quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Dia Mundial "sem carro"

Como já expressei tantas vezes aqui neste blog, não sou a favor de extremismos... acho que entre 8 e 800 existem tantas opções que não tornam aceitáveis atitudes que tendem a um destes extremos. Um 400, a exemplo da colocação da frase anterior, seria um bom número... que representaria metade dos veículos do planeta, e com isto traria novos dados estatísticos como por exemplo a redução de acidentes, redução nos males da saúde mundial, redução de animais atropelados nas estradas, redução de tantos problemas dos quais estamos nos acostumando a ver no dia a dia. Em toda reflexão existe uma direção, esta, geralmente é responsável por formação de um comportamento, ou das fronteiras daquilo que nos envolvemos. Nestas fronteiras estão nossos valores, nossos amores, nossa consciência de fazer aquilo que devemos para viver melhor. Roubar é errado... e achar e não devolver também. Com este exemplo, descrevo duas atitudes de diferentes proporções, mas que são determinantemente incorretas. Com isto, digo que pregar um excesso sem conhecimento ou viabilidade, pode ser também incorreto. Por isto, acredito que um único dia sem carro, seja uma excelente experiência para todos. Claro que você não deve abrir mão de sua segurança para isto... como já disse antes, carregar 5 ou 10 mil de equipamentos para ir ao trabalho, andando por entre ruas sem segurança que uma sociedade conseguiu produzir, já é justificativa para que você use seu veículo, mesmo no dia sem carro!
Agora se puderes, use sua bicicleta para ir ao trabalho... o próximo agradece, e você terá um dia extra de saúde!
Este assunto merecia muito mais que algumas linhas, mas escrever tanto nem sempre é possível, por isto gostaria de lembrar que a interpretação sobre tão poucas linhas, pode ser equivocada. Se houver alguma dúvida quanto ao posicionamento deste blog, escreva para o email informado no perfil... ou leia todos os 400 e poucos posts, pois entre todos estes, haverá uma resposta.

Roberto Furtado