar história. De Capão para Cambará... que loucura de subida! Quem foi, viu! Quem pedalou, sentiu nas pernas! O cenário é lindo... não pode ser recontado por fotografias, mas a gente tenta! E o dia começou para quem acordou inspirado para pedalar... quem foi até a praia por volta das 6:10 da manhã, deu de cara com no nascer do sol sobre o mar espetacular. Dia lindo mesmo!
Na estrada, muitos ciclistas paravam para registrar o cenário, estava tudo perfeito. Do tempo ao rango... e alías, o que era aquela torrada feita com pão caseiro e um café com leite? Tava bom, né? Estas e outras grandes alegrias nós vivemos na prova. Reencontrar os amigos, torcer junto, zelar pela segurança... coisas de um Audax. 
Bom, sem mais me estender, passo a coleção de fotos em dois lotes. 


quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Expo Bici de Porto Alegre... dia 23.11.2014


Bom, este é o maior evento de ciclistas de Porto Alegre. Reúne todas as tribos da bicicleta... vejo o evento como o mais democrático da bicicleta pela diversidade de perfis de ciclistas, também pela ação solidária de trocar o ingresso por alimentos não perecíveis que serão doados. Se tratando de um local alugado, portanto com custos, vejo esta ação como autêntica e gratuita. É sem dúvidas um importante meio de unir pessoas! O valor humano esta acima de tudo! Nós, do Bikes do Andarilho e da Revista Bicicleta, convidamos os ciclistas de plantão para participar desta grande ideia. A feira é organizada pelo POA Bikers em conjunto com expositores (indústria e comércio) da bicicleta. Esperamos um público superior a 10.000 pessoas! Este é o nosso desafio... sejamos este número e as doações serão muito positivas. Copiei e colei o convite oficial do POA Bikers abaixo para que vc saiba informações importantes sobre o sorteio e a troca do alimento por ingresso. Veja a lista de pontos de troca e corra pra garantir o seu... participa do sorteio somente quem fizer de forma antecipada. Fique atento!
Aproveito para agradecer o apoio das lojas Gaúcha Bike e Aventura Bike Shop que apoiam o Bikes do Andarilho neste evento de relevância ímpar. 

Roberto Furtado

Convite Oficial

Todas as informações estão no site www.expobici.com.br

A EXPOBICI é um evento que agrega em um só espaço todos os amantes da bicicleta através de três atividades distintas:
- uma grande feira com os principais lojistas expondo novidades, lançamentos, ofertas de ocasião e uma infinidade de outros produtos;
- os ciclistas com seus artigos e peças usadas realizando um brique com venda e trocas (sem a cobrança de qualquer tipo de comissão);
- um divertido leilão de peças e outros artigos com lances iniciais de R$ 1,00, R$ 5,00 e R$ 10,00.

INGRESSOS
Cada ingresso antecipado “custa” 1 kg de alimento não perecível. Queremos a sua presença e a sua solidariedade. Além de ajudar a quem precisa, adquirindo o seu ingresso de forma antecipada você também estará concorrendo ao sorteio de diversos prêmios. 
Querendo, você pode doar mais de um quilo de alimento, assim você recebe o número equivalente de cupons, aumentando a sua chance de ganhar no nosso sorteio! 1kg = 1 cupom - 10 kg = 10 cupons.

POSTOS DE TROCA – Confira em www.expobici.com.br 

INGRESSOS NO DIA E LOCAL DO EVENTO: No dia do evento os ingressos terão o custo de R$ 5,00 e aqueles que adquirirem o ingresso no local não concorrerão ao sorteio dos prêmios.

LOCAL DA FEIRA
A Expobici ocorrerá no centro de eventos “Casa do Gaúcho”, localizado no Parque da Harmonia (Maurício Sirotski Sobrinho), próximo da Usina do Gasômetro e da Av. Edvaldo Pereira Paiva (Beira Rio), mesmo local da edição anterior. Local totalmente coberto e com ótima estrutura.

