sábado, 16 de outubro de 2010

Farol improvisado, melhor que industrializado!

O maior do problemas do pedal noturno é a visibilidade. Nos passeios noturnos realizados na cidade é possível trafegar sem maiores problemas, utilizando a iluminação que provem de edificações e da iluminação pública das vias. Ficando apenas a desejar a questão de ser visto por automóveis. Ciclista sem iluminação pode ser alvo de acidente, pois muitos ficam quase invisíveis aos olhos de condutores de veículos maiores e rápidos. Por isto o pisca traseiro é muito importante, pq o ciclista não tem como controlar o movimento quem segue no mesmo sentido e direção (que passa por ele). Na cidade podemos dizer que apenas luzes indicadoras ou sinalizadoras são suficientes para dar segurança ao ciclista, mas quando estamos em maior velocidade, sobretudo em descidas, a melhor visibilidade do pavimento deve ser prioridade.  Na estrada a situação se agrava, primeiro pq a escuridão é predominante, e depois pq os carros que vem em sentido contrário lhe pregam peças no entendimento quando o cérebro tenta "decifrar" o pavimento. Esta intuição realizada pelo cérebro dá outro assunto no qual não me aventuro... contudo acho muito interessante. Sobre faróis de bike, hoje, o que se tem no mercado geralmente é caro, ou não tem qualidade. Quando planejei o Audax 300 km, o qual acabei por fracassar, sabia que necessitaria de um jogo com boa iluminação. A sugestão veio do amigo Raul... que me emprestou um laterna Trust Fire para adaptar no guidão, com abraçadeiras metálicas comuns. Fiz a prova no periíodo da noite em perfeita segurança. A lanterna usada como farol é tão forte, que alguns carros dão sinal de luz, pedindo para reduzir. Um melhor posicionamento melhora este problema para quem trafega no sentido contrário. Posteriormente, ganhei do Raul um farol destes, e em seguida ganhei um suporte de laterna para guidão. Confesso que a laterna é inúmras vezes melhor que um farol tradicional de bicicletas, e somente fica a desejar um bom suporte para colocar esta no guidão da bike. Mesmo assim, a idéia supera a opção de laterna tradicional para bicicletas. Além do mais, a laterna usa uma bateria específica, recarregável, tem boa duração, e já me serviu inclusive nas pescarias. Com certeza, se tratando de bem material, fora o melhor presente que ganhei de um amigo, tamanha satisfação que tenho com o produto. 
Logo mais faço mais um post, e coloco as fotos da lanterna presa na bike. Agradecimentos ao amigo Raul.

Roberto Furtado