sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Encerramento do Campeoanto Gáucho de Downhill 2013

Presidente da FGC, Marcos Lorenz a esquerda, e Tiago Lumertz, dirigente da Camptrail, com o troféu.

A equipe Camptrail ATAC Kamikaze Bikes consagrou-se campeã pelo campeonato gaúcho de downhill com aproximadamente 600 pontos de diferença da segunda colocada. A ADHV, uma das equipes favoritas, também uma das mais fortes do país, teve destaques como Lucas Bertol, o Menino Fantasma, que ficou com o vice-campeonato. Bertol ficou apenas 5 pontos atrás do grande campeão Maicon Zottis. Zottis fez um ano muito forte, ficando com o campeonato gaúcho, campeonato catarinense, e também com o ranking brasileiro de dh 2013. É praticamente inédito um atleta reunir três títulos máximos no dh brasileiro. O Vento, como é também conhecido Zottis, prepara-se para um 2014 sensacional com novas promessas, novos apoiadores, integrado na Camptrail e mostrando a força do sul do Brasil. Aliás, o sul do Brasil que possui atletas tradicionais como o renomado Markolf, se apresenta com uma nova geração de muita garra e astúcia, exemplos de Bertol, Zottis, Lucas Borba, e os meninos Vieira. O que promete 2014? Bom, isto é o tempo que vai dizer quando vivermos uma descida de cada vez com nossos ídolos. 
O jantar de encerramento do campeonato gaúcho de dh aconteceu em Carlos Barbosa, promovido pela EBNC, em um clima de muita amizade. Para quem esteve lá, palavras não se fazem necessárias... para quem não esteve, recomendo não perder a próxima oportunidade. É uma gurizada boa, de sorriso no rosto, coração quente e amor a um esporte que só faz crescer o espírito da bicicleta, também os valores humanos, e a categoria dos esportes radicais no sul do Brasil. Parabenizamos a Federação Gaúcha de Ciclismo, a Camptrail ATAC Kamikaze Bikes e as demais equipes colaboradoras, assim como amigos e familiares que tornam possível este grande espetáculo. E que venha 2013. Segue o álbum com as imagens do encerramento em Carlos Barbosa, abaixo. 


ps: pessoal, por favor, atenção e paz nas estradas. 

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Ano oficialmente encerrado... boas festas!

Bom dia galera! Hoje pela manhã conversei com o Vinícius Funari que estava organizando o treino em Rolante. O treino precisou ser transferido por falta de resgate na data em questão, questões de fina de ano, férias de funcionários da prefeitura, etc. Por este motivo o treino deve acontecer em Janeiro. Resolvi escrever pra ajudar na divulgação da transferência de data pq tem gente meio contando com o próximo sábado pra treinar. Então fica avisado... e aproveito a oportunidade para desejar boas festas, boas reflexões, um 2014 de realizações, paz, saúde e muita força de vontade pra todos. A foto é do ano passado... amigo Xuxu em Galópolis. Aliás, Xuxu, mas que calor nesta roupa de papai noel, hein? Cruzes...
O ano foi muito importante para os esportes da bicicleta e para a mobilidade urbana. A gente percebe que as pessoas estão fazendo muito mais pela bicicleta que os governos federal e estadual, bem como a prefeitura de Porto Alegre, que é uma desilusão para os moradores e visitantes da capital. Eu gostaria de pedir duas coisas... iluminação para estas governantes e motoristas que ainda não se convenceram desta importância. Também gostaria de pedir paz no trânsito, principalmente para esta gurizada boa da bicicleta, pq a estatística mostra algo sempre muito ruim para a data. Sejamos sensatos para desfrutar junto dos amigos e família, esta que chamamos de vida, pq é apenas uma que recebemos de presente.

domingo, 15 de dezembro de 2013

A última etapa do campeonato gaúcho de meio fundo 2013 - Imagens

imagens da prova
Aconteceu neste domingo, 15 de dezembro de 2013, a última etapa do campeonato gaúcho e meio fundo. A prova determinou classificação geram do campeonato gaúcho de meio fundo 2013 e também marcou a premiação do campeonato de resistência. Foram realizadas as três premiações, da etapa, e dos campeonatos de meio fundo e resistência. Após o encerramento das provas, inciou prova de duatlo na estrutura da Federação Gaúcha de Ciclismo, gestão da FGTRI. No local compareceu público da cidade, inclusive alguns "fixeiros". A prova de ciclismo contou com categoria especial destinada a paratletas. A última etapa do campeonato gaúcho de meio fundo foi marcada com forte calor, mesmo assim, atletas e espectadores permaneceram até o final do evento. Agradecemos a todos os presentes e desejamos um 2014 especial. 

sábado, 14 de dezembro de 2013

A socialização do esporte e fim de 2013

Outro ano encerra... características diversas sobre a perspectiva que observamos, e cá estamos, em meio as reflexões da consequência vivida. O ofício que realizo, faço com o maior prazer e alegria do mundo, pq realmente amo a fotografia, mas principalmente o jornalismo esportivo. Ontem a noite eu e a esposa sentamos a mesa de gente jovem. Conversando e observado a "gurizada" que estava entre nós, falamos sobre as idades. Com 37 anos de idade, posso praticamente ser pai de muitos ali com seus 17-20 anos, bastava o incidente de ser pai adolescente. No entanto, talvez a minha cabeça jovem e perfeita receptividade da galerinha, me senti equiparado com eles. É muito bom estar em meio a gurizada. Minha esposa certamente percebeu e permitiu que naquela janta de encerramento do downhill 2013 do RS, eu fosse mais uma vez uma criança. Eu estava tão feliz que não queria ir embora... como piá que não abandona o escorregador. Eu abracei alguns rapazes, me despedi também das mães, namoradas, pais dos pilotos, partindo numa sensação de "o que eu deixaria para trás" se fugisse deste mundo. Vcs são especiais... amáveis, divertidos, cada um ao seu jeito. Acho que ali reside uma família do destino, realmente. Fico agradecido pelas oportunidades não somente de trabalho, mas de participar de uma família. Foi então que eu percebi que eu fazia parte disto, cada segundo, como profissional, mas como parte de uma família especial. A vida é feita de realidade, embora eu seja um sonhador nascido no pensamento do "nunca crescer". A premiação de downhill foi muito simples, perfeita. Era como estar em casa no sofá, fazendo um "amigo secreto" na expectativa de quem seria chamado para receber as honras informais. Ora, eu estava lá mais uma vez, sendo um vivente que realiza o sonho de viver um mundo tão irreal que possa parecer o downhill, mas perfeitamente humano. Eu espero, de coração, que este coletivo de meninos de todas as idades possam continuar descendo e descendo ladeiras, e principalmente, que o show dos "bastidores" continue existindo. Pilotos e familiares se encontrando depois de percorrer centenas de km para estar ali, junto a Peter Pan. Meus amigos... o ano terminou, mas para nós, como diz Maicon Zottis: "não existe isto de fim de ano, fim de ciclo, a vida segue passando e as oportunidades acontecendo!" Um garoto com mais de 10 anos menos que eu, que me ensina sempre, assim como muitos outros que não ousaria citar aqui por não haver espaço para. Eles são centenas de boas referências... este é o downhill gaúcho. Que seja exemplo para outros estados... "sirvam nossas façanhas de modelo a toda terra!" Um abraço apertado para todos meus amigos downhilleiros.