AGUARDE! EM BREVE MAIORES INFORMAÇÕES! 

Convide os seus amigos e compartilhe este evento!

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Selim Bell Dart... teste prático! 1ª Parte





A viagem para cobrir a feira Interbike 2014 rendeu oportunidades... Dentre os produtos para teste esta um Selim, versão destinada ao conforto de cicloturistas e ciclistas da mobilidade urbana. O modelo de Selim da Bell é o Dart, com tecnologia D2 Confort. O selim tem excelente acabamento, sendo um selim comprometido com a estética de bicicletas "híbridas" ou de MTBs de finalidade não competitiva.  É um material para quem procura por um pedal longo... a aposta é o cicloturismo mesmo! Recebi este selim para realização de teste prático... ou seja, para colocar em uma bicicleta que fosse ser usada e testada por um período maior do que uma coleção de fotos. O compromisso é para realizar este teste em pedais com distância superior a 50 km. E para isto... temos já a bike. A bicicleta é uma road bike com características muito próprias. Hoje, enquanto eu decidi realizar as fotos, começou a chover... logo pensei que teria que cancelar a sessão fotográfica. Então me veio a ideia de que nunca havia feito fotos de um produto molhado... com gotas que denunciassem a chuva. Desta forma, decidi que seria feito desta forma. As próximas imagens serão realizadas na condição do uso. Confesso que gostei muito do selim! Estou confiante de que ele atende perfeitamente a função, mas assim que estiver com a certeza e as demais conclusões a respeito, passarei para vcs. Acompanha aí...

Roberto Furtado

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Audax 200 km serra e mar... Contagem regressiva da SAC!

Foto: Roberto Furtado / Sociedade Audax de Ciclismo. Audax 1000 km 2012.
Neste próximo domingo... dia 09 de Novembro, os ciclistas partirão de Capão da Canoa em direção a Cambará do Sul. Farão prova de dura altimetria, para os fortes! O Bikes do Andarilho estará presente para registrar mais esta história. Um dos mais belos cenários do RS. Os ciclistas estão convidados... quem não se inscreveu ainda, corre, pq a contagem regressiva esta apertando o passo. Te vejo lá... mas enquanto isto a gente vive outras histórias por aqui. E falando em ciclista e estrada, esta aí é mais uma recordação do túnel do tempo! 

terça-feira, 28 de outubro de 2014

O Giro do Chimarrão, relato 1000 km da SAC, ciclista Saul Rodrigues

Imediações de Muçum, RS, no Brevet de 1000 km. Sociedade Audax de Ciclismo, 2014.
O ciclista Saul Rodrigues realizou mais uma vez o Audax 1000 km da Sociedade Audax de Ciclismo. Ele produziu um relato bastante extenso e preciso sobre esta história, um olhar único. Este relato esta disponível no site da SAC, juntamente com outros relatos incríveis. A SAC com esta ideia de reunir relatos consegue demonstrar o espírito do randoneiro e eternizar as histórias de pessoas incríveis que atravessam distâncias inimagináveis aos mortais. Como são muitos relatos, pouco a pouco vou lendo alguns deles, na ordem. Por vezes compartilho estes relatos no Bikes do Andarilho no Facebook, pq acredito que é o sentimento mais precioso de um ciclista sobre a escolha de pedalar pelo infinito. Ontem, estive visitando a organizadora e amiga, Sirlei Ninki, e ela comentou comigo sobre o relato do Saul. Saul é um caso típico de ciclista que busca o sabor da pedalada, sozinho, em busca de respostas que o próprio coração vai criando na medida em que os KMs são consumidos. Ele deixa em casa, família e amigos, por longos períodos, como neste caso do brevet de 1000km e atravessa o tempo na busca que gosto de chamar de espiritual, como os índios fazem. Talvez, para algumas pessoas este é um hábito ou gesto incompreendido. Quando alguém deixa o conforto de casa para pedalar 1000 km sobre o tempo, praticamente atravessar o portal de um tempo para viver experiências únicas, isto possa parecer auto destrutivo a aqueles que jamais farão nada de grande e diferente. Para aqueles que sonham, como Saul, este é um momento especial que vai ficar rodando na mente por dias e dias, até, muito provavelmente, até a sua velhice. Eu gosto de pensar que Saul e outros vitoriosos de si mesmos são exemplos que motivam as pessoas. Sem referências somos tão mais simples... precisamos destas pessoas. E pq elas são assim, exemplares, bem... não tenho esta resposta, mas prefiro pensar que são anjos que guiam as demais pessoas. É fato...
Saul escreveu um parágrafo a respeito do meu trabalho e sou eternamente grato, principalmente pq não esperava por esta referência. Segue...

