domingo, 25 de agosto de 2013

Chuva... pau na máquina, clica, clica, clica, incansavelmente!

Chove... choveu, e continua chovendo. Choveu a noite inteira novamente. Três importantes eventos da bicicleta transferidos, hoje pela manhã fui trabalhar com a UNISC/FUNDERGS e também cancelaram os jogos pq o ginásio do CETE tem goteiras e molhou muito a quadra. Na rua, algumas vias de Porto Alegre estavam intransitáveis, com água pelo meio da roda. Com chuva fraca, mas constante, mesmo assim não dá conta o escoamento. A cidade de Porto Alegre, capital do RS, do Brasil da Copa e das Olimpíadas não tem preparo ou administração para suportar estas condições. Chove pra caracoles... chove sem parar! Aproveito pra me lembrar desta prova em 2011, onde travei a máquina de tanto que molhou... trabalhei feito bicho, de calçados e roupas molhadas, recebi o castigo da tecnologia, onde a Canon dizia: "Resistente a poeira e chuva!"
Ah, pára... não é verdade, pensei até que era defeito, mas depois que o colega de trabalho passou a mesma coisa com o mesmo modelo de câmera, percebi que era um problema do modelo. Único... pq é uma câmera fantástica a tal 7D. Agora em viagem compro outra... fico com duas novinhas pra eternizar o que mais gosto. Estes pilotos, bikers, velozes e especiais... sob chuva, sol, a gente sempre esta lá. Faca nos dentes, sangue nos olhos... gente que arrebenta faça chuva ou faça sol. O flash que fez a foto é aquele que quebrei no Brasileiro de downhill 2013, não existe mais. Roda pra frente novas histórias pra contar.