sábado, 4 de agosto de 2012

A singularidade de cada um...


Conversando com um colega que estava frustrado, acabei tendo algumas idéias e resolvi escrever a respeito. Queixava-se ele de concorrência de mercado, de um mercado desleal, de pessoas que não atingem suas expectativas. Por muito tempo pensei como ele, e hoje vejo as coisas bem diferentes. As pessoas são todas diferentes, nenhuma escreve, fala ou executada uma tarefa de forma igual a outra. Uns tem um determinado talento para escrever de forma romântica sobre tudo, outras escreverão a realidade sem qualquer emoção, e também haverá quem surpreenderá, ou não escreverá a respeito de nada, nunca! Todo mundo possui uma qualidade, muitas vezes oculta. Talvez, este que nunca escreverá nada interessante, possa ser uma grande personalidade capaz de espalhar uma palavra pelo vento. Isto é um talento! Sempre pensei que seria muito difícil me colocar frente ao mercado para me equiparar com os melhores... mas afinal, melhores em que? Estes melhores possuem qualidades triunfantes em algo, e muitas vezes são péssimos em outro algo. Já conheci grandes fotógrafos que jamais foram capazes de formar laços de amizade ou ter família, ou já vi escritores natos incapazes de atender ao telefone com educação. Como executar uma tarefa ou como tratar com as pessoas é uma habilidade distinta, única! Você pode ser um grande piloto nas pistas, e ser um filho ideal, e pode não ter nenhum talento para ser músico! Você pode ser um grande vendedor, e um péssimo pai... E onde esta o problema disto? Temos que valorizar o que temos e crescer sempre, corrigir os problemas e as dificuldades. Estamos aqui para crescer, para superar! Superar nas estradas, nas ruas, nas pistas, no trabalho e no meio social. Temos todos tanto a superar! A finalidade deste post é fazer você acreditar nas suas habilidades, e compreender suas fraquezas. Passei boa parte da minha vida, destes 36 anos, querendo ser alguém, fazer algo diferente, remando contra a maré. E um dia percebi que minha única obrigação era ser feliz! Descobri por acaso que as pessoas gostavam das minhas palavras, gostavam das minhas abordagens, das minhas imagens. E eu era péssimo com cálculo na engenharia, embora gostasse muito do curso. Sou péssimo como ciclista da longa distância, nunca fiz mais que 300 km em um Audax. Sou péssimo em falar pessoalmente, mas quando realmente quero, escrevo um texto capaz de atingir os objetivos. Você é assim também... eu seu disso! Você esta do outro lado se perguntando sobre o que é bom, e eu digo, talvez você nem tenha descoberto ainda, mas use seus instintos e acredite em você! Você é único, você é insubstituível, você lê, escreve, fala como ninguém, você pedala 1000 km como só você consegue, você desce as pistas como poucos, você tem tantos amigos... você só precisa ser feliz! Pega tua bicicleta, e vai pedalar, pensa a respeito... foca só em você! É o seu momento!

Roberto Furtado