quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Bike Expo... tendências de mercado!


Falar sobre as tendências do mercado e não abordar a presença de bicicletas munidas de motor elétrico é um equívoco. As bicicletas elétricas estão realmente invadindo o mercado, vistas como opção de mobilidade urbana ou lazer, com esta variante do auxílio que o motor pode oferecer. A grande questão é que já no ano passado elas estavam em peso na feira, e este ano surpreende a quantidade de acessórios, opções e conceitos. Acima, na fotografia, nota-se um modelo que além de ser assistido por um motor elétrico, ainda possui um atributo de praticidade que as dobráveis "reinam". A pergunta que ocorre é se esta tem peso baixo suficiente para ser carregada com uma tal dobrável, mas obviamente isto é tão pessoal quanto pode ser a escolha de como trabalhar e residir. Em cada caso teremos uma condição diferente... a exemplo, mora e trabalha em locais térreos, sem escadarias para vencer. Relevante é o fato de que a bicicleta deve ser desmontada somente quando chega ao seu destino, ou quando criará um volume que pode incomodar. Obviamente, toda bicicleta dobrável torna-se mais complicada de "carregar" quando esta dobrada, pois quando montada empurrar a mesma é tarefa muito mais simples. É preciso entender quando uma bicicleta dobrável deve ser desmontada, pois caso contrário ela será um transtorno para seu proprietário. 
Combinar uma opção de veículo a pedais com motor elétrico pode ser a solução de mobilidade urbana para muitas pessoas. Veículo muito mais barato que uma motocicleta, dispensa necessidade de uma garagem ou busca por vagas de estacionamento, e ainda possibilita o uso apenas como bicicleta. Não esqueçamos que o ciclista estando desmontado da bicicleta, mesmo que a bicicleta seja também elétrica, transforma-se em um pedestre. Pode este ciclista trafegar pelo passeio calçada com direitos e deveres iguais de um pedestre. A grande questão que ronda neste assunto é quanto a legislação, ainda completamente imatura sobre estes veículos. Aborda-se ainda como uma segunda questão e não menos importante o fato de veículos sem pedais pertencerem a outra categoria. Veículos sem pedais não são bicicletas! Válido para patinetes, lambretas, motonetas de motor elétrico! A bicicleta encontra-se num espaço de direitos e conceitos distante de outros veículos. Não que estes outros não tenham sua importância e espaço, mas não são vistos como bicicleta. Tendências de mercado, a bicicleta elétrica estava em peso na feira. Não resta dúvida que o sistema oferece de forma ofensiva a inserção deste veículo no mercado. Cabe a nós decidir se esta terá sua aplicação ou necessidade justificada no cotidiano. Pessoalmente, creio que sim... basta que a legislação regule este uso, e torne esta opção uma viável possibilidade justa da mobilidade urbana. 

Roberto Furtado