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

As imagens da última etapa do campeonato gaúcho de DH 2013

Imagens da prova

A última etapa do DH... Maicon é campeão gaúcho 2013

O ano passou voando... não fazia muito que havia começado, e finalizou como em um passo da mágica. Mágica é a vida no DH, onde tanto acontece de forma favorável a bicicleta. Amizades, exercício saudável para mente e para o corpo, técnicas e pilotos que surgem a cada prova. Este é o DH brasileiro, variado como dizem ser o futebol... mas não esqueçamos que no DH tudo finaliza no maior clima de amizade, enquanto o futebol acabou em pancadaria mais uma vez de acordo com as emissoras de TV. 
Este foi um grande ano para o DH gaúcho... nós vimos nosso ídolo e amigo, Maicon Zottis, ser uma estrela da humildade em meio as feras do esporte. O guri tem sangue bom... ele não se abala com o status, tampouco com os troféus. Eu vi ele dizer ontem após a prova: "Eu só quero correr downhill, me divertir!"
Sábado, Maicon Zottis fez qualify perfeito... 4 segundos mais rápido que outro garoto da velocidade, Lucas Bertol. Ambos, amigos, descem a ladeira, pegam a estrada juntos... chegam nas cidades das provas pra mostrar a qualidade gaúcha do downhill. Isto é mais um ponto que podemos oferecer... não há competição interna, há amizade, sabedoria e coleguismo. Ocorre sim um incentivo a rivalidade por parte de quem não corre ou de quem não tem noção do que é o esporte, mas a gente têm que saber driblar isto. Isto faz de nós, mais uma vez, sábios! 
O vento fazia descida perfeita ou quase até a intermediária, quando escorregou e perdeu valiosos segundos, necessitando de uma retomada onde não há grande inclinação. Para aqueles que desconhecem o esporte, os pontos de potencial para retomada são justamente os terrenos ingrimes e livres de obstáculos. Por conta disto, ele finalizou em terceiro lugar. Faz parte do esporte... hoje o brilho, amanhã uma deslizada, depois de amanhã outra vitória. É a construção do atleta... e este têm muito o que crescer. O ano de 2013 já foi brilhante... para frente teremos muito a acrescentar. Zottis, que na outra semana conquistara o título mais alto do campeonato catarinense, agora faz o mesmo no RS. Sim, Zottis é campeão gaúcho e catarinense 2013. Sem esquecer que este atleta contribuiu fortemente para que a Camptrail Atac Kamikaze Bikes fosse a campeã gaúcha. Para Tiago Lumertz, dirigente da equipe, o resultado foi pela construção dedicada, que incentivou da melhor maneira possível seus atletas. "As demais equipes também estão de parabéns, não foi fácil vencer e estamos todos juntos pelo downhill!"
O campeonato gaúcho de DH mostra-se com valor pelos atletas, pelas equipes, pelos incentivadores, sejam familiares ou amigos.

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Contra a mutilação do Plano Cicloviário de Porto Alegre


Ciclistas... cidadãos que pedem que a prefeitura cumpra a lei. Não é estranho que cidadãos precisem "pedir pelo amor de Deus" que seja cumprida a lei municipal? Isto não faz da prefeitura uma infratora? Pq a prefeitura não "paga os pecados" como faz o cidadão que sai da linha? Motorista de Porto Alegre que comete uma infração leva multa, pontuação e punição no bolso... pq a prefeitura não paga por seus erros, pq o prefeito não responde por isto? Quantos ciclistas e pedestres precisarão ter prejuízos a saúde para que a prefeitura e a EPTC tenham uma postura de acordo. Se fosse uma empresa privada ainda estaria de pé ou já teria quebrado? Quantas perguntas nos fizemos e fazemos diariamente... pq? Estas são perguntas em comum entre os cidadãos de Porto Alegre, sejam motoristas, ciclistas ou pedestres... nem entremos nas questões relativas aos portadores de necessidades especiais, embora sejam tão merecedores de atenção quanto ciclistas. O que eu vi ontem em Porto Alegre? Bom, eu vi um dos protestos mais belos, ordenados, e justos de Porto Alegre. Vi que houve intenção de um pequeno grupo que caminhava em meio aos ciclistas, com alguma intenção diferente do real propósito. Foram intimidados pacificamente pelos ciclistas... como intimidar? Fotografe! Não permitiremos que maus elementos tomem atitudes em nome de um grupo para efeito negativo. Estes elementos foram fotografados... seus rostos estão guardados e protegidos. As imagens virão a tona somente em caso de necessidade. Isto é para que todos saibam que pessoas de bem querem melhorias e não permitirão vandalismo... e o que podemos dizer é que foi tudo perfeito!Foi um protesto amigável, com apoio dos motoristas bloqueados que batiam palmas em favor de um ideal. Quem não foi... sinto dizer, perdeu! 
O plano cicloviário de Porto Alegre corre risco de ser alterado... já não bastasse a prefeitura não cumprir o que diz a lei, pede agora para que seja modificado. Têm motivo? Não tem... a prefeitura na questão mobilidade urbana é incompetente na visão da população. E estamos falando de algo que pode ser observado. Quantas são as atribuições não realizadas pela prefeitura que estão ocultas para grande parte da população? Escrevo como cidadão... me sinto revoltado mais uma vez por uma prefeitura que certamente é incapaz de prosseguir. Com ela... segue toda uma corja de maus hábitos praticados por funcionários omissos, talvez tão incapazes quanto o gestor. 
Estás curioso sobre o que acontece? Quer saber mais deste protesto... recomendo que vá ao próximo, pois o que vi me deixou surpreso, me deixou feliz! Recomendo para vc... dê seu voto de confiança, compareça! Comprove por si próprio... 
Aproveitando a oportunidade, informo que a cobertura fotográfica esta em Branco e Preto com finalidade exclusiva de valorizar o protesto. O branco e preto, ou preto e branco para muitos, é uma forma de expressar o protesto! O material está disponível para cópia, compartilhamento, etc

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Um evento de sucesso...

Recebi algumas mensagens de apoio e elogio para o trabalho que executamos no último desafio com a SAC e o POA Bikers. Isto aconteceu também em algumas provas de XC, XCM e DH... estas últimas três são provas competitivas organizadas pela FGC. O pivô da postagem foi um elogio vindo de um ciclista e amigo... mas eu recebi cerca de 10 mensagens de carinho para o trabalho que realizo junto dos organizadores. O que penso sobre as provas... bem, eu fico muito surpreso quando não vejo cobertura fotográfica em eventos de volume de ciclistas, também válido para outros esportes não relacionados a bicicleta. Fico pensando na mágica divulgação que se faz para o pós prova, também para provas que virão a seguir. Como se divulga algo sem imagem? Ou como utilizar uma foto de celular ou maquineta digital para divulgar um evento esportivo? Fotos não profissionais... são fotos de eventos não profissionais. É o que me parece... Neste evento chamado de Desafio Misto Zona Sul, da SAC e do POA, fui contratado para realizar uma cobertura fotográfica que descrevesse o evento e que possibilitasse alguma recordação aos participantes. Por isto, foram disponibilizadas imagens em tamanho médio de arquivo em 2 megas. Sim, foram 700 e poucas imagens disponíveis para download... quem pagou por isto? Tudo junto... a inscrição dos participantes, apoios patrocinadores, mas isto foi uma vontade grande de fazer um evento de sucesso! A organização queria fazer diferente... eles acreditam na publicidade, na divulgação, e fizeram de uma maneira que fosse viável me pagar por isto. Este trabalho é muito mais viável do que a maioria imagina... se vc contratasse um profissional para fotografar o aniversário do seu filho, posso garantir que custaria mais que isto. Agora pq grande parte dos organizadores não querem pagar por este trabalho? Não sei a resposta exata... mas deixo vc com um minuto de reflexão. Vc quer participar de provas que tem cobertura de verdade ou quer ter recordações de brinquedo? Se o evento Desafio Misto do último domingo foi um sucesso, agradeça ao Pablo, Ninki e aos apoiadores do evento. Estes merecem os parabéns... eu fiz apenas meu trabalho! 

Desafio Misto da Zona Sul 2013


No último domingo, dia 04 de dezembro, aconteceu o Desafio Misto da Zona Sul 2013. A prova com trajeto de 100 km, promovida pela Sociedade Audax de Ciclismo e pelo POA Bikers, reuniu aproximadamente 200 ciclistas. Embora a previsão do tempo apontasse chuva para a data, os ciclistas foram surpreendidos por forte calor e tempo seco. O desafio em questão se assemelha muito a um brevet tipo Audax, possuindo mesmos moldes de fiscalização e proporcional prazo para conclusão. Os ciclistas que completaram a prova dentro do período foram contemplados com medalhas e certificados exclusivos. De acordo com diretora da SAC, Sirlei Ninki, a oportunidade oferecida é um exercício assistido e controlado para ciclistas da longa distância, e também uma forma de criar novos entusiastas da estrada. "Muitos destes novos ciclistas farão provas de 200 km em 2014", completa a organizadora do evento.
O estilo de prova não competitiva é uma modalidade que cresce porquê oferece um trajeto com certa infraestrutura, carros de apoio e colegas voluntários que também são ciclistas. O fato da prova ser organizada, montada e assistida por ciclistas, transforma o evento em uma opção de longa distância para treino ou superação pessoal.




