quarta-feira, 30 de maio de 2012

Razões para manter um blog... energia em ideais! Princípios e etcetera!


Muitas vezes parei e me perguntei sobre os motivos de manter este blog... muitos amigos pensaram que talvez não fosse possível fazer como tenho feito desde 2008, com o surgimento deste. Apontavam possibilidades de desistência de minha parte, desmotivado por suposições como esgotamento de assuntos e de vivenciar intensamente a história da bicicleta no Brasil. E seria uma hipótese possível devido a dificuldade de mostrar ao mundo que a bicicleta é uma realidade necessária como veículo, como lazer, como equipamento "moldador" de caráter e entendimento da vida. Estou afirmando que a bicicleta é sim uma grande alternativa que um pai oferece a um filho... e que desta forma pode ser ele uma pessoa melhor se compreender o que é viver sobre os entendimentos oportunizados por uma bicicleta. Muitas vezes me cansei... me desanimei quando olhei para o céu azul inatingível, e comparei este as dificuldades de "impor" a aceitação da bicicleta a sociedade através das pessoas que vivem a minha volta. Parte destas pessoas jamais entenderão esta forma de olhar o mundo... jamais! Elas vivem em uma zona de conforto, cuja membrana protetiva é a lataria de um carro. E nesta proteção encontram-se realmente motivos ou "provas" que são difíceis de derrubar. A começar pelos assaltos, que no interior dos veículos as pessoas pensam e de certa forma estão mais protegidas. Este é um argumento difícil de reverter em favor da bicicleta. Contra o céu azul, o guidão da bike junto de folhas de plátano me dão esperança... e aí tomo mais um gole de energia e continuo a escrever palavras e frases que misturam bicicleta, paz, fotografia, princípios, saudade e algo mais que este blog possa expressar. Escreverei, tornarei a escrever, e muitas pessoas passarão por aqui e dirão: "Que cara maluco!" E talvez com razão... afinal, remar contra a corrente pode não ser coisa de alguém muito centrado. Por outro lado, quantos blogs você conhece que tem a energia para insistir, argumentar, refletir e aprender com o próprio leitor. Aprender... sim, aprender! Aqui, cada reflexo do leitor vira reflexão, vira uma nova tentativa, uma criação consequente! Muitos blogs que conheci, e que possuiam a energia de postagens frequentes, acabaram se encerrando por quaisquer motivos que seja. Desgosto ou cansaço na maioria dos casos. Aqui não... embora gaudério contemporâneo, murro em ponta de faca! Vou levando, vou empurrando, e você vai ajudando... depois do topo da subida, há de vir uma longa jornada descida ou de plano, onde o blog andará praticamente sozinho, talvez com a ajuda de alguns que hoje são leitores. E talvez a multiplicação de bicicletas seja favorecida por estas páginas. Sou idealista? Talvez... não deveria? 

Roberto Furtado