"Neste PC estava o fotógrafo oficial dos eventos da SAC, o Roberto Furtado. Seu trabalho é de muita qualidade e está sempre sorridente registrando em belas imagens para recordarmos ao final das provas. Deixo meus parabéns pelo seu trabalho de fotógrafo e textos sempre qualificados e singulares em seu blog Bikes do Andarilho. E se não me engano ele é colunista e fotógrafo da Revista Bicicleta."

Saul
Quando vi teu relato fiquei muito feliz. Eu jamais imaginaria receber um espaço em teu relato, pq estou ali num papel de eternizar as histórias, não de interferir nelas. Confio a ti, e a outros brilhantes ciclistas, o papel de cativar, de construir uma bicicleta verdadeira. O trânsito depende de pessoas como vc, a vida depende de pessoas como vc. Vc já faz isto profissionalmente, também em seu papel de ciclista... e aos poucos os exemplos vão sendo pregados no tempo. Felizmente, estive aqui para ver e divulgar. 

Para aqueles que quiserem ler e curtir o relato do Saul Rodrigues, indico o endereço onde pode ser visto: http://www.sociedade.audax.org.br/2014/10/giro-do-chimarrao-3-relato-do-saul.html

Bom, fico por aqui, agradeço ao Saul Rodrigues por esta experiência compartilhada, a Sociedade Audax de Ciclismo e a Revista Bicicleta. Juntos, somos mais fortes!

Roberto Furtado

domingo, 26 de outubro de 2014

DH de Carlos Barbosa reúne mais de 200 pilotos... pau na montanha!

Galera da EBNC, um familião de voadores!

Maicon Zottis
Vamos lá... uma resenha do downhill mais forte e alegre do Brasil. Depois da semana passada, que cancelou nosso querido DH, etapa de Carlos Barbosa, foi marcada nova data para o sábado que antecedia a eleição. Feito... tudo pronto, recuperado dos estragos. Agora foi! Downhill em dia único, qualify e oficial! Com mais de 200 pilotos o DH foi sensacional! Mais uma grande festa para lembrar! O pessoal da EBNC como sempre, fez tudo o que podia para ser mais um grande dia de festa. E foi... dia de sol, as vezes poucas nuvens, mas sem chuva, São Pedro vestiu a camisa da EBNC e da FGC. Um dia longo... acho que a prova terminou por volta das 19 horas. O menino fantasma, cujo nome é Lucas Bertol, descia emparelhando tudo. Corria, detonava... os treinos mostravam. O vento Zottis, não era diferente... particularmente, parecia mais rápido até. E Rafael Pereira? Que voou bonito e ficou pertinho do vento e do fantasma... Ora, bonito de ver, mais uma vez, os meninos sorridentes sobre suas máquinas raiadas e capazes de voar. A gurizada pequena curtiu... os pais idem e nossos velhos queridos, da mesma forma! Eu acho que existe uma mágica no downhill, que nos aproxima uns dos outros, que valoriza tudo que há de bom.
Lucas Bertol

