sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Como vai ser amanhã... amanhã pela manhã no Audax 600 km!


Tirei esta sexta feira a tarde para realizar tarefas tranquilas... atividades que não exigem deslocamentos com carro, ou desgastantes. Como vou trabalhar sábado e domingo, em ambos os casos precisarei acordar cedo, resolvi desta forma. Fiquei aqui juntando peças de dois dos próximos processos de reconstrução/ revitalização de bicicletas. Esta é uma tarefa de grande prazer... faço como se estivesse na praia! Mais ou menos isto! É assim que vejo esta parte do meu trabalho. Refletindo sobre o que nos espera amanhã, pensei na ansiedade de alguns ciclistas, em especial dos Teutonienses que farão pela primeira vez um audax de 600 km. O jornal da cidade de Teutônia já entrou em contato, pedindo por imagens que ainda nem realizei. Demonstração de valorização que a cidade faz por estes ciclistas. Que encararão frio, fome, cansaço, sono... sementes que um gigante faz germinar, e que pode derrubar o sonho de um ciclista. Não tenho dúvidas quanto a capacidade destes heróis. Acho que se eles chegaram até aqui, derrubando 200, 300 e 400 km, em  especial o 400 km do gelo, então é pq estão aptos a provar para si mesmos que são capazes! Mostrar a si mesmos... lembro que a prova é de superação pessoal! Não há regra, número, ou dado que quantifique o desempenho de um ciclista sobre o outro. A vitória é interna! Na verdade uma guerra entre a mente e o corpo... que na vitória, faz de ambas as partes, amigas! Eis a revelação do segredo... tornar a mente amiga do corpo, e então a superação ocorrerá! Sei que muitos dos ciclistas da longa distância acessam aqui, como se fosse uma sala com roda de chimarrão, e na verdade é isto que o Bikes do Andarilho se transformou! Um ponto de encontro, onde todos alimentam sua alma com sonhos, devaneios e experimentação. Afinal, não existe um demônio que deseja impedir o sucesso destes ciclistas... este gigante que parece mau é um conjunto de fatores aos quais são submetidos os ciclistas, e tem única finalidade. Divertir e gerar uma certeza interna, onde o resultado é a experiência que carregarão para a vida toda. Levará a mente sempre ao equilíbrio emocional para derrubar qualquer problema. Queridos colegas, aos que forem participar desta grande festa. Desejo uma pedalada tranquila, estarei com vocês por volta das 9 horas da manhã, lá pelos lados de Pantano, talvez adiante. Nossos colegas passarão a noite na estrada escoltando vocês serão uma garantia de que ao surgimento de qualquer imprevisto, estarão seguros. Então não criem preocupações quanto a jornada, pq não haverá nada para impedir este sucesso. Acho que até mesmo o clima "conspirou" a favor de vocês... Tudo esta a favor! Não esqueçam, pedalem devagar, no ritmo do coração, aproveitem bem as decidas com atenção a buracos que possam ocorrer, e façam sorriso para as fotos. Quero rostos animados para eternizar este momento! Abraços...

Roberto Furtado

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Aaron Fotheringham é superação em pessoa!


Aaron Fotheringham é o exemplo da superação... nas pegadas de acompanhar o irmão, descobriu que podia fazer muito mais do que muitos sonhariam. Nasceu com dificuldades, sorriu para elas e superou da única forma que poderia. Tentando... E claro que muitas vezes se machucou, se recuperou, e tornou a fazer. Nas perspectivas do nosso olhar, com corpos saudáveis e preocupações tolas... tais como trocar de carro ou ter um emprego melhor, esquecemos de que podemos nos superar em outras questões. Aaron é um exemplo! Um exemplo de superação onde a mente driblou a realidade física, e provou que se quisermos, podemos ter um ou dois minutos de surpresas, talvez anos. Em Novembro, Aaron completará 21 anos, e já é tão conhecido em Las Vegas, quanto outros esportistas do mundo radical! Ele tem se apresentado em um evento  "circense", e chocado espectadores quando realiza um salto de uma grande rampa com pouco menos de 20 metros de altura. Na foto sugere muitas coisas... sonhos de um garoto e sua missão de derrubar obstáculos. Também representa que... fisicamente, apesar da necessidade especial, ainda é um garoto saudável e forte. Com todo respeito... e ainda tem garoto pálido jogando videogame e que não quer comer alface! Por favor... 

Roberto Furtado

Contagem regressiva... Audax 600 km, 7ª etapa do DH RS e Mundial Master de BC!

Audax 400 km SAC 2012
Downhill Sapiranga 2012
XCO de Balneário Camboriu 2011
Nesta ordem mesmo... promessa garantida de grande diversão! Para os derrubadores de gigantes da longa distância acontece o Audax 600 km da SAC. A prova terá início na madrugada de Sábado do dia primeiro de Setembro e será um "aquecimento" e teste para aqueles que este encararão 1000 km. É pra ciclista "raçudo", não é brincadeira! Enquanto isto, no mesmo sábado pela manhã começam os treinos da 7ª Etapa do Campeonato Gaúcho de DH. Quem é a promessa? Bertol, Zottis, Lanfredi? Aparece lá no Domingo e tira a dúvida! Na contagem regressiva de uma das provas mais importantes do mundo, falamos do Mundial Master de Balneário Camboriú 2012, atletas do XC e do DH se preparam para dar um show que só a experiência pode mostrar. Atletas de mais de 40 países estarão presentes para fazer a grande festa das modalidades mais radicais do MTB. 

Roberto Furtado

Reconstrução de outra Caloi Cruiser... xiii virou febre! 2ª Parte






Conforme prometido, segue a segunda parte... assim mostrando o antes e depois de uma old school que volta para as ruas com estilo personalizado, discreta e com o charme que só os ciclistas de velha "guarda" entendem. Bikes como esta eram comuns no tempo em que eu tinha 7, 8 ou 11 anos. Tinha gente que arriscava a dizer que elas eram as antecessoras das primeiras MTBs, mas acho imprudente classificar desta maneira. Eram biciclistas que utilizam rodas 26" de medida ligeiramente maior que as atuais MTB, e que tinha um design slooping. As primeiras MTB não tinha este desenho, exceto quando destinadas a ciclistas menores.   Para quem lembra, o desenho de uma Cruiser era semelhante ao das Cross da Caloi, apenas aumentadas para um público maior, ou adulto. Dava quase pra dizer que Cross era para criança... naquele tempo era meio assim aqui no Brasil. 
Sobre a bike do post, para não perder o fio do assunto... seu proprietário manteve as maçanetas originais, o que achei muito interessante. E mais ainda este louco guidão que vinha somente neste modelo de Cruiser... acho que era mais antiga que as demais que aparecem aqui no blog. 
No post anterior aparece a bicicleta antes da sua reconstrução, também os links das outras cruiser. É uma loucura esta febre de reconstruir... antes eram com as caloi, monark e peugeot (as road), agora é com as bikes de passeio. Enfim, não tem mais freio esta nova era... enquanto houver o que restaurar, será inventado algo diferente. Personalização ou restauração é um caminho entre o novo e o velho, junto da sustentabilidade e da mobilidade urbana. Também na função de reacender culturas adormecidas da querida bicicleta.
Roda pra frente... logo mais, tem mais assunto da revitalização em bicicletas.

