quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

UAF 150 KM - Relato do ciclista Carlos Polesello


O relato a seguir foi cedido pelo ciclista e amigo Carlos Polesello. O relato tem por intenção transmitir a singularidade da prova, contribuindo para que outros possam enriquecer seu planejamento para provas semelhantes ou para esta mesma prova que acontece uma vez por ano. A grande verdade é que nenhum relato ou comentário consegue traduzir com exatidão as sensações da experiência vivida. Carlos é ciclista experiente em provas de longa distância, acumulando muitas participações em provas de 200 e 300 km. Como ele, todo sonhador bem sucedido tem sua própria estratégia. A forma pessoal de driblar dificuldades que ocorrem durante a prova, como pneus furados, falha do material, sono, cansaço e fome. O ciclista de longa distância é um herói adormecido no cotidiano, e que no dia de uma prova desperta para superar os próprios limites. Carlos é um exemplo disto... meus sinceros parabéns, felicitações e um grande abraço a este grande ciclista e amigo. Parabéns também, mais uma vez a SAC, por uma prova cheia de alegrias e recordações, que se cumpra o calendário 2011 com plenitude.
 
Roberto Furtado
 

 
 
Audax 150 Km Poa UAF

Quanto se está perto de completar 50 anos, parece que as opiniões já estão formadas, mas o mundo é redondo e gira e muda, e com ele as opiniões também. Após ter feito 17 Audax Randonneé, 3 desafios (100, 120, 130), em 2010 fiz um Audax 150 UAF de Porto Alegre com cerca de 25 ciclistas e apesar de terem furados 18 pneus, todos andamos e chegamos praticamente juntos. Por esta experiência anterior achei que com 10 ciclistas inscritos para o evento de 2011 e com 2 carros e 2 motos, e ao todo 6 pessoas para cuidar desta pequena “tropa”, seria a maior barbada andar em grupo. Mas definitivamente Audax UAF é para disciplinados, cumpridores de regras, e com no mínimo um pouco de experiência para andar em grupo. As pessoas vão para um evento e nem se quer lêem as regras do “jogo”, assistem a “palestra” antes, fazem perguntas e depois faz tudo o que acham que eles devem fazer do jeito deles. Só para ilustrar, quando o grupo estava um pouco disperso, um ciclista (que não era um garoto) simplesmente atravessou a estrada e começou a andar do outro lado da pista, foi quando a organização flagrou e perguntou por que ele estava fazendo aquilo, - “ É que o acostamento estava um pouco melhor.....” , e posteriormente eu perguntei o que ele estava fazendo ali no outro lado, - “Estava andando....” foi a resposta. Sei que a organização não quer colocar no site que não é uma prova para iniciantes, até porque tem gente muito experiente que não quer pedalar com regras, gosta de fazer suas próprias paradas, etc...mas neste caso é só não se inscrever. Agora ir para um evento destes e fazer dele como quiser, é melhor ficar em casa vendo o domingão do Faustão. Se você não se acha apto para pedalar um Audax Randonneé 200 ou 300 Km, então faça alguns dos desafios de 100, 120, 130 Kms para medir seu potencial, mas definitivamente abandone o 150 UAF, esta não é para pouca pratica ou indiciplinados.

Carlos Polesello