terça-feira, 19 de junho de 2012

Enrique Peñalosa no Salão de Atos da UFRGS 18.06.2012




O conferencista Enrique Peñalosa fez um trabalho excepcional. A forma como algumas verdades são ditas possibilita que a idéia seja mais convincente. Quem não compreende os problemas do cotidiano? Ou não percebe que a frota de veículos automotores se tornou um problema? Não é somente em carros que os problemas se concentram, também em coletivos tipo micro ônibus e ônibus de porte maior. A verdade é que temos tantos problemas que não sabemos por onde começar. Poderíamos apontar o elevado valor das passagens municipais, e a estas atribuir o crescimento das vendas de motocicletas, já que andar de moto custa muito menos que andar de ônibus em Porto Alegre. A cidade que é uma selva de pedra, parece ter mais prédios do que árvores (como se consegue tal proeza?). Uma cidade que vai totalmente de encontro ao caos. Carros demais, ônibus demais, motocicletas demais, pessoas demais, prédios demais... bicicletas de menos! Sem extremismo é preciso pensar... gerar rotinas com horários diferentes, criar alternativas de transporte, melhorar o transporte urbano e reduzir o custo de deslocamento. Talvez reduzir custos em horários alternativos!!! Quais possibilidades temos? Achamos ruim perder um ou outro conforto, mas ficar horas no trânsito já não é perda de conforto? Esperaremos mais um pouquinho? Antes de finalizar, gostaria de reafirmar uma frase de Enrique, disse ele ao mostrar a imagem do planeta terra vista do espaço: "Gosto de pensar que a terra é uma grande nave espacial auto suficiente!" Depois abordou com facilidade e conhecimento ímpar sobre os limites que estamos empregando ao planeta, de um mundo sem Fronteiras do Pensamento. 
Preciso dizer, a bicicleta, gostemos ou não, é o veículo do futuro! Não o único, mas um dos mais importantes. 

Roberto Furtado