segunda-feira, 16 de maio de 2011

Audax 300 km - 14 e15 Maio de 2011

Antes da largada

Grupos pedalando no escuro...

No pedágio da concepa...

Quando parou de chover... apareceu a lua!

Na estrada... agora faltavam apenas 90km!

Curtindo a estrada...
Final de semana agitado... receio do tempo ruim, trânsito nervoso devido a jogo de futebol e outros fatores. Achei estranho o últimos dias de trânsito. Motoristas bem nervosos, talvez com pressão referente a diversas causas, resultando em "energias" negativas e mal resolvidas no sistema onde todos somos dependentes de alguma forma. O trânsito responde e recebe por isto... mas não quero enfatizar os problemas do trânsito, pois ele esta doente, não parece que existam preocupados com isto, exceto nós, ciclistas. No sábado a noite, cheguei queimado no largada, fiz alguma foto da largada, e escoltei os ciclistas até a ponte do Guaíba. Chegando lá, completando a tarefa atibuida, liberei os mesmos. Os amigos ciclistas largaram bem... percebia-se experiência entre muitos, ritmo leve, continuo e progressivo. Bem entrosados com a velha magrela. Ocorreram algumas situações com pneus furados a noite, mas todos tiraram de letra a situação. A prova foi tranquila, pareciam ciclistas iluminados por sorte, apesar da chuva e do frio. Eu diria que esta prova foi  uma das provas mais difíceis que presenciei. Teve chuva com frio, teve lomba, aí parou de chover, voltou a chover em alguns pontos da estrada, e depois veio o vento. No vento, percebi através de uma bandeira, que ele chegara a mais de 30 km por hora em alguns momentos e locais. Fortes rajadas surgiam nestes pontos. E foi nestes trechos soube que até mesmo os mais experientes e rápidos, passavam por dificuldades em manter qualquer ritmo. Foi uma prova emocionante, lamentei pelas desistências. Lamentei por aqueles que não compareceram também, pois muitos destes eram não somente experientes como fortes, e possivelmente motivo para a confirmação de inscrição de ciclistas novatos. Mesmo assim, a prova contou com participantes de locais diversos, de outros estados como SP e RJ, se me lembro bem, como também de outras regiões do estado, incluindo a turma brincalhona de Bagé.
Fico neste post deixando meus agradecimentos aos participantes, a organização pela oportunidade de estar presente fotografando e "respirando bicicleta", e por alimentar a esperança de no futuro próximo pedalar entre estes guerreiros. Ali, novamente, um dia estarei... sem lágrimas, mas com suor e alegria. Parabéns a todos, e roda pra frente, pq logo ali vem mais uma prova.

Roberto Furtado