Quem não foi, perdeu mesmo! Foi um espetáculo do esporte da bicicleta que mais cresce. Bertol esteve radiante... perfeito! Desceu rápido, bonito, macio, focado, olhos de águia e sorriso de garoto! A foto ao lado descreve apenas um pouquinho o que tento dizer. É um piloto ímpar, como Maicon Zottis, como Bernardo Cruz. Este ano, o fantasma fez também o lugar mais alto do pódio do DH brasileiro... campeão da etapa única de downhill 2014. É mole? O cara tá mostrando serviço... tá em fusão perfeita com a bike. E acho que tem mais pra mostrar... como disse na Revista Bicicleta, matéria do Brasileiro de DH, Bertol fez o tema de casa, correu em prova road de resistência. Quem achou que ele daria moleza, enganou-se. É o ano dele? Talvez, pode ser que seja apenas um começo, pode ser que seja a vez dele... ano que vem, talvez de Cruz, talvez de Zottis, sem favoritismos, apenas coerência sobre crítica esportiva. Que o menino fantasma desceu a montanha gigante e passou na cara o tempo, disto ninguém teve dúvida. Por isto as testemunhas, já, alimentadas pelo desempenho de Balneário Camboriú 2014 (DH de etapa única). O que muita gente não contava é ver Zottis na segunda posição, alguns segundinhos atrás de Bertol... até aí tudo bem, mas Zottis finalizou a prova de pneu no chão. É garra desta gurizada... Não tá fora quem peleia, não é pequeno que briga como gente grande!
E as fotos... aguenta aí que logo mais a gente faz a postagem da coleção de fotos pra vc lembrar. Muito obrigado a todos, uma excelente semana e até logo mais. 

domingo, 19 de outubro de 2014

O clima cancelou o downhill mais alegre do Brasil



Quem chegou hoje cedo para o Downhill Carlos Barbosa deparou-se com uma triste cena e notícia. 
A Federação em conjunto com os atletas decidiu cancelar a prova devido ao forte temporal que atingiu a região por volta das 4 horas da madrugada. Quem estava lá disse que viu o vento rodar, que parecia um "tufão", arrancando tudo do chão. As barracas e tendas foram destruídas, da mesma forma para o layout da premiação. Tudo que estava devidamente montado foi destruído num passe de mágica. O arroio que passa ali pertinho, mais um pouco passaria por cima da ponte. O downhill mais alegre do Brasil foi "vandalizado" pelo clima, mas a gente não abaixa a cabeça não... no próximo sábado tem outra vez, agora vai sair tudo perfeito, sem sabotagem climática. 

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Compartilhamento e Autoria

Pier 39 de São Francisco, 2014.
Tenho visto sites e colegas compartilhando todo tipo de material referente a bicicleta... e eu acho ótimo isto, pq é um sinal positivo da bicicleta que cresce de toda forma. No entanto, percebo que muitos são os leitores e ciclistas que não percebem este fenômeno da internet se propagando sem critério. Há espaços levando mérito de originais e criativos sem possuir uma única postagem. Ou seja, esta sendo valorizado aquilo que sempre tememos... que não se pense, que se copie, que se compartilhe, apenas! Ora, mas o que os autores estão fazendo então? Estão gerando reflexão verdadeira e informação para grupos menores e que possuem evidentemente mais interesse em questões sociais da bicicleta. Fazer volume de notícia não expressa exatamente qualidade, especialmente se tratando de compartilhamentos de releases de competições ou mesmo de videos engraçadinhos. Afinal... cada um assiste o que quiser, viva o livre arbítrio, mas usemos uma pouquinho a cabeça para saber diferenciar o que é o "topa tudo por dinheiro!" e um documentário instrutivo! Vc já viu que programas educacionais tem audiência menor que programas fracos do entretenimento para a massa?  O que vc pensa disto? O que são fotos e textos compartilhados sem autoria? Quem leva o mérito disto?
O que é autoria? Autoria é o resultado de um gesto intelectual... torna-se autor todo vivente que "cria" o material, seja foto, música ou texto. Seja o que for o resultado, foi produzido e idealizado por alguém? Isto é importante... que o leitor saiba o que foi criado ou compartilhado por um site. Sem autor, o criador, não há compartilhamento, não há entretenimento. O compartilhador é um promotor do autor... e assim deve ser visto! Não é mais gênio que aquele que cria os materiais... embora seja o promotor quem muitas vezes leva o brilho do resultado.

