quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Razão

  Este não é o post que muitos esperam. Aliás, muitas pessoas, inclusive eu, costumam colocar perspectivas sobre as coisas, pessoas e circunstâncias. Aqui sempre foi um espaço de exposição de idéias, o que é diferente do tradicional informativo. E nós temos o hábito de julgar e criar tendências. Acredito que isto seja um reflexo natural que desenvolvemos devido a evolução da espécie, também de outros animais. Penso que é graças a evolução e surgimento de certos "instintos" que nos levam a decisões, que estejamos aqui. No passado, quando fomos caçadores, tomamos decisões que nos levaram ao sucesso, e da mesma forma quando fomos presas. Estes instintos são a razão de nossa evolução, e de forma esportiva ou competitiva, ou da simples superação pessoal. A questão é a razão disto tudo. O cotidiano nos move em ciclos de testes contra nossa capacidade, e nos vemos em situação de superar. Baseando-se em experiências da vida, podemos organizar  o futuro, criar perspectivas ou até mesmo lançar objetivos nem tão óbvios. Ultimamente tenho visto tanta gente com certeza, e muitas vezes uma certeza confiante de que estão dizendo coisas certas sem o menor embasamento científico. Talvez seja aqui que muitos dizem, se há uma coisa em que você acredita, esta acaba sendo uma verdade. Uma verdade que muitas vezes vale apenas para você. A razão de cada um, bem esta é uma motivação que cabe apenas ao próprio indivíduo percorrer e entender. No seu caminho, haverá aliados, haverá desavença ou apoio, ou ficcionistas entusiasmados com o próprio conhecimento. Uma vez, minha mãe disse que Oswaldo Montenegro, em uma entrevista disse: "Nunca vi um imbecil hesitar!" Certamente que isto levou ela a reflexões, como levou a mim. Me vi pensando nas vezes em que estive errado e com convicção de certeza, e penso ter aprendido. Contudo, é na aceitação do erro que esta o mérito. Hoje, tento dizer "talvez", "não sei", ou até mesmo, "vou descobrir!" Obviamente, sobre certos assuntos, sempre teremos mais conhecimento, mais capacidade, mais habilidades para responder algo. Saber até onde podemos ir, quando devemos usar o freio da bicicleta para não chegar tão próximo do limite, isto é uma habilidade a ser desenvolvida, e envolve noção, experiências anteriores, e estudo! Para tudo há uma razão... inclusive, contestação!