segunda-feira, 30 de agosto de 2010

As rodas da GT outpost... centragem e escolha dos pneus.

Hoje pela manhã entreguei as rodas ao Tchaka. Ele vai fazer o aperto e alinhamento das rodas, deixando-as perfeitamente centradas. Logo que estiver pronto, poderei escolher um par de pneus para colocar nestas. Devo colocar uma fita antifuro também. Ainda tenho uma certa dúvida se uso uns Kenda Kontact 26 xx 1.95 ou se outro Kenda que não me recordo o modelo, mas na medida 26 x 2.10. Este outro pneu me desperta o interesse por ser um pneu que possui uma continuidade discreta no centro, e desenho de tração nas laterais, o que pode ser bom se eu pegar terrenos acidentados. Tenho uma visão de uso para esta bicicleta que será de uma desbravadora, que em toda sua simplicidade, ainda sim ser capaz de andar por estradas de chão batido, areia solta, barro. Não para trilha, até pq ela não possui suspensão, mas capaz de suportar todo terreno de cicloviagem e ainda ser muito boa para o uso urbano. Temo que pela proximidade de geometria e estilo da GT corrado, que fiquem muitíssimo parecidas, exceto por estas peças da década de 90 e por ser uma bicicleta de menos cominações de marchas. Pensei até que seria uma opção trocar os pneus da GT corrado para slick de tamanho 26 x 1.25 ou 1.50 para que desta forma a distância de diferença fosse maior. Dúvidas... normais a quem gosta destas estranhas máquinas de pedalar. Recebi uma mensagem de um colega ciclista, perguntando como podia escrever tanto sobre assuntos tão próximos... "Eu não sei!" é a resposta mais completa que posso dar. Por outro lado... como não escrever sobre estas maravilhas que evoluiram ao ponto de deixar a dúvida se haveria vida com o fim da bicicleta. Respondo que não... pq se a bicicleta sumir, definitivamente, o mundo acabou.
Ao retorno do pneu... pensarei em algo, e postarei aqui depois.

Roberto Furtado