quinta-feira, 29 de março de 2012

Quando surgem mitos...

Lucas Bertol
Quem não pensa em ser melhor em algo? 
Quando crianças, acordamos pra vida da sociedade e descobrimos aos poucos se somos ou não bons em alguma coisa. A gente vê os amigos, colegas, vizinhos, por vezes mais velhos e logo pensamos: "Queria justamente fazer igual!" 
Parecido é também quando assistimos um filme de super herói, tal como Batman ou Homem-Aranha. Nada mal fazer algo extra sobre os demais mortais. O poder de sermos "algo" mais é da natureza humana, superar é um desejo diário que nos envolve na vida profissional, estudantil, ou em outro "algo" de que gostamos muito. Tem algum tempo que tenho fotografado as provas da FGC e outras que ocorrem no mundo da bicicleta. Nesta tal bicicleta, meninos jovens, meninos grandes parecem mudar de fantasia quando nela estão. Subir na bicicleta desperta um sentimento de super poderes, talvez verídicos, talvez fictícios! Se percebe bem isto na maioria, ciclistas veteranos, também na categoria master, e muito mais na Juvenil. Talvez a idade que chamam de inconsequente, seja também o elo da superação. Apenas uma suposição! Teve um tempo em que eu me sentia assim, claro que dentro das minhas limitações, como todos possuem. Superar-se é sempre uma meta humana daqueles que querem ver depois da curva. Aonde vai dar esta estrada, ou esta descida? Como chegar mais rápido? Consigo me superar? É possível superar os demais? Estas perguntas estão todas ligadas ao novo, ao desafio, a superação, a vontade crescer!
Na última prova de Downhill, eu e muitos outros percebemos o evidente! Cada ciclista que descia o morro, batia ou quase batia o tempo do ciclista seguinte. Foi notável! Meninos talentosos... muito talentosos! Vários ali vão para o Mundial e outras provas, mostrarão que são a nata do DH. Elitizados, com humildade, amizade, companheirismo! Assim é o DH gaudério...
Durante a prova, ouvi pessoas, espectadores e pilotos. Algumas vezes, das bocas saia um nome... Bertol, Lucas Bertol! Mesmo nome que se confirmava campeão da categoria mais rápida, a Elite. De um dos meninos na trilha, e de outro colega, escutei atento as palavras. Um deles disse: Lucas com bicicleta nova passa tão rápido e macio que ninguém escuta ele passar! Quando vê já passou!", o outro complementava... "Cara, Bertol é um fantasma!" Nas palavras de colegas que reconhecem o talento de um piloto. Considerações de cada um, de certo um excesso, acredite e veja quem quiser como quiser... para mim, Lucas é um herói do DH, alguém que têm um talento especial. Sim, ele é um ciclista com este "algo" mais que todos quereríamos ser. Tornara-se um mito das pistas de DH. Assim nascem os mitos...

Roberto Furtado