Os links acima são temporários, por este motivo recomendamos que vc faça o download das imagens que gostaria de guardar. Estes links estarão habilitados e disponíveis até 31 de Dezembro de 2013. Depois serão descartados para liberação de espaço no banco de imagens. 

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Full professional... sangue nos olhos é pra quem tem sede de conseguir!

Olhos ávidos... este parece ser o maior dom de um fotógrafo. Talvez seja... talvez seja apenas mais um!
O grande barato de estar me sentindo mais velho, e esta é uma postagem sobre este que vos escreve, se resume ao conhecimento e experiência de vida. Nunca me imaginei com esta idade, aos curiosos, 37 anos... me vejo batendo na porta dos 40 anos, porém não pareço ter a aparência de 4 décadas vividas, ou pelo menos assim penso. Esta relação de aparência de idade e experiência de vida têm sido motivo de muitas reflexões na minha caminhada de Andarilho curioso... "Walker", como me chama o amigo e biker Kamikaze. Aliás, esta é outra particularidade da vivência... as pessoas que passam por tua vida, passam ser vc, e vice versa. Somos um pouquinho de cada um, cada um pouquinho de nós, bastando que ofereçamos algo "nutritivo" a mente alheia. A caminhada de vida nos leva para uma única certeza... é assustadora, chamam de fim de linha. Morte para aqueles que preferem algo mais explícito. Quando guri eu não tinha medo da morte, quando adolescente também não... hoje, tenho medo dela, mas eu vivo pq sei que a única maneira de aproveitar a vida até a hora citada, será realmente desfrutar do tempo, das pessoas e das coisas ao meu redor. Tempo de pescar, pesque... tempo de trabalhar, trabalhe! Vai pedalar? Por favor, faça todos os dias... pq este é o trabalho e prazer da vida que junta tudo em um único objeto. Vc vai trabalhar a mente sua e das pessoas ao seu redor, isto tem valor como poucas situações da vida. 
Certo dia fiquei refletindo sobre a vivência de um pequeno louva-deus, ele agitava-se rápido ao me observar em movimento. E foi então que percebi que este carinha tinha um talento nato para fotografia, se fosse humano, é claro! Os olhos eram ávidos e a resposta se dava no movimento de reação... ele sobre a madeira, eu sobre o chão firme, centenas de milhares de vezes mais pesado do que ele, percebi que havia medo. Sim, medo ou instinto... mas ele nem por isto desistia de esquivar-se da lente da câmera. Imaginava ele, em vão, que seria, talvez, devorado... Ora, tenho eu cara de devorador de insetos? Não, mas para ele algo dizia: "Preciso fugir deste gigante que quer me capturar com este equipamento!" 
Pobre animais que vivem ao medo de nós, os espertos, e que muitas vezes são realmente devorados. Na vida, olhos ávidos e reação instantânea é uma necessidade para os profissionais. Verdade que em cada situação, uma necessidade, mas não podemos deixar de pensar que os fotógrafos... em seu exercício jornalístico não passam de grandes jogadores do imprevisto. Pessoas e objetos em movimento, circunstâncias únicas, necessidade de resposta imediata. Um mundo canibal de profissionais para garantir a sobrevivência do mais apto? Sim, cá estamos, todos nós... em processo de seleção. Temos sangue nos olhos, temos "vontade" de conseguir a melhor foto! Aguenta mais um pouco? Ok... Não temos opção! Esta em nosso sangue, história... esta em nossos olhos, olhos ávidos!

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Refletindo sobre ação de massa de cidadãos...

A pressão de uma massa para ocorrência de mudanças necessárias é um fator essencial para alterações e transformações na forma de pensar da sociedade. Precisamos de melhorias no trânsito para viver com mais qualidade e não resta dúvidas de que existe algo para ser regulado... este algo é o uso do automóvel.
Acho que todas as pessoas querem as tais melhorias de trânsito, algumas acreditam que de qualquer maneira se consegue as melhorias, sejamos vistos como bons ou com outros olhares, mas alguns não se importam como serão vistos. Na verdade, como somos vistos ou avaliados pouco importa, pois com o passar do tempo as mudanças emplacam e as ações são esquecidas. Mais ou menos... talvez não seja bem assim! Para um percentual do grupo que teme ou rejeita participar pq discorda das ações de uma minoria, isto pode ser a diferença entre receber o apoio ou a rejeição da sociedade que assiste alguma classe em sua reivindicação. Não há como julgar quem quer ou não quer participar se a palavra que corre mais solta nos grupos extremistas é a democracia. E é um direito do cidadão pensar ou refletir como se sentira quando estiver fusionado ao volume. Sempre que somos parte de um volume passamos a aceitar os adjetivos de grupo... e infelizmente, de forma completamente democrática, não se sentem em equilíbrio total com o volume. 
Tenho também meus princípios, ideais, etc que vão muito além do que pensam as pessoas, retratam o que sinto e que tenho de consciência (ônus e bônus de culpa ou aceitação). Isto prejudica alguém? parece que não... pq ser julgado ou criticado. A opção de trabalho, de vida, de luta, de princípios morais é uma escolha... agrade ou não, se trata de livre arbítrio. As pessoas não entendem o que é livre arbítrio... é o direito de escolha! Simples assim... escolhi atravessar a rua para comprar o pão da padaria do lado oposto, mesmo que houvesse outra no mesmo lado da rua. A escolha é nossa! Agora, de uma forma bem democrática, eu e muitos outros se sentem no direito e até mesmo no dever de discordar e de concordar. Não há desconhecimento e descontentamento total sobre a massa, há diferenças pessoais (eu as julgo saudáveis) que descrevem a individualidade de cada um. Esta individualidade permite os mesmos objetivos, outros caminhos, mesmos sonhos, embora muitos entendam que as escolhas devam ser as mesmas para interação de um grupo... o que não é verídico e tampouco funcional em termos de democracia. Estas discussões são saudáveis, construtivas, e permitem que façamos o possível para compreender o que passa na cabeça alheia. Hoje, tenho raiva do trânsito, por estresses que ele me causa, por mortes que ouço e observo, mas ainda sim me permito o uso do veículo como meio de transporte, necessário, tão vital como qualquer ação de ir ao supermercado, já que não planto um pé de alface, não terei opção do que comer nas refeições. Somos prisioneiros de um sistema... para nos libertar completamente deste, precisaremos do "êxodo urbano". De outra forma não seria viável mudar tudo que precisamos... somos uma doença ao planeta. Vamos nos auto consumir até que o limite seja imposto pelo espaço, ar ou alimento. Dentre estas relações, estão inúmeros maus hábitos, incluindo os individualistas, o carro, o julgamento de quem faz o que, os extremismos de ambos os lados. Aliás, esta é uma frase tão comum a forma de pensar das pessoas... "o extremismo mata a liberdade!" Notável aos carros que consumiram as ruas e resistem em as deixar, aos anticarros que esquecem que não há sociedade sem os tais veículos. Nem táxis, nem ambulâncias, nem policias, nem coleta de lixo, distribuição de alimentos nas redes de mercados, tampouco medicamentos, etc. É tudo tão complicado quando o assunto é ideal combinado a decisão das pessoas. Agora o que mais assusta é a falsa noção de democracia que se vive... onde vandalismo é democracia e exposição de um ideia contrária é oposição desmerecedora de atenção. "E viva o eu que sei!"
Quinta feira eu vou participar da bicicletada contra o assassinato ao plano cicloviário de Porto Alegre... o que a prefeitura quer para o plano cicloviário é imoral! Agora, não jogarei nenhuma pedra... eu acredito na bicicleta e na máquina fotográfica como armas da paz. Nesta combinação não deve estar presente nenhuma intenção violenta, pois a ação de um unifica o valor de um grupo, aceitamos ou não, esta é a realidade. Para vencer a prefeitura precisamos de superioridade... aliás, esta prefeitura já perdeu, apenas ainda não sabe.

domingo, 1 de dezembro de 2013

Desafio Misto da Zona Sul... 100 km de diversão e calor!

