sábado, 25 de fevereiro de 2012

Debate na Rádio Guaíba gera descontentamento de comunidade ciclística!


Em 31 de Janeiro de 2012 foi ao ar um dos piores debates que já escutamos sobre o assunto bicicleta.  O pivô deste post é o descontentamento de diversos ciclistas. E desta forma recebi através internet, julgo importante criar uma reflexão sobre este assunto. Bicicleta, mobilidade urbana, segurança no trânsito são assuntos de altíssima seriedade. Lamenta-se que tal tenha ocorrido da forma como transcorreu. Foi a perda de uma oportunidade! Eleger um ciclista conhecedor das leis, maduro, e determinado a falar por uma "Massa Crítica" seria uma necessidade. A Massa Crítica tem um valor e uma força que não conhece, talvez justamente pela falta de um líder concentrador de esforços em defender a magrela de duas rodas. Quem seria este, bom... isto seria papel de decisão da Massa. Contudo existe sempre a esperança de que um dia, depois das nuvens, surja um alguém capaz de tomar a frente e dizer o que precisa ser dito, da maneira correta. Toda vez em que algo é dito de forma incorreta, de forma equivocada, uma porta se fecha! As vezes, para sempre! 
Cercando os assuntos relacionados a mobilidade urbana de Porto Alegre, os veículos de comunicação buscam respostas através dos orgãos responsáveis, pedestres, ciclistas, e motoristas. A verdade é que muitas são as formas de se compreender o trânsito que sempre possui a razão de seu observador. No entanto, a legislação de trânsito é clara, mas pouco divulgada, talvez incompreendida por seu leitor ocasional. O que pode ser feito para que as pessoas consigam interpretar de forma correta o que é determinado em lei? Se ciclistas vão a mídia e dizem o que não é correto, como obter o respeito da sociedade na conquista das ruas. Falar através de veículos de comunicação de grande amplitude requer maturidade e conhecimento. Descrever a lei de forma incorreta é ajudar terceiros a cometerem erros, alguns graves! Abaixo o link onde estão 3 gravações, recomendo que escute inteiramente a parte 2, onde podem ser percebidos diversos erros cometidos pelo ciclista entrevistado. Lembro sempre, antes de sermos ciclistas, somos cidadãos comprometidos com ideais de uma sociedade que cumpre uma legislação.

Rádio Guaíba: "Plano diretor das ciclovias da Capital prevê 495 km de rotas alternativas"

Roberto Furtado