segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Maratona de Barra do Ribeiro 2013

Maratona de Barra do Ribeiro
Foi um espetáculo da bicicleta, especialmente se o brilho da prova não fosse enterrado pela tragédia que ocorrera horas antes no interior do RS. Nó na garganta... Como comemorar isto e o show da bicicleta sabendo que milhares sofrem com a perda de 200 e tantos jovens. Passei o resto do Domingo e as primeira horas de segunda feira pensando no que dizer... Poderia simplesmente dizer que isto não é da conta do ciclismo gaúcho e manter a todos nós a distância sobre esta tragédia que ocorreu em Santa Maria. Não acho que seria moral de minha parte tal atitude, então farei uma pequena reflexão ao fato. Após conversar com a família e amigos, decidi que não abordaria culpas. A culpa pode ter vários responsáveis, mas com certeza nenhum dos filhos, irmãos, amigos falecidos voltará. O mais triste de toda mágica é que ela acaba, em algum momento ela termina. Não há como prever onde e quando é o lugar ideal para estar, pois o acaso traz de forma oculta todos os riscos. Seja na estrada, na calçada, em casa, ou em uma danceteria. Prefiro não atacar, prefiro me acalmar e pensar nas histórias de cada um. Luciana, Fabiano, André... muitos deles boas pessoas, esforçados, intensos, alguns desligados, divertidos, responsáveis. Os adjetivos de cada um pouco importam, mas sim o quanto eram importantes para as famílias. Os celulares tocam, mas eles jamais atenderão. É de angustiar qualquer um, próximo ou distante que seja capaz de entender o fato. Para isto, basta sensibilidade. Não acho saudável dispor das imagens das pessoas durante a tragédia... o que isto poderia fazer por nós? Que tal pressionarmos o sistema, advertirmos o funcionalismo público para estas situações, onde o controle pode minimizar riscos e novas vítimas. Que tal conduzirmos os veículos de forma sóbria, consciente, prudente! Sempre há algo para melhorar! Pensemos em como tornar o mundo melhor, mesmo que pareça impossível, improvável e uma batalha de um vivente só. Nós, estivemos lá nas estradas de chão, cada um em uma função. Ciclistas, fiscais, apoiadores, colaboradores, etc e promovemos um grande evento em favor do esporte que descreve a paz. Então, dedicamos este e todos os dias de alegria as vítimas. Que elas encontrem o que for preciso, que a paz seja um carinho para os familiares, e que consigamos melhorar este mundo através de nossas ações. Lamento aos colegas ciclistas, mas nesta oportunidade não farei considerações a respeito da prova. As imagens estão disponíveis no link abaixo da imagem que representa o álbum.