Bom... muitos esperavam pelas fotos de imediato, mas estamos preparando as mesmas para divulgação do evento e recordação dos participantes. As imagens serão disponibilizadas em formato para impressão 10 x 15 ou até mesmo 20 x 25 cm, assim garantimos uma boa recordação. Não esqueçamos que serão muitas imagens, e por isto é realmente complicado disponibilizar este arquivo todo de única vez para todos. A prova foi linda... foi dureza também! O trajeto de chão batido com costeletas foi um belo desafio de terra para quem estava participando pela primeira vez, também aos demais, devido ao calor. Ocorreram pouquíssimas desistências, e o limite de vagas para inscritos é uma ação muito sábia da organização. Eles limitam para oferecer uma estrutura de qualidade e assim ocorre! Raras vezes vi organização disponibilizar um carro de apoio para desistentes, cobertura fotográfica "de verdade", medalhas, certificados e um molde bem semelhante aos brevets Audax. Pra ser sincero... só vi este tipo de organização padronizada e que lembre um Audax nesta união do POA Bikers com a Sociedade Audax de Ciclismo, em sua terceira ação bem sucedida. Peço que os ciclistas aguentem um pouquinho para desfrutar das 700 imagens que produzimos neste dia especial. É uma questão de de organizar, colocar a marca do apoiador, e subir as imagens para o Drive. Sei que todos ficarão satisfeitos com o trabalho que realizamos. Fiz questão de registrar todos os participantes, até mesmo aqueles que são mágicos em ficar se escondendo atrás dos colegas. E aproveitando a oportunidade... segue pedido. Por favor, não fiquem tão aglomerados ao perceber que estão sendo eternizados. É para vcs mesmo, peço para garantir a recordação de cada um. No mais... agradecimentos a Sociedade Audax de Ciclismo e ao POA Bikers, especialmente e respectivamente, a Ninki e ao Pablo. 

sábado, 30 de novembro de 2013

Massa Crítica... protesto de passeio com força na voz e no pedal!


Um grande volume de ciclistas na última sexta feira do mês... perfeito! Horário de verão, clima de alegria e união em favor da bicicleta e das pessoas. Quanto podemos fazer para promover ações que tragam reflexão para a sociedade? Tenho esta dúvida, assim como muitos devem ser perguntar sobre as mudanças necessárias para um novo recomeço de paz no trânsito. Talvez isto seja apenas um começo... Talvez seja apenas uma evidência de que tudo esta para mudar.
Estivemos lá para garantir que não haveria distorção sobre a informação... o passeio foi de paz. Existe alguém que não sabe comportar-se no protesto passeio? Existe... mas vale lembrar que é uma minoria da minoria! A maioria é do bem, busca uma alternativa para um conjunto que chamamos de sociedade. Pessoas precisam de pessoas... pessoas precisam de bicicletas! Enquanto houver fogo de paz, a mensagem será espalhada e o efeito esperado. Cada última sexta feira de cada mês será e deverá ser uma mensagem como uma martelada. O prego é a bicicleta, ela veio pra ficar. A sociedade vai ter que aceitar que ela é o mais importante veículo dos grandes centros. A prefeitura faz alguma coisa? Não... ao olhos dos ciclistas, dos cidadãos, da mídia, a gestão é um grande papelão que precisa ser bem observado para na próxima eleição ser simplesmente esquecida e evitada. A bicicleta urbana tem valor e necessidade que a prefeitura insiste em abafar, mas o povo não deixa. E o povo vai virar este jogo... a bicicleta é inevitável consequência do futuro. 

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

A força de uma Massa Crítica e as baixas de trânsito!

"Ninguém é plenamente portador da razão..." esta é uma frase comum, certamente recebe entendimento e ouvida por qualquer cidadão "normal" como uma verdade. Entende-se por normal todo cidadão capaz de viver em sociedade, sem ofertar ônus aos seus semelhantes. Eu também acho isto... eu acho inclusive que a guerra do trânsito esta sendo vencida pelo mal. O mal envolve a falta de educação, o desconhecimento de leis, a falta de capacidade de compreender que a pressa própria é menos importante que a segurança do transeunte... seja este transeunte pedestre, ciclista, cachorro, gato, passarinho ou até mesmo uma árvore. Parece uma frase irônica quando se inclui animais e a árvore, mas não esqueçamos que muitas foram as árvores derrubadas das calçadas durante os últimos anos. Quantos carros invadiram o passeio de pedestres derrubando proteções, sinalizações, árvores, muros, etc? Isto é um sinal evidente da falta de coerência ao dirigir, alta velocidade, imperícia! Todo mundo tira carta de motorista, mas nem todo mundo entende o risco de matar ou morrer quando agarra o volante. Porém, arriscar-se não é o maior dos males, morre quem quiser, por imprudência própria, furto da própria imperícia ou responsabilidade. O maior dos problemas é levar inocentes por diante... "Condutor em alta velocidade perdeu o controle do automóvel colidindo contra um poste. Antes de bater ao poste, atropelou sobre a calçada um menino que retornava da escola." Exemplos assim, nem precisam ser fictícios, eles existem de sobra em todas as cidades brasileiras onde o veículo é uma realidade comum. O problema é o automóvel? Não... o problema é o que segura o volante, que também é o mesmo que aperta o acelerador. O uso de tudo, tal como uma faca de cozinha para cortar carne, esta de acordo com o seu portador... ele pode ser um cozinheiro de mão cheia ou um assassino sanguinário nas noites de lua cheia. Como avaliar o uso dos utensílios, objetos, equipamentos? Tudo pode ser perigoso! O uso oferecido para tais veículos pode ser a diferença entre o valor dos mesmos para a sociedade e a destruição de valores, família, sentimentos, traumas, etc. Dias atrás, um pai de família buscava a filha e as amigas em uma festinha. Ao conduzir com prudência e cumprindo o papel de pai cidadão, retornava para casa com as meninas quando foram atingidos por um veículo em alta velocidade que passou o cruzamento no sinal vermelho. Resultado... dor, morte, traumas onde deveria haver apenas alegria... alegria de viver. Quantas vidas serão perdidas até o final deste ano? Quantas serão em 2014? Este é um assunto que deixa qualquer cidadão consciente revoltado, indignado... preso ao uma verdade que parece imutável! Pequenas ações, conversas, motivações, postura de acordo com uma sociedade consciente levará a todos a um patamar que desejaríamos... aqueles que citamos sobre países de primeiro mundo. A moeda têm dois lados... duas verdades! Nem sempre somos donos da razão e quando deixamos de ter certeza, passamos a nos perguntar sobre nossas próprias ações. Se estivermos errados e formos capazes de compreender isto... então estamos em uma nova caminhada, onde os erros serão gradativamente trocados por acertos, e por fim, viveremos em uma sociedade mais justa. 
Sei que a Massa Crítica é vista com problemas por muitos ciclistas de valor, mas esta é a única que temos. Nela há a esperança de atenção, de reflexão, inclusive dos próprios ciclistas. Elevar o nível e o corpo da massa é papel do cidadão ciclista. Converse no seu trabalho com colegas e amigos, a informação causa reflexão, a reflexão gera novos comportamentos! Todo mundo quer paz e direitos, então chega o momento de mostrarmos pq a bicicleta veio pra ficar. Ela veio pra ficar pq é uma opção excelente de promover a mobilidade urbana sem gravidades no trânsito... ela é leve como a tua consciência por praticar ações que geram melhorias para ti e para todo um conjunto de pessoas que chamamos de sociedade. A Massa Crítica acontece hoje no Largo Zumbi dos Palmares, as 18:15 hs. Acontece na última sexta feira de cada mês... vc vai lá ser volume de uma classe de cidadãos que acredita na mudança ou que precisa dela pra viver. 

domingo, 24 de novembro de 2013

Teste de óculos Brookesia da Chromic FX - funcional, confortável e seguro

Brookesia com lentes polarizadas
Durante a Cycle Fair 2012 nos foi solicitado o teste de um óculos da Chromic FX. Os óculos modelo Brookesia com perfil esportivo foram submetidos ao uso noturno com lentes de policarbonato incolor, apresentaram ótimos resultados. Trata-se de um modelo extremamente confortável, durável ao uso e firmes. Embora com hastes pouco curvas o equipamento fica muito bem preso ao rosto, sem trazer nenhum ônus ao conforto. Uma grande vantagem do uso de óculos ao pedalar é a proteção dos olhos contra vento, insetos, galhos de árvores e/ou objetos arremessados pela rodas durante o tráfego veloz. Na condição de lentes incolores de qualidade, se percebeu que o desenho das mesmas impede com muita qualidade a passagem de vento que resseca os olhos. Na imagem, o óculos aparece montado com as lentes polarizadas que filtram certos "reflexos" e assim evitam algum momento de desatenção do ciclista. Pedalar junto de rios, mar ou até mesmo próximo de veículos onde normalmente ocorre reflexo excessivo passa ser um passeio muito mais seguro. As lentes incolores e polarizadas filtram os raios UV, preservando a visão do ciclista, isto é também um grande motivo para utilização do acessório. 
O que mais gostei neste óculos? Bom, acima estão considerações muito importantes, mas se me perguntarem o que mais gostei vou dizer que foi o conforto e a leveza do mesmo. O desenho também me deixou muito satisfeito. Agradecimentos ao Rafael Tuler, da Chromic FX pela oportunidade de testar o produto. Para saber mais... acesse o site do fabricante: chromicfx.com.br

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Downhill do Vinho 2013... quem foi, viu!

