quinta-feira, 22 de julho de 2010

Os 600 quilômetros...

Puxa, eu nem consegui completar os 300 km deste ano e tem biker que vai se arriscar nesta dos 600 km de 21 de agosto... Dá uma inveja pq a gente vai pra lá, assiste a largada, ajuda (faço as fotos) e depois fica lá babando e sonhando em casa. Tem uns que pensam que voluntário não tem sentimento! rsrsrsrs Voluntário também queria se superar. Brincadeiras fazem parte deste nosso mundo sobre rodas, inclusive pq sorrir significa qualidade de vida, e bikes proporcionam justamente isto.
O amigo Sidnei me emprestou um DVD do Paris-Brest-Paris 2007, acabei vendo em duas etapas pq tenho tido pouco tempo para fazer qualquer coisa. Então terminei de ver ontem... Dá pra perceber direitinho que na metade do caminho, que são 600 km, tem muito cara que já tá na capa da gaita (ou virado num bagaço, para quem desconhece a expressão riograndense). É sabido que dedicação e estratégia aumentam as chances de sucesso de empreitadas longas como esta, mas a grande sacada da prova do DVD é que choveu muito... os caras pedalaram molhados. Os caras são sem dúvida nenhuma, guerreiros! E muitos não são garotos, pelo contrário, tem muita gente com 50, 60, 70 anos. O negócio é forte, e os loucos são mais ainda!
Agora esta fazendo um frio razoável aqui em Porto Alegre, e não bastasse o frio, tem chovido quase que diariamente, aumentando a sensação de baixas temperaturas. Tomara que não esteja assim no Audax 600 km, tomara!

Roberto Furtado