sábado, 14 de maio de 2011

STI old School fruto de garimpo... Ergopower Campagnolo Mirage 16V



Depois de alguns dias aguardando ansiosamente a chegada dos trocadores de cambio/maçanetas de freio da campagnolo, modelo Mirage 16 velocidades, recebi o aviso dos correios e fui retirar. O material idêntico aos que tive na década de 90, em minha TREK 2000, estavam exatamente conforme a descrição do vendedor. Ele disse que a irmã dele havia usado por cerca de 50 km, e náo teria se adaptado. Chegando o pacote, abri e dei de cara com peças muito novas, bem como eu queria. Tenho sonho de montar uma road 100% italiana, como aquelas que eu via nas ruas de Porto Alegre, eventualmente, voando sobre o asfalto. Nos meus devaneios, sonhos acordado, pensava e repensava nas voadoras do asfalto, e no sentimento que elas tinham... sim, mais uma vez cito que bike tem sentimento, espírito, e desejo de velocidade. As road bikes voavam, induziam seus ciclistas a soltar os freios no topo das lombas, e aceleravam com o coração. Talvez fosse EPC, energia potencial cinética, se me lembro bem das aulas de física, onde um objeto no topo de uma lomba teria "direito" a energia quando beirava o peral da ladeira. A sensação, crença, conhecimento sobre a física, se misturam e lá se vão ciclista e nave sustentada por raios finos e fortes, a magrela se larga e leva o viajante ao delírio... até que lágrimas surjam nos olhos do "piloto", devido ao vento que bate nos com força. É neste espírito que descrevo, que realço a diferença de uma road bike... uma bela dona italiana, cujo os meninos da década de 90, viram pela televisão, ou aos domingos em estradas ou provas de ciclismo. Será que hoje ainda existe isto? Será mesmo que as bikes de "aluminum" conseguem portar espírito? Esta resposta deixo para cada um responder, mas no meu coração, a única resposta surge como um eco não me deixa esquecer: "Cr-Mo!" 
E nestes devaneios entre bicicletas com sentimento, se são italianas, americanas, ou qualquer outra devoradora de quilômetros, estão trocadores que combinam com os sentimentos, dizeres e o tal eco. E pq não sonhar, já que por hora preciso ficar aqui sentado, agradecendo por estar pelo menos digitando com o braço direito... ser grato, ser humilde, ser sonhador, com toda certeza nos faz pessoas melhores. Praticar é preciso!
Mais uma peça na caixinha, menos um grão faltante para uma futura restauração. E devagar vamos nós... eu e minhas bikes.

Roberto Furtado