Imagens da prova
As expectativas eram diferentes... Quem apostou em Bernardo Cruz, em Maicon Zottis ou até mesmo em Markolf, errou feio. Campeonatos e etapas tem muito disto... a gente imagina uma situação, mas esquece que dentro do jogo existe muita suposição em cima de algo tão variável. Poucos imaginavam que Bertol venceria com tempo único abaixo de 3 minutos. Sim, ele fez tempo abaixo de 3 minutos, sozinho, seguido pelo Vento com 3 minutos e 3 segundos... O fantasma esta de volta! Ainda nos treinos de domingo, Bertol disse poucas palavras, mas afirmou: "se eu conseguir fazer como estava treinando, vou baixar do tempo de qualify!" E o qualify do piloto já havia sido espetacular. Zottis não estava em seu dia, pelo visto, idem para Bernardo que ao que parece escorregou. É parte do game... a gente lamenta sempre por cada um que não chega ao topo por um descuido ou inevitável escorregão. A pista é muito técnica, o tempo de subida para descer é longo demais e é morada de Bertol! O menino fantasma treinou muito neste cenário das uvas. Aliás, falar em bonito é pouco para os parreirais e montanhas verdes. A gente esteve lá e viu um céu azul depois de um temporal na sexta feira... Foi água pra ninguém botar defeito na capital, e lá diz que choveu muito também. 
Bertol foi vencedor, subiu no topo mais alto... agora é contar os pontos para ver como fechou o ranking brasileiro 2013, mas tudo indica Bernardo ou Zottis! Logo mais a gente fala no assunto... e agradecemos a participação de todos.

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Fechamento do Ranking Nacional do Brasileiro de Downhill favorece Maicon

Com o fechamento da pontuação, nos dias 16 e 17 de Novembro, o ranking Brasileiro esta na contagem regressiva. Os favoritos para este grande momento são Maicon Zottis e Bernardo Cruz, ambos lideram o campeonato com 198 e 204 pontos, respectivamente. Com apenas 6 pontos de diferença entre estes experts, certamente teremos um resultado entre os dois. A pista é a mesma onde Bernardo foi campeão em 2012, por outro lado, Zottis está em seu momento ascendente em desempenho e conhece a pista como nenhum outro. O vento se torna favorito por sua garra e determinação, evidente humildade e exemplo aos jovens. O grande dia para os pilotos que disputam a pista com forte possibilidade de umidade será de desafios! Ao barro os bravos serão fortes e darão show em qualquer circunstância. No RS, conhecido como "o Vento", Zottis é ídolo para algumas centenas de pilotos, vestindo camisa da Camptrail / ATAC / Kamikaze Bikes, possui também o apoio do melhor mecânico do Brasil, Kamikaze. A força esta no sul, a fé também... a história vai sendo marcada a ferro nas páginas do downhill brasileiro. Contamos com o grande espetáculo na linha Eulália, em Bento Gonçalves, todos presentes em dois dias de pura magia do esporte da bicicleta que mais cresce no planeta. A organização e estrutura é da Federação Gaúcha de Ciclismo. Para garantir uma final limpa e sem dúvidas, esta confirmada a instalação do equipamento de criação do engenheiro e atleta Leandro Bonfante, com precisão centesimal. O downhill levado a sério, com emoção dos grandes esportes! Quem aposta? Zottis ou Bernardo? Arrisco um nome... ele assume o apelido de vento, e surpreenderá a todos. Desce a montanha...

Video AUDAX BRM200 - 10 de novembro de 2013


No audax 200 km da SAC 2013/2014 fui fazer a cobertura fotográfica e aproveitei para passar o material para o Nícolas, então ele montou três videos com as fotos e com um pequeno video que fiz com a Sony HDR-AS15. É tudo muito simples, mas é uma boa recordação motivadora para toda série 2014. O melhor Audax do Brasil promete muito para 2014. A gente vai fazer um trabalho muito bom... aguarde.

Interbike - Moulton Bicycle... uma inglesa de princípios!


 A Interbike surpreende aos espectadores. Notável por sua diversidade, a feira traz ao conhecimento do mundo, grandes invenções e diferencial. Uma bike como jamais imaginei existir... esta é Moulton! Lembra muito uma dob´ravel, mas tem outros princípios. É uma bicicleta muito bem construída, talvez comparável ao melhor dos carros, como um Aston Martin em capricho. Certamente construída para quem busca algo além de uma simples mobilidade. Descreve-se por estruturas estranhamento contrapostas, "treliçadas", atingindo uma resistência ímpar na questão torção e flexão. Mesmo assim é altamente absorvente das deformidades do pavimento, raro na atualidade.
Ao me aproximar deste "estranho" objeto cuja estrutura lembra uma ponte de aço, percebi um capricho que quase ninguém se preocupa na linha de produção. Soldas finas, perfeitas, encaixes delicados e precisos! Parafusos de qualidade, junções com bordas evidentemente torneadas ou bem trabalhadas. 
Não acredito que algo assim tivesse mercado aqui no Brasil, mas acho importante demonstrar que este tipo de projeto existe lá fora e que possui público e interesse de um fabricante.  Alexander Eric Moulton, inventor e projetista da bicicleta, faleceu cerca de 3 anos atrás. Deixou um legado e é referência até mesmo nos dias de hoje como engenheiro da industria automotiva e aviação. Alguém que é capaz de unir dois mundos distintos a bicicleta, certamente era visionário... hoje, as grandes marcas pensam na bicicleta como uma alternativa ao sofrido segmento da industria automotiva, porém nestes tempos é natural com tendências da sustentabilidade e economia "desequilibrada". Alexander fez isto em outros tempos... veja mais em Moulton Bicycles

Quantas vidas têm um ciclista?


Novos projetos de reconstrução?


As reconstruções por muito tempo estiveram em pause por aqui, mas retomar é preciso, e assim faremos. Estamos metendo a mão na joia acima. Uma Trek Antelope modelo 800. Possui uns atributos muito interessantes, como este da marca em alto relevo, que a torna imortal mesmo quando estiver com pintura diferente. Aliás, quando elas chegam neste ponto, muitas pessoas pensam ser o fim das mesmas... mas bicicletas de virtude enraizada não morrem nem mesmo quando quebradas. Sempre é possível arrumar, por isto estou fazendo estes projetos com danos maiores, para que alguns entusiastas consigam ver que é possível recuperar algo em fim de carreira, ou que não se trata de carreira finalizada. O amigo Tchaka me auxiliou no processo de enxerto de uma parte do frame, agora o próximo passo será dado pelo soldador. Espero algo muito caprichado, onde apenas experts percebam o conserto. E certamente que neste mesmo lugar ela não quebrará mais... 
Tem mais projetos em espera? Sim, depois deste vem outro clássico, também quebrado! Vai voltar para as ruas... vamos rodar, roda pra frente! 

