quarta-feira, 10 de abril de 2013

Da qualificação profissional... O fotógrafo também tem!


Reflexões sobre a qualificação profissional. Baseado em perguntas que escuto o tempo todo.

Amigo começa uma conversa com amigo fotógrafo...

- “Cara, tu fotografa aniversário de criança?”

Fotógrafo responde:

- “Não, aniversário de criança não faço mais! Faço só fotografia esportiva e comercial!”

Amigo questiona...

- “Pq tu não fotografa aniversário de criança? Não dá dinheiro?”

Fotógrafo responde:

- “Dá pra tirar um dinheiro sim, aliás, é onde mais dá pra ganhar um dinheiro! Dá pra fazer volume de trabalho, com valor legal... dá pra ganhar uma grana sim! Eu não faço aniversário de criança pq acredito na especialização de um profissional! Você compra feijão na farmácia? Você conserta o carro na lavagem de automóveis?”

Amigo pensa... e pergunta:

- “Mas fotografia esportiva não é a mesma coisa que fotografar criança, estão sempre em movimento? Imagem não é foto sempre do mesmo jeito?”

Fotógrafo responde:

- “Supositório é igual a analgésico? Ambos são encontrados na farmácia!”

Fim de conversa... moral da história. Fazer de tudo um pouco, todos fazem. Quem faz qualquer coisa, sempre faz qualquer coisa de um jeito satisfatório ou quase bom, se tanto. Quem se especializa em algo, nunca vai estar no mesmo nível de quem faz qualquer coisa. A diferença pode ser na quantidade, na qualidade, no efeito ou forma do resultado. Quem sabe, muitas vezes vai lá e faz em 10 minutos; quem dá um jeito, leva o dia inteiro e faz mais ou menos. Na fotografia, na oficina de bicicletas, na publicidade, na sapataria, na construção civil... todo mundo pode fazer um pouquinho do que o outro faz, mas o trabalho nunca vai ficar igual ao do profissional que se dedicou para o aperfeiçoamento de uma determinada área.
Não faço foto de moda, não faço foto de criança, não faço casamento, nem aniversário do vovô! Agradeço sempre as indicações e lembranças, mas desta forma justifico os trabalhos que neguei. Não faço pq não estou preparado para tais tipos de trabalho, me preparo para outros trabalhos que certamente não podem ser realizados por qualquer um. Não se trata de seleção de trabalho por nível, classe social, aparência, etc! Escolhi justamente as áreas menos valorizadas do mercado, me identifico com certos segmentos e acredito na qualificação. Elaborei o diálogo com base em vivências pessoais ao longo deste trabalho.