quinta-feira, 28 de julho de 2011

Restauração da GT Outpost - projeto concluído!















Na semana passada Tchaka entregou a GT Outpost, mas não tive tempo para entregar as fotos. Teve trabalho no finde, chuva nos dias em que havia disponibilidade, e as fotos para o post vão se enrolando. Outro trabalho também esta difícil de fazer... trabalho de rua e foto, coisa quase impossível. Impossível mesmo é deixar uma foto bonita sem a luz do sol na cor certa. E como fotografar algo preto, evidenciando as soldas perfeitas e os detalhes sem a luz que percorre e preenche o material. Difícil! Flash na resposta dos mais adiantados, me recuso. Flash estoura em reflexo em peças brilhantes, termina com a foto. Flash é para momentos específicos! Na rua sem sol é impossível... num estudio é possível, mas fica artificial demais para uma foto de uma GT Old School. O jeito é esperar e aceitar fotos meia boca, pq infelizmente não há como valorizar algo belo. As peças substituidas por novas compatíveis foram: caixa de direção, canote, selim, movimento central, pedais, cabos de cambio shimano, raios de inox (na época não eram originais neste modelo), pneus, cassete e corrente. Ficando fielmente a época o pedevela, cambios dianteiro e traseiro, trocadores com maçaneta de freio, freios cantilever, cubos, guidão, mesa, blocagem do canote! Sim, consegui manter e reunir muita peça original da época, não deste modelo, não fielmente, algumas melhores que as da época, outras parecidas. Não é fácil restaurar... a morte de uma bicicleta da época, requer um milagre restaurador. O milagre seria encontrar duas ou três bicicletas iguais da época, onde de três magrelas se reconstroi uma perfeita. Tarefa quase impossível, mesmo na mais popular das GT da década de 90!

Link anterior relacionado: Restaurando mais uma GT Outpost

Agradecimentos ao mecânico e amigo Tchaka pela paciência, acessibilidade e dedicação neste projeto. E que venham mais oportunidades como esta, que venham novos projetos e desafios. Aqui é assim, a gente vai, perde tempo, perde dinheiro, mas enfrenta desafios que muitos entederiam como loucura. Muitos afirmariam que esta bike morreu, aqui ela renasceu e esta pronta para viver mais 20 anos até a próxima reforma. É o verdadeiro valor e sabor de uma bike de Cromoly! O cromoly luta contra sua extinção em bikes, embora saibamos que as bikes mais caprichadas do mundo, ainda sejam fabricadas a mão, por artesãos, por uma minoria que não se rende ao sistema econômico.

Roberto Furtado