San Francisco para bicicletas

San Francisco, 2014.
As bicicletas de San Francisco... o que dizer de tantas bicicletas em uma cidade que respira mobilidade? Porque não copiamos os bons exemplos... em contraponto, a cidade que resido, Porto Alegre, vejo ainda uma qualidade em relação a média nacional. Não que seja uma vantagem... ou seria tipo: "temos quase o menos pior de todo Brasil!" Que rica vantagem!
A cidade de San Francisco é uma gigante no assunto, pq o trânsito pode ser realmente caótico. Assim dizem os locais que reafirmam sobre os novos dias depois que medidas foram tomadas... bicicletas e transporte público de qualidade. Há situações variadas que incentivam o uso de bicicletas, em primeiro lugar a limitação dos automóveis. Estacionamentos caros, liberdade verdadeira para a bicicleta, opções de locação de bicicletas, etc. Pense em tudo que desfavorece o automóvel e em tudo que favorece a bicicleta... é São Francisco! Agradecimentos a Revista Bicicleta, por me permitir registrar histórias e bicicletas. 

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

As pegadas de um fotojornalista da bicicleta...

Eu, meus pés e minhas aspirações, em Garibaldi, 2014.
No meio da estrada tinha um lugar vazio...era um ótimo lugar para descansar as pernas e observar os ciclistas que se aproximavam. Senti várias vezes o sol queimar o topo da cabeça, mas isto é coisa que não me incomoda mais. Me desconcentra um pouco os borrachudos, insistentes, que voavam em torno do rosto e ouvidos. O repelente resolveu o problema... evidente! Eu fiquei ali pensando na prova, no movimento dos ciclistas e no esforço que eles fazem para se fazerem presentes. Aliás, esforço que todos nós fazemos... sempre, inclusive quem trabalha nas demais provas, pq uma modalidade acontece uma vez por mês, se tanto, mas no restante do mês tem outras provas rolando. Ano passado eu me vi em situações complicadas para prosseguir, entre a cruz e a espada, ou melhor, entre meus sonhos e a realidade. Aos poucos eu fui insistindo, dando murro em ponta de faca, eternizando a luz de cada segundo de algumas pessoas. Eu gosto de ver a estrada pq ela me faz perceber até onde já fui... se valeu? Valeu, nunca tive tantos amigos, tanta satisfação pessoal! O barato de tudo, depois de anos fazendo a mesma coisa é perceber que vc deixou uma marca, que jamais poderá ser apagada... e nela estará um pouquinho do seu próprio coração e a recordação das famílias. Valeu muito chegar até aqui... não é o dinheiro, tampouco outras conquistas supostas por aqueles que olham de fora. O que valeu mesmo é saber que deixei uma pequena marca boa, alimentei bons hábitos e preguei os princípios da bicicleta. Eu soltei fotos ao vento... e fotos ao vento, jamais serão esquecidas. Um abraço...

1300 são os quilômetros dirigidos no final de semana... "A resenha fotográfica da semana!"

Ciclista retornando de Muçum, nas imediações de Encantado, Audax 1000 km da SAC, 2014.

Ciclistas e colaboradores repousando para enfrentar o penúltimo dia de Audax 1000 km da SAC, 2014. 

Ciclista em direção a Barros Cassal, Audax 1000 km da SAC, 2014.

Ciclista do XCM da FGC, Volta da Champanha finalizando a prova, 2014. 

Muita subida, ciclistas enfrentaram forte calor em Garibaldi, 2014.