sábado, 28 de abril de 2012

Do cicloturismo... rádio?



O dia foi chuvoso, e havia reservado uma seção de fotos de uma bicicleta para mostrar hoje. Com a chuva, foi a negação do ensaio ciclístico, então fiquei nas "obrigas" de trazer um outro algo interessante para cá. Antecipei este post que estava programado para dias a frente, e cá estamos. Espero que a curiosidade da bicicleta do ensaio que ainda não aconteceu permita o sono de quem estava no aguardo. 
Este ano deve ser um ano de realizar alguns sonhos. Como sempre descrevo, precisamos sonhar, e precisamos colocar em prática os planos para materializar os sonhos. No segundo semestre deste ano pretendo fazer uma viagem de 700 km. Nada especial para alguns, habituados em fazer 1000, 2000 ou 10000 km. O que importa não é a distância, e sim o que representa cada história, lugar e pessoas por onde você passa. A viagem que estou preparando para o segundo semestre deste 2012 me leva a uma jornada que descrevo como espiritual, como faziam os índios. Estou preparando a bicicleta, apetrechos, e tudo que será preciso para eu realizar esta tarefa de alegria. O amigo Raul me sugeriu um rádio, não como item de cicloturismo, mas depois de conhecer o aparelhinho percebi o potencial do mesmo. Uma viagem solitária pode ser cansativa... então pensei no rádio. Nos atributos do mesmo, baixo peso, bateria recarregável por conexão usb, painel fotovoltaico (próprio/carrega com a luz do sol) e até mesmo uma manivela para um último recurso (noite). O aparelho ainda permite conectar-se ao celular, e desta forma pode carregar o mesmo. Então fiquei pensando que ele deveria fazer parte da lista de utilidades da viagem. Não quero chegar no ponto de ter que decidir por escolher entre um item ou outro devido ao excesso de materiais, e por isto estou tentando ser coerente neste momento. Como vou levar barraca, e na maioria dos locais onde estarei não existe vilarejos ou casas, então levarei algumas coisas que me permitem algum conforto. E desta forma eu não fique me sentindo um "Andarilho" desconectado do mundo.
Roda pra frente... sonhos na prancheta, sonhos em realização.

Roberto Furtado