quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Contra a violência, pq assim a bicicleta não consegue existir!


Penso e repenso... aqui nesta caminhada do blog, os que acompanham podem confirmar. Muito do que se fala aqui é sobre bicicleta, mas muito tem relação com sustentabilidade, razão, disciplina no sentido correto de ser... sem aquela pregação, obrigatoriedade impetuosa. A liberdade é sinônima de bicicleta, mas estas são dependentes de outras questões. As empresas verdes, tentam ser verdes, sabendo justamente que algum mal causam... desmatam árvores, replantam eucaliptus ou outras árvores não nativas, pensando que estão fazendo grande coisa. Entendo isto como uma tentativa frustrada de reparar algo que é irreparável. Nenhum lugar do mundo pode ser recuperável, nada será como foi um dia. E por outro lado, sabemos que precisamos de parte deste progresso. Como poderiam as empresas minimizar impactos sem que deixassem de ganhar? E esta errado que as grandes empresas ganhem? Não... errado é vadiar, jogar fora o suor alheio, achar que todo mundo deve ter e ganhar a mesma coisa. As formas "comunistas" de pensar e ser, servem apenas na teoria, mas acabo de cometer um erro. Pq eu jamais deveria ter entrado ou citado questões políticas e econômicas. Talvez esteja errando novamente, mas acredito que alguémn deva ganahr muito, para que respingue um pouquinho em mim. Suficiente para eu viver bem, sobre a bicicleta, com máquina fotográfica na mão, eternizando provas de Audax, Maratonas, DHs, etc. E como deveríamos agir para promover siustentabilidade, alguma igualdade, e o bem geral? O atual sistema, garante que isto é impossível... realmente não vejo ser possível sem a intervenção de algo ou alguem capaz de punir e fiscalizar. Algo muito diferente deste sistema e modelo a que somos submetidos no Brasil. O Brasil é a casa perfeita para assaltantes, batedores de carteira, sequestradores, políticos corruptos, empresas que jogam lixo direto nos rios, etc. Aqui tudo fica impune, pode ser o assassinato da Juíza, que ocorreu agora a pouco, pode ser simplesmente aquela cortada mau caráter feita pelo taxista ali adiante (profissionais de trânsito que em sua maioria tem deixado a desejar). Tem também ciclistas ignorantes, tem ciclistas mal feitores... É um País que tem de tudo, de tudo que é ruim, misturado entre coisas boas... bem apagadinhas, devido a banalização de toda violência que presenciamos bastando ligar o jornal do almoço. Alías, se Gianecchini esta doente, pouco importa para a mídia. O importante é ter assunto, falar da vida alheia, que no caso de saúde, diz respeito a intimidade do ator. O que é isto que estamos vivendo? Pára o mundo, segura o freio... "Taqueospariu!" Vamos reorganizar.
Agora se queremos ter o direito de ir e vir sobre a bike ou da maneira que julgamos melhor, devemos nos mobilizar para que surjam iniciativas de gerar o bem em terceiros. Seja gentil com o motorista, com os pedestres, com as pessoas... quem não gosta de ser respeitado? Seja gentil com o ciclista, seja correto... devolva a carteira encontrada, não roube, não engane! Quantos mandamentos será preciso criar e pregar, atribuir a um Deus, para que desta forma as pessoas entendam que violência gera violência, e que gentileza gera gentileza... O que achas disto? Não é uma proposta interessante?
Pega a tua bike, seja o melhor ser humano que tu puder ser... dê o exemplo! Somente assim a bicicleta vai conseguir sobreviver a sociedade...

Roberto Furtado