sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Espirito biker...


Já escrevi tantas vezes aqui nas páginas deste blog que talvez esteja me repetindo.  As vezes  falo de  algo, e depois escrevo... depois de postar, lembro que poderia acrescentar. Contudo, neste momento não vale mais... fica pra depois. Tudo que vem a cabeça, é também uma oportunidade de falar, escrever e concluir bicicleta. Este ano foi muito especial, conheci pessoas, idéias, comportamentos, e alguns lugares diferentes. Existe uma riqueza fabulosa neste País, pq aonde andei, percebi adjetivos, possibilidades, e alguma saudade fica. O andarilho é um estado de espírito que nos permite libertar a mente e o coração para o novo. Abre portas, ou te dá aquele "pé na bunda" para seguir em frente. Quando deixamos o lado comodista falar alto, deixamos a bicicleta em casa, deixamos de viajar, de acordar cedo, de conhecer pessoas, de tantas outras situações que causa até um peso na consciência. Viver o novo é uma surpresa... pegar a bike, o ônibus, carro, moto, ou seja lá o que for, e ir de encontro a uma novidade, traz pensamentos, reflexões e talvez o mais importante de tudo... um novo amigo. Amigo não é aquele cara te convida para ir na balada, e depois esquece que foi contigo... some! Amigo é aquele cara que pega uma estrada ruim, passa trabalho, e depois no fim da jornada senta pra tomar um refrigerante contigo, dá boas risadas, fala das merdas que fizeram juntos. Em todo hobby, atividade, em toda situação vivida, seja trabalho ou lazer, tens a chance de mostrar o que é um espírito biker, que pode não ter nada haver com bicicleta. Ser espírito biker, ser andarilho, ser amigo... isto tudo é a mesma coisa. Vem de dentro, é impulso honesto, é palavra amiga, gesto de apoio mesmo quando firme. Ser espírito biker é coisa que pouca gente entende, é ser alguém que é lembrado por alguém com alegria, mesmo dezenas de anos depois. Na última segunda feira, perdi minha cachorra Lua... é um vazio que existe agora. A falta que sinto dela! Quando eu sentava em um degrau de escada meio desanimado no pátio da casa dos meus pais, ela me apoiava. Ela percebia, vinha até mim e se acomodava encostando a cabeça. As vezes olhava, buscando talvez um complemento de entendimento, talvez oferecendo apoio que hoje entendo muito bem. Não fazia barulho algum, talvez soubesse que sou do silêncio. Algumas pessoas já me disseram que tenho um semblante sério, quase mau humorado, as vezes calado... pensam que sou brabo, que não fui "com a cara!" Lua entendia isto, pq ela era mal interpretada por alguns, pois ela era um rotweiller, embora manso. Antes dela, tive outros cinco cães, outras raças... todos amaveis, todos companheiros, mas esta superou todas as espectativas. Um amigo pode ser um cachorro, isto é surpreendente! E pensar que algumas pessoas não entendem isto... talvez pq este espírito seja ausente nestas. Espírito biker... uma filosofia de vida, um estilo, um coração maior que o peito, uma forma menos hostil de dirigir, uma forma gentil de tratar as pessoas. Passei maus momentos este ano, mas passei outros que eu jamais trocaria. Tenho muito que aprender! Enquanto a saudade aperta o peito, continuo na estrada... roda pra frente! Ame tudo que puder!

Roberto Furtado