Os passos do mundo e a motivação de ser ciclista cidadão

A primeira vez que eu andei de bicicleta já não lembro... obviamente isto tem uma distância de tempo e ocorreu numa idade que impede o conhecimento preciso de data. Foi em uma monareta ou berlineta, e depois o tempo apagou até mesmo a lembrança que eu tinha desta bicicleta. Pedalei a vida toda, em alguns momentos, mais... em outros menos, mas eu pedalei a vida toda e tenho amigos de diferentes fases da vida testemunhar minha forte ligação. Eu andei longe de casa quando era piá ainda... eu fiz loucuras mil de bicicleta. Eu fui sozinho para a praia quando eu tinha uns 18 anos, fora de temporada, apenas pq eu queria ir. Foram 110 km de reflexão em 4:30 minutos de pernas fortes e paradas para olhar o campo e os riachos. É uma sensação que todos deveriam conhecer. Quando eu me vi adulto achei estranho ter que fazer as coisas de um jeito que a sociedade traçava, pq me ensinaram a vida toda que aquilo era errado. Me ensinaram de um jeito dizendo o que era certo, mas o mundo me prova diariamente que fazer o certo não faz sentido. Mesmo assim insisto... assim como amar a bicicleta, insisto nos princípios passados. Isto até ficou mais evidente quando a minha mãe entrou pra polícia, pq eu sabia que tinha que ajudar no exemplo. Porém, nem tudo que é dentro da lei é certo. Há coisas como ética, como bondade que não se ensina no mundo canibal. Vejo os problemas do cotidiano acabo percebendo que no Brasil temos uma cultura de aceitar o que é errado. As pessoas dizem, fazem, escrevem, manipulam pessoas, verdades em benefício próprio. Elas esperam a oportunidade certa como em um jogo de xadrez. Muitas pessoas apenas vivem e é exatamente isto que devem fazer. Agora, ninguém deve esquecer que existe o oportunismo a espreita... assim é na áfrica com leões e presas. O leão espera a oportunidade pra golpear... menos uma presa, menos desvantagens no sistema. As empresas fazem isto... as pessoas fazem também, as empresas são feitas de pessoas! Quem é leão sabe que é... quem é presa, sabe quem é leão apenas quando assiste uma captura ou a própria queda. Contudo, assim como na África, nem sempre o leão faz vítimas fatais... e a presa fugida fica com uma experiência que permite escapar de uma ou mais armações. Eu não nasci ontem... Eu jamais vou dar chance para que o oportunismo use o que eu disser contra mim e contra os meus, eu jamais vou permitir que isto chegue próximo das pessoas que eu gosto e convivo. Onde eu atuo, cuido... quem me conhece, sabe! Isto é ser ciclista cidadão... ciclista de verdade cuida do trânsito com ações e comportamentos, ciclista aonde quer que esteja faz a mesma coisa como espectador. Preste muita atenção ao que esta em volta... o que te rodeia pode ser um leão e ele também evolui! É cria da sociedade... são os passos do mundo, a lei da selva!

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Brevet 200 km, Sociedade Audax, Andarilhos...

fotografia: Romi MPM
Enquanto realizava a tarefa de eternizar mais um grande brevet da Sociedade Audax de Ciclismo, fui flagrado registrando a prova. Eu já havia sido fotografado antes durante o trabalho, mas nunca havia percebido algo tão evidente em pensamento. Registrar o feito de registro é também preencher o acervo fotográfico da prova. Provar ao mundo que a SAC tem esta preocupação é uma forma de mostrar o diferencial do clube. Aliás, foi neste clube que nasci para a fotografia profissional de bicicletas. Antes, até então, havia feito apenas outros trabalhos, que para mim são de menor relevância. Este é o meu mundo... eu sou um andarilho. Ser um Andarilho é estar aberto as dificuldades da caminhada, é superação! Superação pessoal de obstáculos diversos, assim como aqueles que vão para o brevet com objetivo de completá-lo. Eu, e uns colegas de valor, ajudo na construção de um mundo mais bicicleta que valoriza o lado social da mesma, e não apenas o lado comercial. Agradecimentos a Romi pela foto e aos demais colegas da SAC, bem como a própria Sociedade Audax de Ciclismo, por dias especiais a beira de estrada. 

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

A maior feira das Américas esta na Revista Bicicleta da edição de Novembro! 1200 expositores


 A maior feira das Américas esta na edição de Novembro de 2013. Lá você vai encontrar 7 páginas sobre a feira, estrutura local e a resposta para a pergunta. Porquê uma feira com 1200 expositores é realizada em meio ao deserto? Uma das grandes e notáveis abordagens da feira é o forte ressurgimento do Cr-Mo como material de qualidade na construção de bicicletas para um público mais exigente em acabamento.
O Cr-Mo esta sendo aplicado em MTBs tradicionais, road bikes, etc
 Assim como em muitas cidades americanas, Las vegas é um exemplo de mobilidade urbana. Ônibus de qualidade e com opção para o transporte de bicicletas demonstra uma preocupação para os cidadãos e usuários do sistema. O ciclista aguarda o "ok" do motorista, abaixa o dispositivo que prende a bicicleta, e ingressa no bus. Simples, sem mistérios, na maior educação do mundo... de forma que o ciclista é realmente uma pessoa! Não deixa dúvidas tal situação!
 A feira é tão grande que precisa de um mapeamento o tempo rodo... Dá pra se perder e andar sem rumo lá dentro, e jamais encontrar o que procura por acaso. É uma feira monstruosa... com dezenas de fabricantes e fornecedores de uma mesma linha de produtos. O primeiro andar é focado em fit e o segundo andar é focado somente em bicicletas, acessórios e profissionais do segmento. Mapas espalhados por pontos estratégicos descrevem um diferencial... profissional!
A estrutura externa da feira é de qualidade, trazendo oportunidade para testes que certamente proporcionam o fechamento de grandes negócios. A revista bicicleta testou um modelo de bicicleta elétrica long tail, cuja a qualidade supri as necessidades do seu usuário. A velocidade média, autonomia, dirigibilidade satisfazem perfeitamente o seu usuário com perfil de mobilidade urbana. Outras bikes avaliadas serão descritas no futuro, tais com uma fat bike que invade o mercado americano como tendência. O uso é variado para terrenos acidentados ou de difícil acesso. Passa pela areia, passa pelo charco, passa neve. "Solos" incomuns que são ultrapassados com facilidade, justamente por uma bike bem calçada. Esta e outras novidades do mundo de lá, vc vê aqui e na Revista Bicicleta!

Descaminho vs. contrabando! Pra vc entender...

Imagem meramente ilustrativa. Cambio Dianteiro Shimano STX RC. Roberto Furtado, 2012.

A diferença entre contrabando e descaminho confunde muitas pessoas... por este motivo, abordamos este assunto para que vc não fique equivocado. A mídia da bicicleta precisa usar o termo correto para não propagar o engano. Bicicletas não podem ser contrabandeadas... bicicletas que entram no país sem pagar impostos são fruto de descaminho! Se você trouxer de outro país uma carga de 200 reais em cigarros, mesmo que esteja abaixo das cotas (limites), vc esta sendo um contrabandista, é um crime! Se vc trouxer de fora uma bicicleta cujo valor da mesma é superior ao valor permitido pelas cotas (área ou terrestre), você praticou descaminho. A natureza dos crimes é completamente diferente! Cabe lembrar que é totalmente permitido o ingresso de bicicleta em viagens de fora para o Brasil sem que isto pareça crime. Se vc trouxer dos EUA uma bicicleta cujo valor total foi de 490 dólares, vc esta protegido por um direito. Se este produto exceder a cota em 1 dólar que seja, vc pagará ao Brasil por orientação da Receita Federal um valor de importação de 50% sobre o valor do excedente. Ou seja, 50 cents de dólar para o exemplo de um produto com valor de 501 dólares. Vale lembrar que neste retorno ao Brasil vc deverá declarar o produto espontaneamente. Se vc for surpreendido com material não declarado no ingresso, vc pagará multas e poderá até mesmo perder o material. Contrabando é para produtos cujo o ingresso é proibido no Brasil, exemplo de agrotóxicos, cigarros, dentre outros.

Saiba mais em Contrabando x Descaminho.

