quarta-feira, 1 de agosto de 2012

As lágrimas do esporte

O lendário Markolf 

Com a conclusão do Brasileiro de Downhill 2012, naquela movimentação pós prova, antes da premiação, percebi o valor das lágrimas do esporte. Olhei para um piloto gaúcho que atingira a 4ª colocação, William Bortolozzo, vulgo Gringo, ele estava em prantos. Chorava feito um piá pela realização da colocação. Dava até vontade de chorar junto... me aproximei dele e disse: "Tem que ser muito galo para chorar assim!" Uma tentativa de entender como e o que ele pensava naquele momento.
Minha maior realização foi a há muito tempo, certa vez fui campeão de Judô, ainda quando criança. Naquele tempo não entendia o valor por trás de uma medalha de lata, apenas sabia que tinha vencido 4 oponentes, de forma unânime. Em outra oportunidade quando fazia um Audax 200 km, caí após bater em um sinalizador de estrada. Na queda, fiz luxação tipo três na clavícula. No terror da dor, olhei para o céu e busquei forças para fazer mais 130 km, completando o brevet. Chegando em casa, sentei no box do chuveiro, e chorei feito uma criança por cerca de 5 minutos. A superação faz lágrimas do esporte. Coisas como estas jamais esquecemos, ficam enraizadas, e o passar dos tempos nos diz como fomos felizes. Os dias mais felizes de nossas vidas são realizações dos sonhos, sejam quais forem. Também na prova de Downhill, com a 3ª colocação e não menos importante que o primeiro, estava Markolf Berchtold. Ao subir ao pódio, recebeu o microfone para dizer algumas palavras. Mal começou a agradecer a multidão e a conquista de estar mais uma vez no pódio, tremeu na voz e precisou entregar o microfone. Colocou-se a chorar e mostrar as lágrimas do esporte, da mesma forma que Bortolozzo. Nas Olimpíadas de Londres, Felipe Kitadai, judoca brasileiro, conquista a medalha de bronze... assistido por milhões, chorou como nunca em sua vida. A alegria da conquista é alimentada com a dor do sacrifício, do empenho, na dedicação de tornar a este e qualquer outro apenas alguém com realizações da superação pessoal. Conquista... palavra que alguns entendem, e o choro é emoção que representa esta tal superação. No esporte, as lágrimas tem mais valor do que medalhas... lágrimas se transformam em lembranças, em histórias de alguém, em algum lugar, que de tão feliz, chorou! Lágrimas do esporte!

Roberto Furtado

2 comentários:

flavio henrique borges disse...

O Markolf, é realmente uma lenda, poucos sabem o quanto esse cara fez pelo nosso esporte e vem fazendo, infelizmente estamos num país onde nada funciona.

Luciano Bif disse...

Apenas os apaixonados pelo esporte... os que acordam cedo para treinar e tentar ganhar a tal "medalha de lata" que tem valor maior que ouro, sabem o real gosto das lágrimas da vitória!