domingo, 29 de abril de 2012

2ª Etapa do Campeonato Gaúcho de Cross Country - fotos e considerações








Inicio o post de forma incomum... Foi realizada uma prova em Porto Alegre, com mínimos recursos financeiros. A prova, com certeza não deu retorno direto. A falta de patrocinadores, e de um apoio importante, como a prefeitura faz a diferença entre poder realizar ou não um evento desta proporção. Acompanhando de perto no exercício de fotógrafo, e também como "divulgador" de prova, acabo conhecendo e sabendo as questões. Se fez um esforço fenomenal por parte dos apoiadores (algumas lojas de POA), do Ronco do Bugio (representado pelo Luciano), e da própria FGC. Todos eles contribuiram financeiramente, também com trabalho, e com o carinho para confeccionar um espetáculo. Como disse antes, o Ronco do Bugio é um lugar lindo. Do alto, se enxerga a continuidade do "rio" Guaiba, Itapuã e outros morros que descrevem perfeitamente o cenário Porto Alegrense (da zona sul). A receptividade foi excelente, mas o importante é lembrar que a infraestrutura do local permitia um conforto muito bacana onde os ciclistas podiam levar suas famílias, almoçar e divertir-se. Aliás, a comida lá é muito bem falada. Felizmente a chuva foi ausente durante a prova e isto melhorou ainda mais as impressões do local. Tinha já aquele ventinho frio de inverno... mas aqui é o Rio Grande do Sul, da famosa Serra Gaúcha, dos maiores mananciais hídricos do Brasil, então se compreende que em tal geografia e estação do ano, estejamos em baixas temperaturas. Tais que se percebem claramente nos agasalhos dos espectadores. A parte ruim do clima nublado é que as fotos não ficam como eu gosto. Tentei resgatar um pouco as cores que se apresentam somente com a natural luz solar, mas sempre que fica diferente. A começar pelo sombreamento!
Ouvi de pelo menos 12 ciclistas a expressão semelhante a esta: "Uma das melhores pistas de Cross Country que já pedalei!" É exatamente isto que devemos lembrar e questionar sobre os locais de prova. Se eles tem infraestrutura e se a pista comportaria uma prova de caráter internacional. Neste caso, uma mera referência da alta qualidade da pista. Fiz ela a pé, com cerca de 4 km. Um trecho muito escuro muda o visual e a sensação de pedalar (já pedalei nela antes), pois você entra no breu da tardinha em pleno meio dia! Mata nativa espetacular, pontilhões sobre córregos. Tudo dentro de uma única propriedade! 
Fecho este post com um apelo para que os ciclistas envolvidos neste esporte... tentem algo mais para que  as provas possam ocorrer com maior frequencia e qualidade. Não esqueçam que trazendo mais um atleta para FGC se consegue mais uma inscrição. Quem souber como apoiar a FGC ou provas em Porto Alegre, estará participando deste grande evento que envolve a bicicleta, amizades, e consciência ambiental. 
Perdão pelo post extenso, boa semana, e roda pra frente!


Roberto Furtado