Reconstrução de outra Caloi Cruiser... xiii virou febre! 1ª Parte



Execução: Adventure Bike
Texto, devaneios e fotos: Roberto Furtado

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Shimano Fest 2012 é presença Shimano no Brasil


Não pude estar no Shimano Fest 2012 pq aqui também rolava outros eventos e por causa da distância, mas tenho colegas que marcaram presença nesta grande festa do maior fabricante de componentes para bikes. Não acho prudente afirmar que sejam grandes também no segmento da pesca, pq conheço também este segmento e sei que existem fabricantes mais tradicionais que a shimano. Embora sejam grandes no segmento da pesca, ainda não são os maiores. A exemplos clássicos como Daiwa, Abu Garcia, Penn Reels, etc. 
Pedro Cury, colega da Revista Bicicleta e grande fotógrafo, esteve no Shimano Fest e realizou grandes fotos. O teor de importância para um evento destes no Brasil é elevado neste momento. Os motivos? Parece lógico que um país em desenvolvimento econômico precise de produtos de qualidade para desenvolver a cultura pelo uso da bicicleta no segmentos da mobilidade urbana, e nos meios de entretenimentos e esportivos.  O Brasil ainda deixa a desejar sobre a tecnologia da bicicleta quando o assunto é componentes para bicicletas. A fabricação de peças como cambios e shifters, bem como a evolução acelerada de lançamentos, ainda não possui esta a altura no Brasil para competir com fabricantes internacionais tradicionais. 
Espera-se que este tipo de evento traga olhares importantes, pois se exporta muito em bicicleta. Grandes marcas de automóveis já investem neste segmento, mas elas ainda são sementes no campo da bicicleta. Com tantos interesses, haverá de surgir um momento onde a grande explosão pela bike será uma necessidade para  as empresas do ramo automobilístico se voltarem. Será? Creio que sim... Roda pra frente, contando os dias para saber dos lançamentos de 2013 na Cycle Fair 2012. Agradecimento ao Pedro Cury, pela disponibilização de imagens. 

Roberto Furtado

Reconstrução... Outra Caloi Cruiser pronta!





Esta aqui é a 3ª ou 4ª Caloi Cruiser revitalizada pela Adventure Bike. Perdi as contas... O interessante deste projeto é que o proprietário conseguiu peças originais da época, tais como pneus, pedevela, pedais, e acho que até o selim é original. Obviamente não estamos falando de restauração, mas de um processo reconstrutivo de excelente qualidade e bom gosto! Nesta bicicleta foi aplicado um freio contra pedal, do cubo shimano nexus de 3 velocidades! Quando estive lá na última segunda feira, os rapazes estavam montando uma monark brisa com este cubo, porém sem freio torpedo. Interessante que isto esteja virando uma febre. Na rua, outro dia, via uma bicicleta que parecia uma fixa minimalista, porém possuía um nexus de três velocidades com contra pedal. A shimano esta vendendo muito destes cubos... e não é para menos, pois o valor comporta bem uma opção de cambio com três velocidades, com ótima funcionalidade e que ainda permite as trocas de marchas parado! Para o uso urbano esta é uma opção excelente. Estou preparando um novo post com antes e depois de outra Cruiser nesta idéia de bike. Acho que publico amanhã...

Roberto Furtado

terça-feira, 28 de agosto de 2012

As imagens do Campeonato de Resistência... ufa!

Campeonato Gaúcho de Resistência - fotos

Executar tantas imagens é sempre um problemão para o dia seguinte... na dá pra descartar nada, tampouco desmerecer, afinal, é a história de cada um dos ciclistas que fica registrada no tempo. O presente vira passado em pouco tempo, e muita coisa muda, exigindo a lembrança. Fotografias... eis a única forma representativa de relembrar! Pena que chovia muito no Domingo, mesmo assim temos boas fotos. Representam fielmente o que passaram os ciclistas. Frio da chuva e do vento, do cansaço da prova anterior, alguns da viagem distante (tinha gente de São Paulo), outros por questões particulares, etc. A vida é isto aí... Sacríficios em favor de grandes lembranças. 
As bikes era as mais rápidas... um estilo fórmula 1 das bicicletas. Frágeis ao pavimento, resistentes ao tempo,  capazes de voar com seus condutores. Aliás, voar era possível por causa desta pista do autódromo. Acho que valeu a pena um evento neste local. Pontos extras para as lembranças. Mais uma vez, pena para a chuva!
Bom, hoje esta tudo no álbum, como prometi. Cerca de 700 imagens para ter o que ser comentado no futuro. Roda pra frente... pq final de semana que vem tem DH em Sapiranga, no outro tem ciclismo em Arroio do Meio, e no outro já é XC e DH master em BC. 

Roberto Furtado

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Campeonato Gaúcho de Resistência... chuva e chuva! Raça dos ciclistas!


O Campeonato Gaúcho de Resistência teve prova de contra relógio individual e por equipe no sábado. Foi um espetáculo que não se vê por aqui normalmente, principalmente pq raras vezes se vê uma prova realizada em um autódromo. O autódromo internacional de Santa Cruz do Sul possui uma boa infraestrutura, o que possibilitou inclusive o abrigo da chuva e do vento para aqueles que estavam aguardando a vez de pedalar e para os acompanhantes. Ficamos bem alojados no hotel Antônios. Os apoios da UNIMED e da Loja Faccin foi essencial para dois grandes dias de prova.
A chuva deu uma pequena trégua no sábado, mas no domingo começou e não parou mais... e tinha vento. O vento gelado, corpo molhado, e a ansiedade faziam o espírito de "guerra" dos ciclistas. Pedalaram forte com altas médias, e mostraram que raça é coisa de ciclísta mesmo. Queria ver se jogador de futebol ficaria jogando naquelas condições por horas. Se fosse fácil, chamava-se futebol! Acho que é o Gabriel do DH que diz isto... me corrijam se estiver errado! Para ninguém falar em exagero, ontem cheguei em Porto Alegre por volta das 15:30 hs (160 km de viagem). Em casa, tirei a roupa úmida e os tênis molhados, os pés murchos e brancos... muito saudável! hehehehe Assim trabalhamos, eu e os colegas da FGC, inclusive a secretária Carina que estava de aniversário.
Neste momento estou tratando as imagens, foram muitas! E aos poucos subirei para um novo álbum do PICASA. Peço um pouco de paciência, pois realmente são muitas imagens. Farei então um novo post para o álbum completo.
Agradeço aos colegas pela parceria de todos, pois sempre sou muito bem recebido nas provas. O ciclismo esta tomando um rumo muito bacana, onde a rivalidade é limitada as pistas. A amizade reina nos bordos da pista! 

Roberto Furtado

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Sobre revitalização de bicicletas!


