segunda-feira, 10 de setembro de 2012

A caminho de mais uma Reconstrução





Dias atrás, Ricardo da Adventure bike me ligou e disse: "temos mais um projeto reconstrutivo, quer ver?" Fui lá e conferi o novo projeto. Parece ser uma Caloi Arco Duplo. Esta é uma bike bem old school. Vai receber peças novas incluindo um shimano nexus de 3 velocidades. O bacana deste projeto é o estilo do quadro, acabamento da época. Algumas evidências, tais como o sistema "cachimbado" descrevem as intenções de uma época. Na parte da caixa de direção há em baixo relevo aqueles detalhes semelhantes as bicicletas peugeot, que sempre encantam a todos. Quando nos deparamos com projetos como este, uma mistura de história e nostalgia, percebemos a importância da bicicleta através dos tempos. A magrela realmente é uma ferramenta, um veículo, um brinquedo que atravessou os tempos e estampou na humanidade a marca de um projeto do homem que faz tudo parecer uma "brecha" estacionária do tempo. Onde bicicletas de 1940 ou 1950 tem mesma importância que bicicletas de 2012, ou ainda, um período em que avôs e netos puderam desfrutar das mesmas alegrias, talvez da mesmas bicicletas para casos onde a bike era do avô. Com posts como este espero estar despertando o sentimento de resgate, as intenções de uma recuperação da bicicleta esquecida no fundo da garagem. Bicicletas, pessoas, e histórias se confundem em tempos da era digital, da tecnologia, mas a bicicleta prova que a maior teoria de deslocamento é uma ferramenta que utiliza a energia do próprio transportado. Desperta sempre um sorriso, uma saudade, novas formas de pensar sobre a vida e outras coisas boas, como tomar um café ao fim de tarde. Sabe aquele cafezinho recém passado, que enche a casa de alegria, é disto que falo! Enquanto isto, reconstruções nem tão restaurativas, mas reparativas. Bicicletas voltam as ruas...

Roberto Furtado