sábado, 10 de março de 2012

Frame Trek 930... reconstrução de old school - 2ª Parte!






Na continuidade de um projeto interessante, segue a série de fotos depois da pintura. A cor escolhida foi bem diferente da original. Pensei em sair do original e ensaiar novas opções em reconstrução. Fazer fiel nem sempre é possível, pois o limite esta muitas vezes no custo, nos prestadores de serviços, e na confiabilidade. As imagens não representam muito bem a cor real, pois a interferência da luz ambiente sempre acaba por trazer alterações que precisam ser pelo menos comentadas. É possível ver que na única foto tirada com ambiente de rua, já aparece uma variação de tonalidade. Penso que no horário certo, depois de montada e com técnica fotográfica perfeita, acabarei chegando na cor real para publicar na internet. E neste caso o limite será da configuração do monitor de cada leitor. Já que raras pessoas tem aferição dos mesmos. 
Gostaria de salientar que a qualidade do frame é impressionante, cordão de solda fininho e parelho, gancheiras bem desenhadas e com excelente marcação, e são presentes outros detalhes, como a furação que aparece atrás da caixa de movimento central e que tem a finalidade de não permitir que a corrente suba entre as coroas e o quadro. Pequenos detalhes que fazem a diferença entre um frame de largada e um grande frame. Tal como o fato do quadro ser um dos poucos "frames" construído com Cr-Mo Triple Butted. Normalmente os quadros são fabricados com tubos de Cr-Mo normal ou double Butted. Significando que o quadro recebeu atenção para ter menos peso, já que os tubos chegam a possuir 3 espessuras diferentes entre paredes. Não tomei outras decisões sobre este projeto... contudo, como pode ser visto nas imagens, inclui um garfo de alta qualidade no projeto. O garfo veio de uma TREK 7000, se não me engano. Um frame que acabou sendo descartado por apresentar impossibilidade de remontagem. Segurança, aqui é preferencial! 
Não decidi nada ainda sobre montagem, componentes, estilo... as dúvidas sempre são tantas, assim como as vontades em fazer projetos como este. Tem muita coisa pra experimentar em combinação, tendências, e estilos de uso. Talvez suspensão e pneus largos, possivelmente componentes da década de 2000, já que pretendo colocar no uso para ver o desempenho no chão batido. Nada decidido, mas roda pra frente...

Roberto Furtado