Na edição 019 da Revista Bicicleta colocamos em pauta o assunto de revitalizar bicicletas. Ocorreram críticas bem construtivas sobre o assunto, alguns leitores enviaram mensagens dizendo que haviam se identificado com o tema. Com isto, como já era plano meu e consentido pelo Editor, fizemos uma nova matéria referente ao assunto de trazer uma bicicleta de volta a vida. A reconstrução de uma old school é o trabalho desta edição 020 (talvez 021, pois não lembro agora). Desta forma, estamos a estimular o leitor que possui uma old jogada na garagem, e que não tem coragem de começar uma trajetória revitalizadora. Ninguém entra neste processo pq é mais barato, ou pq é mais fácil do que ir a loja comprar uma bicicleta nova. Entra nesta empreitada alguém que valoriza a antiga bicicleta, por qualquer motivo que seja. Isto você pode ver e ler na Revista Bicicleta, e creio que ocorram mais histórias como esta. Estou em fase de decisões quanto ao novo projeto... se este vai ser de uma dobrável, ou se de uma confort bike da década de 70. Em qualquer das opções cogitei o uso de um cubo de marchas internas, correndo atrás de tendências. Não posso garantir nada, até que realmente decida... neste caso, a decisão é quase uma influência divina, possivelmente de Éolos, que para mim é o deus da bicicleta. O dono do vento é o admirador da bicicleta! Éolos permite que a bicicleta lhe dê o vento no rosto... 

Roberto Furtado

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Automóveis são armas... se em mãos erradas!

foto meramente ilustrativa

Foi durante um almoço, acompanhado de amigos que trabalham próximo,  que percebi a importância deste posicionamento. É possível que muitas pessoas pudessem abordar este assunto de forma mais impactante e produtiva, mas como minha forma de pensar é não extremista para qualquer lado, acredito que este direito me seja dado e creditado por aqueles que passam aqui diariamente. Falando em bicicleta, um dos amigos presentes na mesa, falou: "Andar de bicicleta é perigoso!"
Na mesma hora isto tornou-se um motivo para eu explicar... andar de bicicleta é tão perigoso quanto andar de skate ou a pé pela calçada passeio. O que torna perigoso nossa existência nas ruas são os motoristas que andam de carro excedendo velocidade regulamentar ou dirigindo de forma imprudente. Bêbados, rachadores de asfalto, e outros psicopatas do trânsito que fazem da vida alheia a grande loteria. O risco sempre é de quem esta a pé ou de bicicleta. Quando alguém entra para dentro de um veículo, assume a responsabilidade de não matar alguém enquanto estiver dirigindo. É um fato subentendido que o motorista assume... ao sentar no volante, ele pode escolher respeitar as pessoas, conduzir de forma prudente e desta forma diminuir estes riscos, ou assumir a bronca. Se ele assumir a bronca, logicamente quem perde é quem esta fora do veículo... e que caminha em velocidade onde a única vítima será uma formiga acidentalmente esmagada pelo sapato.  Se banalizou a questão de que as vítimas, pedestres e ciclistas, são responsáveis também! O motorista senta em seu carro potente, cheio de recalque e problemas criados pelo próprio estilo de vida, e pisa fundo em seu carro que anda a 80, 100, 120 e em outros vários casos a 150 km/h. Quem anda nesta velocidade é um assassino que brinca de arriscar a vida alheia, e certamente ainda vai achar que não teve culpa, que vive honestamente pq tem família e e filhos, e que tudo não passa de injustiça. E a família que ficou com a perda? Esqueceram de dizer que João jamais dirigiu um carro, pq quando criança viu alguém ser atropelado, e jamais quis assumir esta responsabilidade. Pagou ele pelo risco que o dono daquele Toyota assumiu... na via de limite 60km/h, estava o condutor a 90km/h. Em mãos erradas, automóveis são armas como pistolas, onde o gatilho é o acelerador, e a vítima sempre se encontra em condições indefesas.

Roberto Furtado

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Recebendo a Revista Bicicleta em casa...


Algumas pessoas perguntam pq não se encontra facilmente a Revista Bicicleta. E me colocando no lugar de quem tenta localizar, fui atrás desta informação como um leitor. Estive em algumas bancas, e realmente, é uma novela encontrar a revista. Tanto esta, como as demais do mundo da bicicleta. Aqui em Porto Alegre, nas 10 bancas que visitei, encontrei apenas duas revistas. Sendo a Revista Bicicleta, e outra a Bike Action. Ambas foram encontradas de mesma forma... em algumas lojas as duas, em outras apenas uma delas. É uma corrida dura encontrar as duas ou uma terceira (vi apenas uma) nas bancas de Porto Alegre. No Bourbon Ipiranga e no Shopping Total encontrei ambas na Cameron. As demais, tinham exemplares antigos,  ou apena uma delas, ou escondidos onde nem mesmo o funcionário conseguia localizar. Penso nisto, logo temos a nítida impressão que este negócio de banca de revistas precisa de organização. Para tentar minimizar um erro que não é da Revista, mas sim de quem distribui as mesmas (terceirizado), estou me colocando a disposição para receber indicações de bancas que poderiam ter as revistas. Não podemos prometer que nestas serão entregues o material, mas podemos sugerir ao distribuidor. Os exemplares atrasados podem ser solicitados no site da Revista Bicicleta, ou aqui comigo. O valor é mesmo praticado pela unidade atual. 
Quem quiser assinar a Revista pode escrever para roberto@revistabicicleta.com.br , ou acessar o link da revista que é específico para isto: revistabicicleta.com.br/assine
Assinar a revista é com certeza a melhor das opções. Dá menos trabalho, recebe no endereço que solicitar, o valor é bem interessante e baixo para uma revista especializada com tantos profissionais de qualidade. 
Não deixe de ter seu exemplar pq o sistema de distribuição tem sido falho. Contamos contigo, escrevemos para você!

Roberto Furtado

Bike Expo 2012... Na era das dobráveis!