As imagens do Audax 200 km da Sociedade Audax de Ciclismo

Imagens do Audax 200 km
O Audax 200 km foi uma oportunidade e tanto para os desafiadores da longa distância. Dentre as modalidades diversas da bicicleta, certamente esta é a mais selecionadora das qualidades do ciclista com relação a resistência. Administrar-se é um dom... saber quanto pode ser feito sem danificar o próprio corpo. Isto é evolução para um ciclista. Ainda nos 200 km sabemos que muitos chegam sem ter uma maturidade trabalhada, pois o corpo jovem e frequentemente treinado aguenta os 200 km. Dos 300 em diante já podemos dizer que os limites aparecem e aqueles que não possuem uma mente equilibrada com o corpo, podem não conseguir. De fato, os 200 km são a primeira prova onde o ciclista da estrada é colocado em teste. Não desmerece o fato de ser a menor das provas, pelo contrário, ela possibilita a reflexão e experimentação de quanto é possível. É nesta que descobrimos que podemos ir além... ou se devemos aguardar e nos preparar. A transição de um ciclista com desejo de superar para um ciclista capaz de devorar qualquer distância esta na estrada, seja ela de 200 ou 1000 km, mas é nos olhos de cada um que o espectador percebe quanto aquele ciclista pode fazer, embora esta seja uma prova de superação pessoal. Chamou a atenção de alguns ciclistas e voluntários o desconhecimento e comportamento de alguns ciclistas durante o brevet. Alguns ciclistas estavam "sprintando" na prova... algo totalmente desnecessário e equivocado. Para este perfil de necessidade existe a FGC. Aqui, não é necessário competir, exceto se for para algum trabalho de ego ferido ou sem confiança. Esta é uma prova de superação pessoal, não combina tal comportamento. Brevet combina com administrar-se, com coleguismo, com apoio aos colegas menos fortes. Sei que muitos iniciantes desconhecem esta finalidade esportiva, mas recomendo conversas com ciclistas experientes da longa distância. 
A prova foi de grande calor e ao fim do dia os ciclistas que ainda estavam na estrada foram surpreendidos com grande chuva. Parabenizamos os confiantes, principalmente as mulheres da prova, pois sabemos que são capazes e necessários para estimular novos "aventureiros" de coração. 

obs: como faço para ter fotos em grande formato? Leia aqui!

domingo, 10 de novembro de 2013

Audax 200 km da SAC... foi São Pedro que fez!

O Audax 200 km da SAC teve muitos ciclistas da primeira viagem na longa distância. Teve experientes com mais de 10 anos de brevet de estrada. Teve calor, mormaço, pneus furados, desistências (poucas) e muita diversão. O audax 200 km teve chuvarada para quem chegou depois das 16 horas. 
Durante todo trajeto se via ao longe nuvens negras e relâmpagos, mas São Pedro segurou tudo que deu antes de largar a tromba dágua. Aqui, definitivamente é a terra das grandes provas e grandes histórias. A gente já presenciou Audax de tudo quanto foi fenômeno climático... já vi até audax cancelado pela tormenta. Já pedalei com granizo, calor ou frio extremo ou com vento forte, mas já assisti os colegas pedalando na neblina fechada. Hoje assisti chuvarada... Quando eu fui embora ainda havia 50 ciclistas para chegar, e quando cheguei em Porto Alegre vi uma das chuvas mais fortes do ano. Acho que aqueles ciclistas pegaram esta chuva. 
Os ciclistas da foto e outros que flagrei próximo do fim da prova estava debaixo de mau tempo. Chuva forte mesmo... 
Todos os participantes merecem um destaque pelo feito de 200 km com calor intenso, mas os últimos, justamente os menos rápidos, sofreram as consequências da impaciência de São Pedro... Ele podia ter segurado mais um pouquinho, mas soltou a bomba na galera. Foi São Pedro que fez o clima de hoje. 
Ser Audaxioso é justamente isto... é lutar com as adversidades e vencer. Vencer a si próprio... 

Obs: amanhã as imagens estarão disponíveis. Boa semana a todos!

sábado, 9 de novembro de 2013

Audax 200 km da Sociedade Audax de Ciclismo 2013/2014 - Cycle Fair 2013

Audax 400 km - fotografia Roberto Furtado
No domingo, último dia da maior feira brasileira do ciclonegócio, a Sociedade Audax de Ciclismo se prepara para lançar na estrada mais de 240 ciclistas em sua prova mais tradicional. O Audax 200 km da SAC é um grande evento que reúne o maior número de homologações no Brasil. Durante a feira, caminhei pelos corredores e vi alguns modelos de bicicleta que se destinam para o uso nas estradas neste conceito touring longa distância de conforto. Não são road bikes... são bicicletas capazes de enfrentar estradas brasileiras de chão batido, acostamento prejudicado e sujo, também para ótima opção de mobilidade nos centros urbanos. 
A verdade é uma só... todo profissional da mídia esta observando que o crescente interesse por estes moldes ciclísticos esta mudando no aspecto econômico e social. Temos das funções simples desempenhadas na sociedade até mesmo grandes cargos, tais como políticos, empresários, e profissionais de alta remuneração e reconhecimento profissional. Nas estradas veremos ciclistas com este perfil. A parte mais importante de tudo é que a bicicleta tem um perfil social globalizado... ela abraça todas as classes sociais. E é este conhecimento que traz novas tendências e comportamentos que permitem um novo estilo de vida. 
As pessoas estão mudando por não aguentarem mais e a vida esta sendo construída sobre esta nova filosofia. Precisamos de tanto? Carros velozes, grandes e caros, equiparados a valores de 50 ou 100 bicicletas de alta qualidade. Pq nos dobramos a este conceito destrutivo e egoísta. Devemos nos conter, a mente sempre quer mais... então, queira mais km percorridos na estrada, uma vida longa, deseje o melhor ao próximo, para uma vida de qualidade. Quem vai? Eu vou ver vc na estrada... vou eternizar vc!

Lista de inscritos da Sociedade Audax de Ciclismo - 200 km 2013/2014

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Abertura oficial da Brasil Cycle Fair 2013


Nesta quinta feira, dia 07 de Novembro, inciaram os trabalhos na maior feira do Brasil. De acordo com a organização do evento estarão presentes 150 expositores variados do segmento da bicicleta. Não é muito fácil imaginar quanto mudou sob alguns aspectos e quanto ainda poderia ser melhor, mas toda caminhada é gradual e seletiva. Os acertos são contabilizados, os erros descartados, o resultado comprovado pela mídia e nas mentes daqueles que lá estiveram ou estarão. Pessoalmente, e este é o perfil completamente pessoal de um Andarilho crítico deste cenário ciclístico, acredito que muitas coisas ficaram a desejar, mas aqui é o Brasil e agente têm que lutar muito até que a coisa realmente caminhe em um patamar que chamaríamos de mínimo. E não podemos esquecer que uma feira deste porte é extremamente difícil de realizar. Seriam milhares de coisas a observar com grande sincronia e antecipação para que tudo funcionasse perfeitamente. Um pequeno exemplo é que ocorreu algum problema no cadastramento da imprensa, uma vez que foi feito para mim na Revista Bicicleta, mas quando cheguei lá precisei fazer novamente. Pequenos detalhes que afastam nós brasileiros da Cycle Fair 2013 dos americanos da Interbike 2013. Ontem, a Revista Bicicleta e mais outros 5 espaços estavam sem luz, e isto já era um problema do dia anterior... os funcionários locais não sabiam o que fazer, arrumar, resolver! Até que por conversar com a pessoa certa, descobrimos o que se passava... bastou 5 minutos para luz voltar! Evidente de que estava tudo certo, faltava saber quem poderia resolver rapidamente, mas antes estes 5 minutos do que as 18 horas que levaram para acender a luz. Algumas imagens percebi que não foram realizadas... sei que vi, pensei ou fiz fotos que muitos não fizeram, acho que faltou uma direção para aqueles que trabalham no segmento, mas sabe como é... criticar é fácil, fazer é difícil, quando chega a hora é isto mesmo! E cá estamos nós, no papel que devemos ter, de críticos... afinal, o espetáculo não acontece sem nós, e certamente fica muito mais enriquecido quando estes apontamentos são observados. 
A Brasil Cycle Fair começa uma caminhada interessante, onde ela vai passar por este experimento e finalmente com a maturidade vai encontrar o eixo certo.

