quarta-feira, 22 de junho de 2011

O primeiro Audax Randonnée 400 Km

Carlos Polesello (direita)

Esta medalha ainda estava faltando nos meus 21 Audax já pedalados. Por diversas vezes e por diversos motivos sempre foi adiado. Até o ultimo dia não tinha certeza que faria também este, pois as previsões de tempo muito ruim estavam em todos os sites, jornais, rádios e televisão. E com chuva eu definitivamente não sairia. Então não me entusiasmei muito, aliado ao pouco treino e uma dor no joelho que me acompanhou desde o ultimo Audax 300 Km de 14 de maio. Na manhã do Audax, enquanto tomava um café, li um versículo bíblico de Josué 1.9 que está colado com imã na minha geladeira que diz, -"Sê forte e corajoso, não temas, nem te espantes, porque o Senhor teu Deus é contigo por onde quer que andares", então resolvi passar por cima de todas as incertezas, encher o peito de coragem e mandar ver. Acho que todos nós pedalamos olhando muito pro céu e sempre vendo a movimentação das nuvens. Podemos dizer que a longa noite teve de tudo, uma lua maravilhosa, nuvens carregadas, estrelas, neblina. Dizer que fazer 420 km numa prova que anoitecemos e amanhecemos pedalando não é fácil, a distancia é longa, surgem vários imprevistos. Mas o grupo era pequeno e bem coeso, tendo apenas a desistência de um colega de Bento Gonçalves por problemas no joelho quando estava no Km 264. Por prudência e sabedoria soube a hora de parar, eu confesso que ainda tentei que ele continuasse, porque às vezes muitos desistem por problemas psicológicos e não físicos. Nesta prova, pela grande distancia e baixa temperatura, verifiquei que devemos comer muito, alimentar-se muito bem, beber boa quantidade de líquidos, tomar café, e outros produtos que contenham cafeína para nos mantermos acordados e atentos o tempo todo e aproveitar muito bem as paradas nos PC’s para descansar. Também gostaria de salientar que o trajeto escolhido pela direção do evento é muito bom, bem seletivo. Cada vez que faço o trajeto do Pesque e Pague até a ponte do Rio Jacuí tanto na ida como na volta, fico mais apaixonado pelo local, para mim é o melhor trecho de todos os Audax que fiz. Na segunda-feira, posterior ao evento, verifiquei que estava mais “inteiro” que no ultimo 300 km que forcei e demorei alguns dias para me recuperar. E, finalmente eu me senti feliz mais uma vez por ter conseguido, porque estas distancias só se consegue com fé, determinação, coragem, ousadia, desafio, superação, propósito, preparo físico, dores, suor, paciência, estratégias, acreditar, e um bom equipamento. 

Carlos Polesello
 
Relato presenteado ao blog pelo amigo Carlos Polesello, Brevet realizado nos dias 18 e 19 de Junho de 2011.