Todo assunto que surge como uma verdade pode ser polêmico. Tenho sempre muito receio em falar sobre as verdades, justamente a verdade de um pode ser questionada nos olhos de alguém que vive outra forma de pensar bicicleta. Sempre questiono os extremismos, pq é incoerente impor situações a esta ou aquela pessoa como uma verdade. Prefiro pensar que somos seres autônomos (em teoria) capazes de tomar decisões sem ofender, machucar ou prejudicar a quem esteja ao lado. Acabei me estendendo em uma assunto sobre direitos e deveres, também sobre opções, mas o tema do post é a era da bicicleta dobrável. Nos grandes centros, onde os apartamentos são cada vez menores (tem gente que acha isto bonito!), as pessoas buscam alternativas viáveis para ter uma bicicleta. Hoje, penso que existe uma bicicleta minimalista que pode ser a single speed, e que ela é uma grande alternativa em termos de mobilidade. Acredito que ela a Single speed (também a fixie) é a opção de mobilidade que divide um mercado com as dobráveis. Nem todo mundo tem espaço em casa para ter uma single, mas muitas vezes uma dobrável cabe embaixo de uma mesa, ou ao lado de um armário. Até mesmo atrás de um porta que não abre completamente! Claro que as fixas podem ser penduradas, mas talvez este proprietário não ache que seu veículo combine com a decoração do apartamento, e estamos a falar de algo tão pessoal como escolha de cuecas ou calcinhas! 
Já fui um proprietário de uma Dahon, seria outra vez se encontra-se a bike certa... Na verdade, diferente de uma MTB que serve para encarar um jornada ciclística de forma muito melhor que uma fixa ou uma dobrável, cada design e projeto possui sua finalidade. Não cabe a nós julgar, a não ser que seja para nós mesmos! Esta é um preocupação que tenho, cada vez que entro no facebook encontro pregações que não se restringem a religiões e política. Na Bike Expo havia muitos modelos de dobráveis, dentre eles, uma grande semelhança... em sua maioria, articuladas sempre no mesmo lugar, mais ou menos na metade do que seria o top tube. O único problema de uma dobrável, ao meu ver, é que acima de 40 km/h ela se torna perigosa para o condutor. Primeiro pq possui rodas pequenas (12", 16", 20") e as mesmas sentem muito mais os buracos. E segundo pq a manobrabilidade e os centros de forças são completamente afetados em termos de estabilidade. Definitivamente, dobráveis não foram feitas para altas velocidades, arriscar é por conta de seu proprietário. Devemos saber o uso correto de cada proposta. 
Logo vai aparecer alguém dizendo que existem dobráveis de 26 polegadas, mas aí eu digo... não faz sentido nenhum! É mais ou menos comprar um veículo 4 x 4 para usar somente na cidade. Ou melhor, usar uma speed para andar no chão batido. Novamente, cada louco com sua mania... respeitar é preciso para viver melhor, a bicicleta nos ensina isto! Este tópico tem muito assunto... talvez escreva mais sobre isto. 

Roberto Furtado

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Reunião entre ACPA e TRENSURB

fotografia: Cauê P. Menezes / Trensub
A ACPA reuniu-se com a Trensurb para trocar idéias sobre questões relativas a mobilidade urbana envolvendo ciclistas e o uso do trem. O trem que atende cidades de Porto Alegre a Novo Hamburgo viabiliza  o deslocamento de milhares de pessoas diariamente. Com o crescimento das cidades da região metropolitana, seu uso tem sido grande opção, especialmente devido ao baixo custo da passagem. A ACPA é uma das poucas associações da bicicleta que não tem fins lucrativos ou ligações políticas, totalmente independente moralmente e financeiramente. Esta autonomia permite que os interesses dos ciclistas e de pedestres sejam defendidos de forma verdadeira. Para saber mais da reunião, acesse o link da ACPA.

Roberto Furtado

Quando a bici é roubada...


Minutos atrás, entrei no facebook e vi uma mensagem: "Bike Roubada!" Sabe que esta triste experiência passei duas vezes quando era criança. Em ambos os casos a gente fica muito triste. Não se trata apenas de valor $$$ da bicicleta, mas sim de uma série de importâncias que atribuímos a bicicleta em nossas vidas. Algumas pessoas utilizam a bicicleta para trabalhar, outros como deslocamento, ou que seja apenas diversão. Sempre haverá lágrimas no rosto de quem perde uma bicicleta para um alguém sem caráter. Quem rouba não tem esta noção, deveria ser preso pelo mesmo período em que priva um alguém de viver ao lado da sua bicicleta. Não é possível que esta história se repita todos os dias em algum lugar... sempre há alguém perdendo sua felicidade por conta de um desafortunado que se acha no direito de levar um bem alheio. 
Quais são os sonhos de quem tem uma bicicleta? Quem tem uma bicicleta tem uma visão diferente do mundo... não importando se é de trabalho ou de lazer. Os sonhos são sempre os mesmo, andar com o vento no rosto, sentir o pavimento através do guidão, escutar o barulho da corrente ou do pneu, perceber que Deus nos deu rodas para aproveitarmos a vida. Sim, foi Deus que nos deu rodas... Bicicleta é um presente divino, concedido ao homem, por algum gênio da física! Não permita que alguém roube os sonhos de um ciclista... não é justo, não é moral! Quem desconfia, aborda, faz alguma coisa para que seu dono possa reencontrar as asas da felicidade.

Roberto Furtado

Campeonato Gaúcho de Resistência 25 e 26.08.2012

Acontece no próximo final de semana, dias 25 e 26 de agosto de 2012, mais uma etapa do Campeonato Gaúcho de Resistência. No sábado teremos contra relógio individual e de equipes. E no domingo será realizada a prova de estrada. O ponto de encontro é o autódromo internacional de Santa Cruz, com direito ao espetáculo que só o ruído dos pneus, e corrente pode oferecer. Sem ronco de motores, nossa música é produzida pela corrente da relação em alta tração e velocidade. Estarei lá no sábado e no domingo a pedido da Federação Gaúcha de Ciclismo. Conto com a visita dos colegas que estiverem nas proximidades para prestigiar o evento. A promoção do veículo é sempre uma forma justa e interessante de pensar na mobilidade urbana, que de certa forma é alimentada nas pistas. As roads são o fórmula 1 da bicicleta, então, compareça! Mais informações no site da FGC.

Roberto Furtado

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Apoiadores... a ajuda para manter o blog! Novo Apoiador!


Este é um assunto que de tempos em tempos volta a tona. Para quem chegou a pouco, explico. O blog é um canal de entretenimento informativo. Para que eu possa estar presente em todos os eventos, existe um custo. Este custo é o problema de todo mundo... não dá pra escapar dele, não é mesmo? No segmento da fotografia, estamos falando de investimento em materiais, tais como máquina fotográfica, filmadora, PCs capazes de editar, acessórios, pilhas, e a própria depreciação do material. Para estar presente em tantos lugares, surgem outros custos, sendo os mais comuns: combustível, hospedagem, pedágios, depreciação do veículo. Todo mundo que tem carro e/ou materiais para executar uma tarefa de trabalho sabe que esta é uma questão importante. Não é possível manter estes custos com a venda de imagens, seja para jornais ou para os ciclistas. Por este motivo estou sempre a disposição de empresas que queiram apoiar financeiramente esta iniciativa que chega aos colegas ciclistas de forma totalmente gratuita. Somente isto possibilita que eu gaste horas do dia correndo atrás de informação, digitando, tratando ou realizando imagens para disponibilizar aqui. É o capital que vem de algum forma da própria bicicleta. O ganha pão vindo de outras origens, exige dedicação em outras áreas, obviamente. As figuras que se encontram no lado esquerdo deste blog são pequenos banners, referentes aos apoiadores. O modelo de Banner link direciona seu computador diretamente para o canal do apoiador. Felizmente consegui mais um apoiador na ida última feira. A Mantua Sport entrou em uma parceria para a ajudar o blog. Fomos muito bem recebidos por esta empresa que fabrica acessórios e equipamentos para bicicletas, também para motocicletas. Dentro de alguns dias, teremos novidade a respeito da Mantua. Agradecimentos a Mantua Sport, empresa de visão ampla, que ajuda o esporte a crescer através deste informativo de entretenimento ciclístico.

