sexta-feira, 20 de maio de 2011

Pensamentos e reflexões me levam a novos caminhos. Bicicleta, para sempre!


A vida urbana, atual, me leva a reflexões sobre coisas e causas que não sei o que pensar. Angustias!
A vida urbana... ah, vida! Entre carros barulhentos, ônibus fumacentos, ruídos de pneus, buzinas e xingamentos.
Tensão eminente, sofrimento escaldante ao andar no interior de um carro, que ao engarrafamento parado, parece um pequeno forno. Aí a necessidade de todos desejarem o tal ar condicionado para refrescar o ar que os próprios carros aquecem. Trocadores de calor, carros são produtores de calor! Transformam parte da energia em calor.
No retrovisor, mais uma ambulância tentando ganhar tempo! Sirene ligada, como garganta arregaçada de uma mãe em despespero querendo salvar o filho.
Estresse temporário, permanente, doenças mentais formadas frente a insistência de viver errado. Alucinadas são as luzes dos carros, que ao anoitecer, parecem flashs e "sabres de luz". Velocidade da luz, vida por um triz... te vejo, te perco, amanhã tento de novo. Ah, vida! Saudade de quando tu era criança! Triciclo voador na inocente mente, criatividade veloz, pura e segura!
Tudo isto se foi, por troca se foi. Ganhamos luxo, perdemos conforto verdadeiro... irmãos matam irmãos, estranhos ajudam estranhos na esperança de mudar algo imutável.
E seu eu dissesse que tudo seria diferente...
E seu eu dissesse que existe um veículo silencioso?
E seu eu dissesse que existe um veículo que melhora as pessoas?
E seu eu dissesse que existe um veículo que não polui?
E seu eu dissesse que existe um transporte capaz de arrancar um sorriso apenas por se movimentar?
E seu eu dissesse que existe um veículo barato de produzir, que não ocupa espaço, onde raramente os acidentes são fatais, onde as pessoas podem viver com respeito...
E se eu dissesse tudo isto, e depois de tudo, ainda te dissesse que de tudo isto, o que menos importa é realmente o formato e a identidade deste veículo. Pq na verdade o que importa é recuperar o controle de coisas que nem lembramos mais, como a sanidade, a vida, o silêncio, o respeito, o amor, o colorido das árvores das vias urbanas, o colorido preservado nas edificações, a qualidade do ar nos pulmões.
E se eu dissesse que a bicicleta pode fazer isto por ti, por mim, por ele? Tu acreditaria?
A crença começa em algum lugar, e a mudança, também!
Na semana da bicicleta, pense em algo mais. Cresça, mas respeite o próximo. Imposição não é democracia, nem liberdade, nem ecologia, nem bicicleta! Bicicleta combina com tudo que te permite escolher!

Roberto Furtado