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

A importância da cobertura fotográfica

Por diversas vezes abordei este assunto aqui e também no facebook. Gostaria de não ser tão repetitivo, pois canso a você e a mim com este tipo de abordagem "déjà vu"! Não é de hoje e possivelmente não será amanhã que nós mudaremos a mentalidade da maioria, mas para mudar algum fato precisamos debater e insistir, e nisto me considero muito bom, pois sou teimoso. 
Acho muito interessante quando ciclistas da atualidade me "cobram" por fotos do passado. Alguns álbuns eu ainda mantenho intactos, sem falhas, publicados e mantidos em perfeita ordem. 
Quando alguém me cobra a estocagem dos álbuns me pergunto qual a razão de tanta seriedade e surpresa quando a resposta é negativa. Na data em questão, o ciclista não quis comprar a foto por 10 reais que fosse... depois disto fiz outras dezenas de provas, onde em algumas tal ciclista participou, mas também não solicitou a imagem. Passados talvez três ou mais anos ele surge como fumaça e exige com vigor que a foto lhe seja fornecida. 
Pessoal, não é pra ser engraçado... isto aconteceu, não estamos no "sai de baixo", nem "divina comédia", tampouco na terra de Dorothi e Oz. Aqui é a vida real... chama-se planeta Terra, precisamente Brasil, terra dos impostos, dos elevados custos, dos trabalhos mantidos a duras penas e jornadas de trabalho com 7 dias semanais. Parece importante fotografar os eventos? Para os que responderem sim... direi apenas: "então comprem as fotos ou solicitem aos organizadores que promovam eventos com cobertura fotográfica". Para aqueles que não acham tão relevante como este ciclista que finalmente teve a queda da ficha, respondo que chegaram atrasados, mas que ainda há tempo para garantir a recordação. Não estou apenas mantendo um trabalho de meu interesse, estou a garantir sua recordação no futuro. Para quem interessa mostrar estas imagens? Bem, acredito que aos filhos, netos ou amigos. Estou construindo aqui, eternizando a história de vocês para que não seja esquecida... não parece importante? Bom, se novamente a resposta foi negativa, digo que não vou repetir... estamos, definitivamente em mundos paralelos não relacionados. O caminho para a "terra do nunca" é por ali... eu vou por ela, pq nunca vou me esquecer, tenho fotos para garantir!

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Flagrante do Andarilho... Kamikaze bikes nas ruas!

 O flagrante do Andarilho não é somente uma oportunidade da lançar a verdade sobre os erros na cidade de Porto Alegre. Podemos dizer que flagrar este moço é flagar uma celebridade enquanto se deslocava pelas ruas da cidade. Ele, ele mesmo... conhecido no mundo da alta oficina como Kamika (Kamikaze), de nome muito mais bonito, Juliano!
"Juliano, tenho certeza que teus pais preferem o nome que te deram para a certidão de nascimento."
O profissional da alta oficina, mecânico mais famoso do Brasil, foi flagrado nas ruas de Porto Alegre enquanto se deslocava para entregar um trabalho realizado recentemente. Dizem as más linguas... também as boas, que este herói tem cabeça de aço, e acreditamos ser verdade pq ele não estava usando capacete. "Tu tá de brincation too me, cara?"
Esquecimento ou imprudência? Abriremos uma investigação para apurar os fatos. Na verdade, o que realmente importa é que nós flagramos este famoso da vida real da bicicleta em uma tarefa de "vai entregar ele mesmo!"
Torneiro, técnico, mecânico da alta oficina, também entregador... não tem ruim pra ele! Taí nosso ídolo da alta oficina, arruma qualquer sem solução em suspas. Faz buchas, resolve tudo que em outras oficinas não conseguem. Recebe materiais de todo Brasil! Em tom de brincadeira a gente homenageia este parceiro pq ele está de parabéns por tudo que representa para a bicicleta gaúcha, brasileira, essencialmente bicicleta!


segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Triathlon Nacional SESC 2013 - etapa Tramandaí

fotografia: Roberto Furtado.com / Duathlon de São Leo 2013
  No dia 24 de Novembro acontece em Tramandaí a etapa gaúcha do circuito nacional do Sesc Triatlhon 2013. As inscrições estão limitadas ao dia 22 de Novembro, conforme informações contidas no endereço:
  A prova que já é conhecida entre os praticantes da modalidade esportiva, possui estrutura para receber até 600 atletas entre 8 categorias. Entre os atletas certamente estarão participantes de alto nível, contidos principalmente na categoria Elite de todo Brasil. A prova em questão, etapa de Tramandaí é considerada de média a alta dificuldade devido a possibilidade de ventos moderados a fortes. Estas condições não assustam aos atletas que já conhecem o percurso e condições locais, pois se a dificuldade se eleva... se eleva para todos! 
     O triathlon é um dos esportes da bicicleta que mais recebe atenção da mídia, garantindo uma exposição dos assuntos relacionados as rodas raiadas, bem como outros relacionados ao esporte, saúde e lazer. Esta é sem dúvidas mais uma grande oportunidade do encontro de grandes personalidades da prática esportiva, também uma grande comemoração em favor do esporte que combina perfeitamente com a estação do ano. É tempo de se dedicar, pela saúde, pelo esporte, por novos horizontes. Para quem puder assistir, vale a ida até Tramandaí, para quem for participar pela primeira vez, vale o espírito esportivo e conhecer uma grande prova. 

domingo, 3 de novembro de 2013

Andarilhando... 8 km pra testar a Sony HDR-AS15


 Bom... aproveitando a oportunidade para testar a Cam Sony HDR-AS15, resolvi que poderia ir caminhando da minha casa até a casa dos meus pais. O trajeto é simples, praticamente seguir uma avenida... de Ipanema para Teresópolis, pelas avenidas Eduardo Prado, Cavalhada, Nonoai e Teresópolis. Este trajeto já medi de carro, ficando em 8 km e alguns metros. Não anotei o tempo, mas levei pouco mais de 1 hora. 
Estou acostumado a saber as informações da pedalada ou da condução do carro. Não tinha uma referência para velocidade de video ou sequência de fotos... resolvi colocar a câmera em modo de fotografia de sequência, com espaçamento de 10 segundos entre um shot e outro. A ângulação de imagem ficou em 170º, ela possui esta e a opção de 120º, mas achei que maior angulação poderia descrever melhor os assuntos da caminhada.
 Durante o trajeto, levei a câmera na mão dentro da caixa estanque, pois tive receio de chuva. Não usei nenhum tipo de suporte e lá pelas tantas resolvi olhar para ver se estava tudo bem... foi então que percebi que a objetiva estava completamente embaçada depois da foto de número 120. Fiquei um pouco frustrado com este lance do embaçamento, mas vou achar uma forma de resolver isto, com certeza. 
 A caminhada, diferente do ato de conduzir um automóvel, permite uma reflexão que eu procuro em todo momento que observo. Neste caminho, pensei algumas questões da forma de captar as imagens com a pequena e prática câmera. Algumas coisas podem ser padronizadas para confecção de uma sequência, como a forma de segurar, balanço do andar e escolha do ângulo de inclinação em relação a trajetória. 
 Fiquei bastante satisfeito com a qualidade das imagens, sem esquecer que a imagem realizada como foto tem tamanho de 1920 x 1080 pixels, mesmo tamanho da gravação do modo video em full HD. Diante disto, percebi que o recurso de fotografia e suas sequências é apenas um facilitador, pois se gravarmos em modo de video, teremos exatamente estas imagens, apenas com o atributo do audio, que em alguns casos pode ser útil...
Não dá pra esquecer que a proposta desta câmera é completamente diferente de tudo que estou acostumado. No cotidiano uso Canon 7D que também grava video, mas o problema é que em uma caminhada destas, isto seria completamente inviável. As câmeras de perfil esportivo são uma proposta atraente, ainda caras, mas eficazes. Cumprem um papel com qualidade. Neste caso, serve para outras aplicações. Como ela aceita microfone externo, pode ser usada para gravar entrevistas, e para jornalistas isto é ótimo. Agora, que há limites não tenho dúvidas... se vc vai fazer um trabalho profissional, deve usar um equipamento de acordo com a realidade da proposta tarefa. Não podemos deixar de fazer alguns trabalhos como este que realizei durante a caminhada pq não havia como fazer. Caminhar em Porto Alegre com uma canon 7d é impraticável... primeiro pelo peso, depois pelo risco de ser assaltado. Pra finalizar, sobre a caminhada... eu sugiro o prefeito tomar vergonha e providenciar calçadas de melhor qualidade para os transeuntes. Imagino uma pessoa de idade caminhando por onde caminhei, onde em alguns lugares havia buracos, degraus com mais de 40 cm, e estreitamento do passeio para 30cm. Porto Alegre esta jogada as baratas... e é uma das melhores capitais do Brasil. Imagina o padrão brasileiro. Não é brincadeira! Roda ou passos para frente... Andarilhar é preciso!

Pelas ruas de Porto Alegre nº4 por Nícolas Kasprzak