Roberto Furtado

5ª Etapa do Camp. Gaúcho de XC - imagens + infos!

Cross Country São Marcos 2012 - fotos

Para quem esteve lá, um clima de presente... a temperatura estava ótima para pedalar. Os ciclistas pedalaram forte! Teve tombo de montão, e não foi surpresa para uma pista tão técnica. As meninas dão show sempre...  babo de ver elas com a garra nas pistas. Renata Mariani foi a campeã outra vez! Os rapazes da elite sempre dão o show... afinal eles são a elite, então colocamos expectativas sobre eles. "Rato" ganhou a prova em seu dia de aniversário, um presente e tanto! Quem ganhou a cena com o retorno e foi aplaudido por várias vezes foi Ulysses Pante. Retorna as pistas depois de sérias complicações devido a um assalto que sofreu. Aliás, foi aplaudido e sempre muito bem falado nos bordos da pista. Vi alguém dizer: " Esse cara tem uma garra que vai colocar ele entre os primeiros em breve!". Ou "é apenas questão de tempo... ninguém segura Ulysses!"
Esperemos que Ulysses tenha uma longa história junto das pistas, em meio a bicicleta, nitidamente é isto que ele também quer. Um rapaz de garra, uma família e amigos apoiadores, e assim é a vida. Vamos todos levando, lembrando dos bons momentos, e superando qualquer dificuldade que o acaso nos traga. Servirá Ulysses de exemplo... superação e garra!
Sobre demais assuntos da prova, me parece injusto não citar o clima tranquilo e funcional proporcionado pela FGC, representada por Carina e Flávio, e demais colegas. Agradecemos a todos, as equipes, aos espectadores, e até mesmo ao São Pedro que só ajudou mantendo a chuva longe dos nossos planos!

Roberto Furtado

domingo, 19 de agosto de 2012

Coisas da mente de um Andarilho!


Havia dito que não iria fotografar a prova de XC em São Marcos (RS), no entanto, a FGC contatou e solicitou para eu registrar as fotos. Estava prestes a abrir mão deste dia de trabalho, mas pensei em três coisas... na diversão, pois esta é a melhor parte do meu trabalho de fotógrafo, no abastecimento do blog, e na eternização dos ciclistas em seu dia de festa. Posso dizer que as fotos ficaram muito boas. Quem conversou comigo pode perceber que estava extremamente cansado. Tenho trabalhado bastante nos projetos do blog, na Revista Bicicleta (pautas) e principalmente no ganha pão do todo dia.  Sou um hiperativo por natureza, e a pergunta que os amigos próximos já ouviram eu fazer é: "Existe um momento onde a mente descansa?" Muitos respondem que sim, outros dizem que pensam direto... acho que é questão de personalidade. Não sou tranquilo e tampouco conformista sobre os assuntos da bicicleta. Criei este blog em 28 de outubro de 2008, de lá pra cá muita coisa mudou, espero que para melhor. Fiquei a refletir sobre o assunto quando peguei a estrada de volta a Porto Alegre, quando saí de Caxias do Sul e chegava em Galópolis percebi que o cansaço estava vencendo, e que seria prudente parar. Logo avistei o mirante onde é visível o tal véu de noiva, logo abaixo da encantadora Galópolis (RS). Pensei que era a oportunidade de fazer uma fotinho e me auto registrar junto da vista e do adesivo que coloquei na lateral do automóvel. Sem me aprofundar demais neste assunto de blog, trabalho e outros, gostaria de ressaltar o que é óbvio. Assim fiz esta declaração: Sou apaixonado por bicicleta e por fotojornalismo, sou um imbatível pregador de ideais que acredito, e hoje fiz um registro para dizer que estou aqui para continuar a fazendo este trabalho crescer. Conto contigo para me ajudar em algo simples... algo gratuito que possa entreter aos colegas, algo que possa acrescentar, seja de forma educativa ou divertida, ou uma mistura de ambas. 
Esse cara com pouco cabelo na foto sou eu... sonhador, esperançoso, e crente da bicicleta. Roda pra frente e boa semana...

Roberto Furtado

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Cross Country em São Marcos - 5ª Etapa do Camp. Gaúcho


Esta foi uma das provas mais interessantes em que trabalhei. Chovia muito, choveu do início ao fim... os atletas pedalaram forte em condições ruins. Teve tombo, teve subida que colocou a prova a capacidade até mesmo de empurrar a bike morro acima. Fiz poucas fotos com minha máquina, pq ela não estava devidamente vedada. Entrou água na bichinha e travou... no fim, chegando em casa percebi que havia algumas fotos bonitas. Agora, completa mais ou menos 1 ano em que estive lá... em 19 de agosto de 2012, vai ter uma prova que vai lembrar e dizer quem é mais forte que a natureza! Nesta prova não estarei presente, mas de pensamento sim... desejo a todos um grande dia de diversão, e que não chova. Não vai...

Roberto Furtado

Ciclistas rumo aos 600 km... Brevet nas passadas do Gigante!

sociedade.audax.org.br

Contagem regressiva... O gigante de 600 km aguarda cerca de 30 ciclistas para um combate entre a mente e o corpo! O funil vai selecionando... chegamos em um momento especial para a turma da longa distância. Quantos ciclistas vão poder desafiar um gigante de 1000 "pernadas". É agora ou nunca... que acredita e pode, arrisca, quem não assume a loteria, espera por 2014. Sim, os 1000 km da SAC acontecem a cada dois anos. Esta é a oportunidade! Ano que vem o gigante maior é o 600 km. A diferença entre um atleta das pistas e um ciclista da longa distância é simples... o atleta da longa distância raramente chegará em primeiro! Contudo, ele tem maior chance de superar 1000 km. Derrubar um gigante de 1000 km é atravessar a madrugada pedalando, significa suportar a dor, o frio, o sono! Para quem esta em casa, evitar dormir por dois  dias já é difícil, imagina para quem pedalar. Claro que o ciclista pode dormir... 1 ou 2, talvez 3 horas! E será que vão? Conhecendo os históricos... a grande maioria vai cochilar, e vai seguir atrás do monstro. Um monstro horroroso, peludo, gigante... kkkk Dei uma exagerada! É só grande... não é feio e nem mau! huahuahua. 
Bom, é isto aí... toca pra frente, é roda pra frente! Larga na banguela e deixa rolar. Boa sorte a todos, aos experientes dos 600 km, e aos que vão se divertir nos 200 km. 

Roberto Furtado

Video do piloto Diego Knob no Brasileiro de DH 2012

Mais um video... pra turma do DH lembrar. A grande sacada do video feito por pilotos é trasmitir parte da sensação que ele vive ao descer a ladeira de 2,1 km. Video no Pedal.com.br. Algumas imagens que fiz estão lá também!
Roberto Furtado

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Lançamento Specialized 2013








Sempre atenta as tendências e a frente do mercado, a Specialized promoveu o evento de lançamento de sua linha 2013 na Bahia. Comerciantes e parceiros da grande marca estiveram presentes juntamente com grandes nomes do ciclismo. Personalidades como Ned Overend, Mike Sinyard e Claudio Clarindo aparecem juntos na última imagem com Pawel Safian da Espaço do Ciclista. Agradecimentos ao Pawel pelas imagens e informações. Esperamos que a grande marca esteja fortemente presente em 2013 aqui no RS. 

fotografia: Pawel Safian / arquivo pessoal
Texto: Roberto Furtado

Bike Expo 2012... tecnologia que impulsiona o mercado!



