terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Perspectivas, reformas e felicitações para 2011

Chega o fim do ano... e a correria é sempre igual, talvez mais intensa se comparada ao ano anterior. A vida é igual para todos, a busca do pão de cada dia e da conquista das cifras ou do espaço. Não é pessoal, mas arrasadora como somente ela poderia. Correria! Já esta impressa em nossas mentes como obrigação, não sabemos mais viver sem ela... e com ela, surge a falta de tempo para coisas mais interessantes, como bicicleta, fotografia, e outros momentos de lazer. No processo de recapitalização de investimentos em reconstrução de bicicletas demonstrados aqui no blog, posso prosseguir. Do contrário, preciso aguardar. Sempre que sobra algum, separo para o material fotográfico ou para bicicletas, dando prioridade a primeira opção por dependo também desta para trabalhar. Agora que chega o fim do ano, aproveitarei para me ausentar por 4 ou 5 dias, dependerá das condições climáticas do local onde irei. Se tudo estiver ok, passarei bons dias de descanso... únicos, pois não tenho férias. Otimizando o assunto que mais interessa neste blog, coloco em ordem a intenção de retomar mais um dos projetos. Fiquei em dúvida para o quadro GT Outpost tamanho 16, e pensei até em não montar este, pois se assemelha demais a outros já realizados aqui, e enquanto isto outros bem diferentes deixam de ser feitos... Este é o problema, o frame do tema de reconstrução não pode se repetir, mas como escolher se nem mesmo é possível saber o que vem pela frente quando o assunto é garimpo de bikes e peças antigas. A surpresa faz parte deste jogo, e quantos pontos deixamos para trás pq não é este o foco de nossa proposta reconstrutiva? Isto, ao meu ver é pior que loteria... pq não há apenas ganhar ou perder, mas sim encontrar algo que interessa ou não, ou de tamanho, ou de marca que não seria interessante. Estou muito inclinado a fazer uma peugeot do início ao fim, atribuindo qualidades modernas a ela, como pivôs de vbrake, e até mesmo cubo de marcha interna. Sem contar coisas que tenho vontade de mandar vir de fora, como uma mesa de boa qualidade, guidão confortável, um selim brooks, coisas que somente um biker exigente entenderia, a exemplo de quase todos que aqui passam. E já que o assunto é qualidade, fico impressionado como o Brasil tem crescido neste segmento. Os ciclistas brasileiros estão fazendo com que o mercado ciclístico cresça. É de se esperar para os próximos anos, que muitos dos produtos não encontrados aqui, passem a ser trazidos por importadores que agora se "importam" com o mercado. Tirando o Brasil de um título de emergente, para "emergido", se é que me faço entender por entre ironias e brincadeiras. 
Agora, poderia eu ser mais uma vez cansativo e desejar o mesmo do ano passado, com doses fortalecidas pela reincidência de afirmativas. Gostaria para este 2011, para mim e para vocês, melhorias bruscas no trânsito, paz, saúde, realizações em tudo que for desejado, mas acima de tudo, Paz! Faço meus votos antecipados, e espero sua participação aqui e em tudo que gira em bicicleta.

Um grande abraço

Roberto Furtado