domingo, 20 de novembro de 2011

Fotografia de esporte de aventura... dedicar-se é preciso, então, valorizar!


Minutos atrás cheguei em casa... troca de roupa, vai pro banho, come alguma coisa, e somente depois parece que o ritmo vai voltando ao normal. Acordei as 4:30 da manha de Domingo para realizar as fotos da SAC (Sociedade Audax de Ciclismo), cheguei atrasado pq peguei um acesso errado... estava meio sonambulando ainda! Este post não tem relação direta com a SAC, ou com a FGC. Este post é uma justificativa, por assim dizer. Queria afirmar o trabalho que venho fazendo, nem peço bajulação. Estou muitíssimo insatisfeito com algumas pessoas, e devidamente oposto com outras. A desvalorização do trabalho é algo bastante desmotivante. Não pense que para fazer fotos razoáveis, como as que se apresentam em meus albuns, precise apenas de uma boa máquina. Criar é preciso... o fotógrafo, queira alguns ou não, é um artista! Sendo um artista, passa ficar claro que é um profissional. Fotógrafo na atualidade tem muita facilidade, e tem muita coisa que deve saber também. Quem aprende com a vida, não percebe que para todo tipo de foto existe um ângulo, motivo! Existem "regras" de coerência para fotografia. Quando vejo alguém boquiaberto quando digo que vendo uma foto de alta resolução por 10 reais (em média), penso que este alguém não tem a menor noção do que é trabalho para ter uma boa foto em um álbum com 200, 300 ou 600 fotos. Quantas fotos de boa qualidade você tem visto por aí? Digo em provas de ciclismo. As vezes aparece uma que outra, de um amigo do ciclista, que pegou uma foto na hora certa, deu sorte! Sim, se ele desconhece o manejo de uma máquina em modo manual, trata-se de sorte e automatismo. Será que ele é  mesmo um fotógrafo? Será que ele consegue assumir o compromisso de realizar 500 imagens, tratar e dar qualidade ao ponto de mandar estas imagens para um jornal ou para uma revista, ou ainda, entregar para um cliente exigente? Não é fácil fazer 1000 fotos por semana, tratar, hospedar, e armazenar tudo. Posso garantir isto! Amanhã, alguém pergunta... será que o Roberto me arruma uma foto de dois anos atrás, de um Audax? E na resposta surge a confirmação positiva... isto é sempre viável. Já pensou guardar 1000 fotos por semana, durante 2 anos? Faça as contas... Quanto custo armazenar tudo isto? 
Se faço do jeito que faço, tem quem reclame, se faço do jeito do reclamante, surgirá outro expoente descontente. Agradar a todos é impossível! Agora, achar caro uma imagem de 7-12 pilas. Penso que seja outra a resposta... afinal, todos os fotógrafos reclamam das mesmas coisas. Se o profissional se compromete e realiza o trabalho, e algo não esta de acordo. O cliente não está preparado...
E por último... se um salário mínimo, fruto de um trabalho honrado, é pago a alguém que geralmente possui pouca instrução. Quantas fotos o fotógrafo tem que vender para fazer um salário mínimo? Quantos salários mínimos é preciso juntar para comprar um boa máquina... digo uma como a que uso, ou próximo. 
Em tempos onde há bolsa família, vale gás, vale desemprego, quem sabe agora uma bolsa para fotógrafos poderem pelo menos pagar custos de trabalho. 
Uma reflexão é preciso, uma boa foto... também! Mil desculpas para aqueles que não precisavam ler este...
Roda pra frente... esta semana tem novidades. Finalização de um projeto, também as fotos da SAC, dentre outras coisas que surgirão com o dedilhar do teclado.
Um abraço

Roberto Furtado