Tecnologia... este é o assunto mais badalado da Bike Expo ou de qualquer outra feira da bicicleta. A alta tecnologia e capricho em bicicletas recebe uma atenção especial do público. Todos ficam abismados com o capricho e o valor das tendências sobre desempenho e aparência. Nas pistas, de maior importância, nas ruas, capricho! Os adoradores de customização se deparam com um oceano de possibilidades. Cruzam componentes de fabricantes diferentes, mas compatíveis. A globalização da tecnologia de componentes é tão extraordinária quanto a própria bicicleta. Aliás, parte do capricho em bicicletas esta nos componentes. Um frame de Cr-Mo delgado e discreto, quando recebe componentes e acessórios com tal acabamento, acabam gerando um grande impacto visual. Serve para o Alumínio, Carbono, Titânio, e outros materiais tecnológicos. A vantagem de existir tais produtos é que eles abrem caminho para a popularização, e isto permite que  um dia esta tecnologia chegue a bicicletas com valores mais modestos. O sol da bicicleta acaba brilhando para todos, se trata de uma questão temporal... Enquanto isto, quem pode, arrisca na compra de peças sensacionais. Destaque, parece-me que não importa a classe social a que pertence este ciclista, de qualquer forma ele desejará uma estética, por mais simples que seja, que esteja em seu agrado. A Bike Expo mostrou isto e muito mais... agora, nos resta aguardar algo tão interessante quanto, na Cycle Fair 2012.

Roberto Furtado

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Produção Audiovisual que empolga...

Estimulante... e grande bicicleta! O interessante das produções audiovisuais é justamente esta capacidade de empolgar o espectador. Quem não gostaria de andar rápido assim nas trilhas? Nos sonhos até podemos, mas  será que não dá pra transformar em realidade pelo menos uma fração disto? Enquanto a bola fica picando nos 30 segundos para tua resposta, aproveita para olhar duas vezes o video. 
Roberto Furtado

terça-feira, 14 de agosto de 2012

A metalurgia e a sustentabilidade - Bicicleta ecológica! Parte 2


Foi na década de 70, 80 e até mesmo na década de 90 que o Cr-Mo atingiu seu ápice na aplicação da industria da bicicleta. No Brasil existiu um período entre 92 e 96, aproximadamente, onde o mercado recebeu uma avalanche de modelos de bicicletas com excelente acabamento. Foi um período muito importante para a cultura da bicicleta no País. Muitas das marcas GT, TREK, Gary Fisher, Mongoose, Diamond Back, Bianchi, Bernardi (falecida), Jamis (raríssima no BR), dentre outras surgiram como referência ao mercado ciclístico impondo uma qualidade construtiva jamais vista antes aqui em terras brasileiras. As terminações, gancheiras, detalhes e suportes, fixadores e alguns recursos de aprimoramento e funcionalidade mostravam vantagens que eram necessárias, mas desconhecidas. Foi neste período que as marcas nacionais precisaram correr atrás... ao meu ver, jamais alcançaram o mercado. Olhe para o mercado brasileiro e compare nacional e importadas. Os adjetivos são tão diferentes, onerosos, mas fenomenais. 
Ainda na década de 90 que as primeiras bikes de alumínio surgiram, em forma de resposta a uma nova leva de fabricantes e marcas que invadiam o mercado mundial, atraídos pelas tendências. Com um sério concorrente, cujo o representante não é apenas um, mas centenas de pequenos fabricantes, as grandes marcas se viram obrigadas a criar novos diferenciais. Era preciso mudar a tecnologia, aumentar a margem de lucro, e produzir algo com ciclo de vida capaz de aumentar a produtividade das empresas.O emprego do alumínio serviu como uma luva nos planos das grandes marcas, era mais leve, mais tecnológico em termos de processos, e dificultaria a vida das empresas pequenas. Naquele tempo, não era qualquer empresa que comprava uma máquina para soldar alumínio, nem qualquer soldador fazia um bom cordão de solda. Tanto empresas com tais máquinas e com profissionais para operar era ainda escassos... assim como é o mercado para outras finalidades tecnológicas nos dias atuais. Se você parar para pensar, o carbono começa uma invasão que o alumínio realizou a cerca de 15-18 anos. Já tem uns 3 anos que o mercado recebe até mesmo frames sem marca, confeccionados em carbono. Esta invasão tem uma finalidade... justamente atingir um cliente que tem um impulso ou desejo por buscar algo mais evoluído e desta forma se manter atualizado! O consumidor com o produto novidade é o "cara" da vez! O mercado se alimenta deste comportamento consumista sem freios e sem muita, digamos, reflexão! A dificuldade que o carbono possui é no processo... não é rápido construir um frame de carbono como é para realizar um frame de alumínio. O alumínio e o aço tem uma velocidade construtiva similar, bem como o titânio, já o carbono... aí complica! É um processo artesanal que busca industrialização. Acredito que isto chegue lá, mas por hora, não é real. Alguns especialistas dirão que o alumínio precisa de menos energia para ser reciclado... no entanto, o carbono não pode ser reciclado (ainda não), o aço é reciclado com um custo de energia maior que o alumínio, mas em termos comparativos, haverá uma polêmica discussão. Quanto tempo dura um frame de aço Cr-Mo? Quadros bem cuidados em Cr-Mo são praticamente eternos. Tenho algumas bicicletas em Cr-Mo, algumas delas usei bastante, e sei que os donos anteriores usaram ainda mais. Nunca consegui quebrar um frame de Cr-Mo, e poucas vezes vi alguém quebrar quadro de Cr-Mo... mas vi muitos quadros de alumínio rachados ou quebrados. Com o tratamento que alivia tensões internas e solubiliza as tensões em torno ou próximas do cordão de solda, quadros de alumínio se tornaram mais duráveis. Este é um processo que por algumas vezes pode sofrer erro, e desta forma acontecer o dano. Como aquela GT idrive 4.0 que tive em 2008. Quebrou justamente na solda onde era preso o suporte do amortecedor traseiro. O alumínio não tolera erros no processo... se ele estiver mal tratado, for mal elaborado ou mal soldado, vai quebrar! É inevitável! Por isto você vê no mercado vários quadros superdimensionados, para que na região do cordão de solda isto seja minimizado. Enquanto realizarmos esta caminhada sobre qualidade, tecnologia e ecologia, estaremos em reflexão para conceitos de sustentabilidade. Ainda não consegui chegar nas bikes de bamboo, nem nas plásticas, tampouco nas de madeira, mas chegaremos lá, pode ter certeza. Missão para o próximo post...

Roberto Furtado

Bike Expo 2012... malabarismo sobre rodas 20"!



