quarta-feira, 25 de agosto de 2010

O sonho de viajar por aí... 2ª parte

Por muito tempo tive a idéia do que seria uma bike perfeita para viagem. Idealizava uma touring bike tradicional de aros 700, justamente por ser um perfil de bicicleta que consome km com facilidade. Depois de pensar que os lugares que procuro não são tão acessíveis, penso que a melhor opção seja realmente uma mtb de aro 26", pois somente esta teria uma opção com pneus largos o suficiente para passar em estradas com pedregulhos, areia fofa ou barro. Não esqueço que a bike para viagem estará com muita carga, e quanto mais fino for o pneu, menor a chance de se manter em cima da magrela em terrenos acidentados. Com isto saliento que a gente muda muito... baseado nestas mudanças que tenho idealizado uma mtb com aros fortes, pneus robustos, relação de transmissão simples, posição confortável, dentre outras melhorias. Certa vez postei aqui no blog, umas fotos de uma surly com pneus muito largos, sem suspa, cuja intenção do proprietário era enfrentar todo tipo de pavimento... até por dunas ela passava. O pneu era tipo 26 x 3.0, algo assim. Não espero que uma bicicleta assim possa ter uma média de rodagem elevada, pq um pneu destes segura muito a bike. Por outro lado, o pneu fura muito menos, os impactos são menos sentidos nas mãos, e a bike passa muito mais fácil pelo barro. Arriscaria dizer que ela passaria bem até dentro dágua com água acima do movimento central. Não estou incentivando esta prática, mas os limites físicos da bicicleta são uma realidade. Quando deixamos de usar a bike de forma mais simples, e damos um uso mais extremo para ela, então estas pequenas diferenças se tornam grandes diferenças. Para exemplicar usarei a última GT vermelha que uso para ir ao correio e supermercado. Outro dia fui pedalar com o Raul e paramos para comer um Cheese (ou Xis), pedimos um refri "litrão" e o que sobrou pode ser levado para casa, justamente pq a bike com alforges aceitava transportar facilmente uma garrafa. Verdade que esta bicicleta pode carregar até 3 garrafas de cada lado. O exemplo de praticidade na utilidade em que é submetida a bicicleta é a melhor forma de expressar a teoria. Uma bicicleta de cicloviagem deve receber atenção especial para os pneus, pois acredito justamente que para cada tipo de intenção de viagem se tenha uma gama específica de pneus. E a único parâmetro que devemos ter cuidado com relação ao tamanho dos pneus seria a distância que passam do frame da bike. Com 1 cm de distância já estamos com limites preocupantes... onde arrebentar um raio, poderá o pneu pegar no quadro. Esta é uma preocupação que o ciclista deve ter, mas vale lembrar que um mínimo de centragem de roda o ciclista deve saber, e que este conhecimento pode resolver o problema de empenamento vivido por um buraco no caminho.
Este é assunto que vai ter continuidade...

foto: www.worldbiking.info

Roberto Furtado