segunda-feira, 23 de maio de 2011

Respirando bicicleta... semana da bicicleta!


Respirar bicicleta pode ser um termo estranho para alguns... mas a verdade é que respirar bicicleta representa estar no meio ciclístico da forma que se acredita. A dedicação que oferecemos ao esporte, a causa, tem um significado que atinge as pessoas, mesmo que a intenção inicial não seja esta. Respirar bicicleta é algo que o ciclista envolvido compreende, assume a vida de viver sobre a bike, falar sobre ela, discutir e atentar-se para questôes relacionadas, buscando conhecimento e experiência sobre esta obra de arte criada pelo homem. Afinal, o que é bicicleta? Aqui nas páginas deste blog se falou muito sobre isto, ainda que de forma imprecisa, indireta ou sem intenções determinadas, o assunto bicicleta é a essência e identidade deste blog. Algumas vezes, arrasto o assunto para longe da bike, assim parece quando escrevo sobre corridas, foto, meio ambiente, etc, mas vejo a relação da bicicleta com tudo isto. Falar de meio ambiente é impossível sem mencionar a bicicleta, pois nenhum meio de transporte poderá ser combinado ao tema sem que seja apontado como ideal, como a magrela representa a todo ambientalista. E qual a razão disto? Se não há razão entre estas questões, entendo que não haverá em mais nada. Dias atrás vi um documentário feito em cima de suposições, algo com nome após "Armageddon". No programa se fala de caos, falta de energia, falta de combustível, etc. Em momento algum apareceu a bicicleta como sendo um veículo que possuia vantagens grandes em relação ao homem a pé. Fico pensando... como alguém faz um programa no teor National Geographic, ou Discovery Chanel e esquece de mencionar a bicicleta? As pessoas tentando arrumar qualquer quantidade de gasolina, para andar de lá para cá, em quanto restasse combustível, mas a bicicleta foi esquecida. E não seria um momento destes (que não minha opinião não vai ocorrer), onde a bike deveria ser a melhor das opções? Se a bicicleta fosse mais difundida, nem tanto caos seria, afinal, parecia que o problema em sua maioria era a falta de energia para os veículos. Sinceramente... tem coisas que não entendo. As vezes parece conspiração...
Enquanto o fim do mundo não chega (espero que não), vamos apoiar a bicicleta em dias que ela deve e pode ser lembrada. Pela frente vem o dia do Desafio, eventos diversos relacionados, promovidos pela prefeitura de Porto Alegre (deve ocorrer em outras capitais), aproveite... pegue a magrela, e vá sentir o vento no rosto! Respire bicicleta!

Roberto Furtado