Além do bike polo, este espaço disponível para demonstrações possibilitou shows sobre rodas do aro 20". Fiquei alguns minutos ali na sexta feira, e também no sábado. Apreciar um espetáculo dos rapazes é uma oportunidade que em Porto Alegre ou em muitas outras cidades do Brasil fica difícil. Não há incentivo, nem espaço seguro, um país que não preza pela arte, tampouco por sua gente, certamente que perde muito. A exemplo distante, a crítica esperava mais dos esportistas brasileiros nas "olim piadas", mas sem investimento, não há retorno, como protestar! E o problema começa assim... em rapazes habilidosos, capazes de exercer um esporte como BMX, DH, XC, etc
Fica o registro da Bike Expo, dos rapazes que faziam mil e uma loucuras sobre a bike de rodas 20". Parecia tão fácil de fazer quando se olhava, mas certamente é uma habilidade de poucos. 

Roberto Furtado

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Bike Expo 2012... reconhecimento do trabalho!


Nas páginas de uma revista que não é brincadeira, mas é pura diversão podemos perceber que foram eternizados momentos importantes para o ciclismo, para a mobilidade urbana, e para outras questões sociais as quais a bicicleta se relaciona. A Revista Bicicleta esta atingindo um patamar de reconhecimento que é fruto da dedicação de vários redatores, colaboradores, e ativistas do conceito dos pedais. Na Bike Expo, as perspectivas eram boas e crescentes sobre o mundo da bicicleta, exceto pela contestável divisão dos participantes que fez a feira perder parte da força. Mais uma vez fomos recebidos pelo público leitor, seja este consumidor, comerciante, fabricante ou distribuidor, com grandes elogios. Nos parabenizavam por um excelente trabalho, pela amplitude nos assuntos, e por insistir na causa bicicleta. Nosso objetivo e trazer mais pessoas para junto desta idéia, pq acreditamos que nela estará uma melhora das questões que se relacionam com mobilidade urbana. Acreditamos que as pessoas terão melhor qualidade de vida, e que o esporte coloca um foco muito produtivo na vida das pessoas, mesmo que estas não tenham relação profissional com a bicicleta. Do Norte ao Sul do Brasil, leitores agradecidos... saibam que é tão difícil agradar a todos, e que se a gente consegue é justamente pq suamos a camiseta. Tem muito trabalho construindo a revista em diversas partes do Brasil. Em algum PC, em alguma ciclovia, em algum balcão de loja ou roda de amigos, estará um ciclista colaborador da revista. Estes, somos nós... Você sabe quem somos? Se não sabe, por favor, leia o Expediente da Revista Bicicleta. Fazemos uma luta diária para que seu transporte, entretenimento e conceitos sejam conhecidos e reconhecidos. Nos ajude, a ajudar a bicicleta! 

Roberto Furtado

sábado, 11 de agosto de 2012

Where the trail ends... para quem gosta Freeride e Downhill!

Bem curtinho... 2 minutos de diversão! Uma ótima produção... vi que estes mesmos caras tem uma série de videos. Notável é a quantidade de tombos... tem que ter a manhã para cair tanto assim e escapar de hospital!  os caras são bons mesmo! Sobre a produção audiovisual, espero poder em breve realizar produções como esta... sendo otimista, mas um tanto quanto sonhador!
Roberto Furtado

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

A metalurgia e a sustentabilidade - Bicicleta ecológica! Parte 1

fotografia: Roberto Furtado

Esta abordagem sem dúvidas é polêmica... Antes de começar, gostaria de lembrar que este blog é autônomo, sem fins lucrativos, e baseado em experiências e vivências pessoais. Sendo assim, ele terá sem dúvidas um peso pessoal de seu idealizador, neste caso, este que vos escreve mais uma vez. O aço é um dos materiais mais antigos manipulados pelo homem... lembro ainda de algumas palavras do professor Serginho, da disciplina de Aços e Ferros Fundidos. Serginho já não esta entre nós... então eis que explico a passagem de tempo e a relativa intimidade que tenho para com o Aço, material que mais admiro nesta vida. A composição do aço é tão versátil e possível que temos inúmeras ligas e combinações destas. Talvez o aço seja um dos materiais mais ricos do mundo em termos de propriedades. De acordo com sua finalidade, ele assume um papel que pode ser do "ferro" mais duro e quebradiço do mundo, ao mais macio (mole e deformável) ou ainda, o mais flexível... a exemplo de molas de veículos. Afinal... falamos de Fe ou de Aço? O Fe é um elemento que se encontrado na natureza com ausência total de outros elementos, em sua pureza, tem pouca finalidade tecnológica. Quando o Fe é combinado ao Carbono, e a outros elementos, recebe o nome de Aço. Então, Fe + C = Aço! Conforme o percentual de Carbono é adicionado na composição do Fe, torna-se este um aço mais resistente e manipulável quanto as suas propriedades. Hoje temos aços diversos, em alguns exemplos de SAE 1020, 1045, etc A manipulação térmica desta combinação do Fe + C, gera estruturas capazes de alterar a resistência e outras propriedades. Por isto, frames fabricados com aço de melhor qualidade, tendem ser mais resistentes, mais leves, mais confortáveis, pois é possível escolher para que lado o fabricante desejaria projetar um frame. Na atualidade, sabe-se que as bicicletas mais comuns do mercado são fabricadas em aço, possivelmente um 1020 (baixa qualidade), contudo, frames de qualidade são fabricados em Cr-Mo, que é justamente uma liga de AÇO com percentuais de cromo + molibdênio. Nesta liga de Cr-Mo existem diversas possibilidades de combinação, que vão desde propriedades resistentes a corrosão, a elasticidade, durabilidade, redução de peso por massa, dentre outras possibilidades. Embora a grande maioria das pessoas estejam procurando pelo material alumínio, este possui características inferiores ao aço no que diz respeito ao projeto de bicicletas. Dentre eles esta o fato de que bicicletas de alumínio serem muito mais duras (já andou numa bicicleta de alumínio sem suspensão?), menos resistentes ao processo de fadiga, difíceis de soldar com perfeição (isto já esta meio superado), aparência inferior em acabamento, etc Se tratando de fibras Carbono ou até mesmo do elemento Titânio, sabemos que os frames passam a ser caros, e nem sempre viáveis. Neste momento, cabe-nos refletir sobre o uso que daremos a bicicleta. Comprar um frame de carbono para dar voltinhas na quadra... pode ser uma opção, mas não é muito necessária. Já viu alguém derrubar algo pesado sobre um frame de aço? E sobre um frame de carbono? Carbono é material de competição, Titânio idem... o alumínio é viável, ocuparia uma lacuna entre Aços e Carbono! Considerações a fazer para compreender o uso, esta é a proposta deste blog. Se você refletir, fará uma compra segura, eficiente, consciente! Se puxarmos a brasa pro lado da sustentabilidade, então estaremos nos preocupando com questões importantes. Vai haver quem diga que o ideal é uma bicicleta de Bamboo, de madeira, e até mesmo de papelão... e para não estender demais este post, entrarei neste assunto na continuidade! 

