segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Mundial Master 2012... enfim, a última edição!

O retorno é um momento muito estranho... Quem pode, quis, ou fez o que foi preciso, esteve em Balneário Camboriú durante o período de 11 a 16 de setembro deste 2012. Nas reflexões do retorno, pensamento latente que lamentava o término da prova, e por outro lado o apelo pela chegada de volta ao "ninho". A casa da gente é a casa da gente, esteja onde estiver, as pessoas que você ama estarão aonde devem estar... em casa! E teu destino sempre será o conforto da tua casa. Tenho recebido oportunidades generosas da Revista Bicicleta. É muito importante para qualquer profissional, ou simplesmente para o amante do seu ofício, que os momentos sejam vividos, experimentados! Aprendi muito, mais uma vez. Lembro a todos... um campeonato Mundial ocorreu no Brasil. A mídia quase não deu importância, pq aqui, só o que bomba é o tal do futebol... esporte da farsa, do dinheiro, dos comerciais de jogadores tipo novo rico e mulheres bonitas. Enquanto ocorria uma prova de teor internacional as emissoras de TV e rádio narravam joguinhos de futebol com relevância estadual, se tanto! Em Santa Catarina, terra bonita de doer, com morros verdes que avançam no mar azul, o show era produzido por gente modesta que vinha de 25 países diferentes, latinos, europeus, africanos, americanos, etc  A terceira edição do World Championships Brasil marcou a insistência de um esporte que brilha forte em países de primeiro mundo, e também abanava bandeiras coloridas em tom de uma nostalgia de adeus, pois agora será a vez da África do Sul (2013). Sim, nós, os apaixonados teremos que embarcar em um avião e viajar muitas horas para ver este espetáculo novamente. E o Brasil perde mais uma oportunidade de mostrar um dos esportes mais justos, limpos e categóricos do mundo ao povo que emerge da pobreza cultural. Terei muito a comentar sobre este grande evento. Temos muitas considerações a fazer, centenas de fotos para mostrar e lembrar, mas não podemos nos render as condições desfavoráveis. Se o sonho do Mundial Master Brasil termina, fica a lembrança do que vimos por lá. Quem viu uma das edições, saudade terá, quem não viu... lamentará ao presenciar comentários de quem foi! Agradeço a Revista Bicicleta pelas oportunidades, aos amigos que reencontrei por lá, a organização, todos os envolvidos no espetáculo. Também ao irmão Rodrigo Mabília e sua querida esposa, Gisele Gomes, por acolhimento especial em dias tão felizes.

Roberto Furtado