quarta-feira, 28 de julho de 2010

A desvalorização da real importância

O contraste da realidade atual com a proposta de vida como animal (sim, nós somos animais) no sistema do planeta Terra é facilmente percebido, e até compreendido com o uso de perguntas e respostas bastante simples. Esta realidade atual nos permite ter confortos e facilidades das quais não abrimos mão de forma alguma... dentre elas vem nossos lares, e com estes o sistema de esgoto, e toda infraestrutura relacionada. Moramos empilhados, em casas com terrenos pequenos ou "apertamentos" onde não é possível produzir nada para o próprio sustento. Criamos uma forma de sustentabilidade que não corresponde com a realidade... vivemos um mundo completamente virtual, onde trabalhamos em propostas burocráticas ou em cima de papel, algo que geralmente não se torna alimento. Trocamos estes trabalhos que giram em torno de papéis ou computadores, por cifras, e estas usamos para comprar o sustento que não conseguimos produzir. Curioso, não? Se alguém deixasse de aceitar nossos trabalhos, ou não trocasse o mesmo por dinheiro, como iríamos convertê-lo em alimento. É claro que isto todo faz parte de uma rede, um sistema onde diretamente, e sem perceber, nos apoiamos uns nos outros, até chegarmos na outra ponta, onde estão os produtores de alimentos. Grandes ou pequenos, os produtores tem o que mais importa nesta vida, a fonte de energia para mantermos nossos corpos funcionando, porém eles não recebem nenhum incentivo por isto. Ao invés de valorizarmos o alimento produzido com sacrifício, barganhamos, como se aquilo não valess nada... vamos ao supermercado, e deixamos de comprar, pq nesta semana a batata esta 50 centavos mais cara. Enquanto isto, exigimos que nossos produto, seja você dentista, fotógrafo, ou fabricante de panelas, se tornem cada vez mais valorizados, para que desta forma consiga formar excedente de trabalho, que chamamos de reserva de dinheiro, poupança ou seja como for. Outro exemplo, compramos mais um carro, que junto de outros bem sucedidos se acumulam nos grandes centros, provocando caos, distorção e desvalorização de alface, batata, tomate e outros importantes produtos. Os verdadeiros e importantes produtos. O pensamento todo é muito simples, e talvez até radical, porém foi o caminho mais fácil para eu conseguir dizer, que tem alguma coisa errada, especialmente com a desvalorização de alimentos e bicicleta, coisas que trazem somente o bem comum.

Robeto Furtado