Roberto Furtado

Bike Expo 2012... Jamis 29" de Cr-Mo!

Jamis Dragon 29

Reynolds 520
Bem, o Andarilho vai virar profeta... ainda me lembro de anos atrás, quando frequentemente ouvia de comerciantes, vendedores, e ciclistas que o Cromoly jamais voltaria ao mercado. Explicava que se tratava de uma proposta diferente, para uma finalidade não competitiva, e então muita risada escutei como se estivesse passando por louco. Brincadeiras em meio a verdades, uns 6 anos atrás comentei sobre este retorno do material perfeito para espadas, faças, molas, e todo tipo de aplicabilidade onde o aço nobre pode ser empregado. A Jamis esta no Brasil, e dentro desta linha de excelente qualidade se apresenta um material que criou um impacto. Caminhando pelos corredores, percebi o forte emprego do Cr-Mo para bicicletas de passeio e mobilidade, a exemplo da Linus, da Tre3e e outras tantas que apresentaram em especial conceitos fixie e single. Muitos devem se perguntar pq uma fixie custa 2000-3000 reais. Respondo que capricho tem preço... muitas vezes, não estamos falando de uma fabricação em série de milhares na produção. Que as fixas invadiram o mercado ainda em 2011, isto foi percebido por todos... mas o que ninguém esperava é que alguma marca TOP fosse apresentar uma 29" de Cr-Mo de alto nível. Descrevo o produto para que os curiosos sejam alimentados... a Jamis Dragon 29 estava lá, paradinha ao lado de outros destaques da marca. Quando passei por ela foi bater o olho e perceber do que se tratava. Tubos delgados, que na pintura escura reduzia ainda mais a impressão sobre as dimensões dos tubos. Passei a mão sobre o cordão de solda... um tubo gelado, com solda fina como poucas. Cordão de solda organizado! Corri os olhos para as etiquetas, na junção do down tube com seat tube, em destaque amarelo assim "Reynolds 520". Para deixar ainda mais animados os adoradores do Cr-Mo, abaixo estava detalhado: Butted Frame Tubes. No capricho acentuado, componentes de qualidade. Suspa Manitou, freios hidráulicos Avid Elixir 3, e outros pequenos e importantes caprichos que o biker caprichoso sabe valorizar. Fico por aqui... sacudindo os comerciantes para que não confundam uma bike deste perfil com uma bike de Carbono ou Alumínio de baixo peso. Esta bicicleta é perfeita para cicloturistas, maratonistas eventuais, passeios, não que não possa ser usada em provas de grande relevância. Ela pode ser utilizada em provas, mas obviamente seu peso 1,5 ou 2,0 kg acima de um modelo TOP de competição pode ser visto como um prejuízo de desempenho. Contudo, não esqueçamos que esta que aparece nas imagens acima é uma bicicleta muito mais durável que uma de carbono... ela feita pra aguentar um tranco, que nem de longe o carbono suporta. As bikes de de Cr-Mo possuem equivalência do carbono no conforto, talvez sejam até mesmo superiores em função de uma diferença no projeto. Um conforto, que no alumínio jamais se viu! Um acabamento que jamais existira no alumínio! Um durabilidade que jamais existira no alumínio! É o Cr-Mo em todo sua força... a força de uma espada no formato de uma bicicleta! 

Texto e fotografia: Roberto Furtado

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Audax 200 e 600 km da Sociedade Audax de Ciclismo

Sociedade Audax de Ciclismo / fotografia Roberto Furtado
A Sociedade Audax de Ciclismo divulga nesta data a lista de inscritos e pré-inscritos. Convida aos ciclistas para realizarem a inscrição até esta data com valor diferenciado. Os brevets são de 200 km e 600 km. Lembrando que este é ano de 1000 km, festejado com orgulho gaúcho, nomeado como Giro do Chimarrão 2012. Vale lembrar que o pior período climático passou se tratando de baixas temperaturas. Muitos ficaram assustados com os 400 km devido a temperatura do gigante girar em 0-1ºC. Teremos este ano a participação de ciclistas de Teutônia e Bagé, dentre outros vindos de estados distantes do Brasil. 
O link da SAC esta abaixo da fotografia que fiz nos 400 km, em aproximação, destaque para o pelotão colorido de Teutônia! Desejamos uma boa preparação para todos, e ficamos ansiosos por novas histórias... histórias que acontecem nas estradas da longa distância. Um gigante não temido... será derrotado!

Roberto Furtado

Bike Expo 2012... Bike Polo!




Durante a feira aconteceram alguns jogos de bike polo. O esporte, para quem desconhece, é a versão bike do polo. No país do futebol e em qualquer outro lugar, bike polo consiste de duas goleiras, dois times oponentes. Os atletas pedalam sobre as bicicletas segurando-se com apenas uma mão no guidão. Na mão que sobra (sobra? hehehe) o jogador segura um tipo de taco (Mallet) com o qual deve bater na bola e colocar a mesma dentro da pequena goleira. O esporte para bem divertido, exige precisão, técnica, e destreza em conduzir a bicicleta com uma única mão. O jogador não pode colocar os pés no chão, mas pode apoiar-se por meio do mallet. Este ano será a primeira vez que uma equipe de meninas brasileiras jogará fora do país. Parece tão difícil... mas é visível que elas já dominem bem o tal jogo. Bem, estaremos torcendo... espero que elas se divirtam!

Texto e fotografia: Roberto Furtado

Reconstrução de outra Caloi Cruiser... xiii virou febre! 1ª Parte






Foi ontem que o Ricardo da Adventure me ligou... "Beto, passa aqui pra ver a Caloi Cruiser que chegou pra reconstruir!" Pedi para adiar a desmontagem, pois queria fazer umas fotos para ter o antes e comparar com o resultado final. Esta é a terceira Caloi Cruiser que esta sendo recuperada de dentro do túnel do tempo. Então achei relevante e curioso esta intenção devido ao modelo. Ainda não sei o que vai ser feito... preferi não perguntar, e desta forma ficar curioso. Espero sinceramente que seja no padrão das outras duas, apresentadas aqui dias atrás. Coloquei os links abaixo para os esquecidos ou desavisados não ficarem curiosos.



A grande questão sobre o pq estas Cruiser estão sendo reconstruídas, se deve ao fato de possuírem o rasgo para encaixe da roda na horizontal. Esta opção permite que a corrente seja ajustada com facilidade, já que não se usa cambio nestes modelos. Não se usa, mas alguns modelos tinham 3 marchas naquele tempo. E mesmo alguns modelos que não possuiam este atributo, existia a gancheira para câmbio. Coisas do túnel do tempo... no tempo em que eu era criança. E tanta coisa era diferente... o que será que motivou tantas mudanças? No mundo das bikes, a era do Cr-Mo sumiu, voltou, e hoje se apresenta em modelos de custo mais elevado que os de "aluminum" (eca). Brincadeiras a parte, cada elemento tem seu espaço, sua finalidade! Bem, sobre a Cruiser de aço... roda pra frente!

Roberto Furtado