sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Uma bike para estudar... ir estudar! 2ª parte

Garota com mochila segurando bicicleta

Estou refletindo sobre a bike que utilizarei para ir e voltar da faculdade. Já pensei e repensei diversas vezes, e cogitei montar uma speed simples, com fita antifuro e tal. A vantagem de um speed sobre uma mtb seria a agilidade em asfalto e também na hora de erguer para entrar e sair da estação do trem. Considerando mochila e bicicleta, e unindo estas questões ao problema do ombro, seria conveniente uma bike leve. Leve sem perder o conforto, afinal, leve e desconfortável não serve de nada. Outro adjetivo da magrela deve ser discrição. A bicicleta ficará em um bicicletário num local com baixa circulação, e meio receio é o mesmo que de todos os ciclistas... deparar-se com o espaço vazio no retorno! Bike discreta, bike menos almejada, nem por isto seria destituída de atributos. Atributos as quais o ladrão pode desconhecer, e isto seria o trunfo! Uma fixa ou single seria esta bicicleta? Receio que não... não sei se me adaptaria a andar em algo sem roda livre, ou sem marchas. Tenho andado pouco, estou com disposição física pela metade, ou menos! Quanto a cor da bike, imagino que preta, cinza, algo que não seja atrativo... xiii, daqui a pouco nem eu vou gostar desta bicicleta! Leve, discreta, com relação eficiente, esta ficando difícil! Acho que vou ter que realizar aquele teste do tempo entre casa e faculdade, incrementado o assunto de onde deixar a bicicleta. Se é possível encontrar outro lugar alem do pobre bicicletário, ou se pertinho do predio onde vou estudar é possível fixar a bici. Uma bike para a lida estudantil esta virando um projeto cheio de complicações.

Roberto Furtado