quarta-feira, 26 de junho de 2013

Postagens menos frequentes... e segue o rumo!

Ultimamente as postagens ficaram menos frequentes. Viajei bastante nas últimas semanas. Estive no Rio de Janeiro, estive em diversas cidades do RS. Com o carro, andei mais ou menos uns 2000 km nas últimas 3 semanas. Isto é muito mais do que aceito em termos de condição de dirigir um veículo automotor. Lamento por isto... e lamento ter tido menos tempo para o blog. Felizmente tenho conseguido alguns apoios para manter este trabalho com a bicicleta, ainda longe de conseguir viver para fotografar e falar em bicicleta, mas próximo de um ideal. Outra questão é que as mudanças estão acontecendo no Brasil, as atenções se voltaram para manifestações, para o vandalismo, e para outras complicações que o Brasil atravessa em temporal que impede de ver o sol. Neste caso, não vou me manifestar sobre os assuntos, pois as questões políticas não são meu forte. Acredito que existem outras pessoas mais conhecedoras dos assuntos, principalmente da história. E não posso deixar de dizer que há muito tempo o Brasil não traz esperança como cidadão. Não haveria de ocorrer agora, com desequilibrio da economia, quebradeira de vidraças, e outras questões que nem cabe descrever neste espaço. 
Bom, aproveitando a postagem, lembro que a vida é uma estrada. A gente vive, pelo caminho surgem pessoas e coisas, situações de todo tipo, e outras oportunidades de contar histórias. Neste final de semana que passou, teve maratona de MTB em Candelária, que por sinal estava ótimo. No próximo final de semana tem downhill em Sapiranga. A contagem regressiva esta apertando o passo... as mudanças em favor da bicicleta estão acontecendo. No Brasil começa uma história diferente em termos de bicicleta, onde reside uma esperança de mobilidade. O mercado em torno da bicicleta esta se transformando e até mesmo as bicicletas antigas estão sendo bem aproveitadas. Prova disto, que esta cada vez mais difícil encontrar peças diferentes e antigas no garimpo. Roda pra frente... como eu não dizia, há tempos!