segunda-feira, 12 de julho de 2010

Audax 400 km 10 e 11 de Julho de 2010

Alguns optaram por pedalar em grupo...

Parte dos ciclistas no auditório do IPA

Teve amigo que ajudou a trocar pneu furado...

E teve gente que pedalou sozinho...

Bagatini e Klaus pedalando juntos no início...

Tatu e Wagner... voluntários

Antes de tudo, começo ressaltando a impotância da amizade. O que é um Audax sem amizade, o que faz sentido nesta vida sem amizades? Algumas destas fotos, mostram pessoas, outras mostram o contexto da prova, mas o que realmente importa nesta vida é a relação que o homem pode formar com seus semelhantes, neste caso, ciclistas com ciclistas. Se você entende isto, esta totalmente integrado no espírito do Audax. E se ainda não pensa assim, haverá um dia que este sentimento fará parte de ti. E não se esqueça que a superação não é nada se não temos com quem compartilhar.
Parece que os deuses conspiraram contra a climatologia, e deram de presente uma prova sem chuva. Ao que parece, ciclistas são filhos de Deus, ou de deuses. Cada um com sua crença. Fiquei pasmo quando no domingo amanheceu um céu azul de dar inveja a qualquer pintor. E acho que minha ausência pode estar relacionada ao céu limpo, pq toda vez que vou fotografar uma prova, o céu é cinza. No dia seguinte não pude ir, pois tinha um trabalho fora de POA, e o céu ficou no jeito que eu queria para fotografar estes audaxiosos.
Se parece conspiração contra fotógrafos e climatologistas (é assim que chama?), então a sorte foi dos ciclistas, e para mim esta ótimo. Haviam ciclistas de diversas localidades, foi a maior prova de 400 km já realizada aqui no RS. E talvez isto seja um reconhecimento do esforço da organização e dos voluntários, por parte daqueles que realmente importam... amigos ciclistas. Espero que eu, no papel de fotógrafo voluntário tenha uma parcela desta contribuição, e que o fato de minha presença seja um reforçador convite para um número maior de participantes nas provas. Vejo como um prêmio... apenas isto me importa. Afinal, quem não quer ser lembrado? Quem quer lembrança, acredita em foto... quem foi fotografado será lembrado, e quem fotografou, bem, talvez!
Quanto ao pedal, penso que os 400 km sejam uma promessa que farei para o ano que vem, cada um tem sua hora, sua história... e se eu fizesse a prova, quem iria me fotografar ou fotografar os amigos? Talvez seja destino escrito certo por linhas esbugalhadas, talvez ilusão... só suposição.
Assim que possível, tratarei as imagens e as colocarei aqui em uma das próximas postagens.
Parabenizo a todos participantes, também a organização e voluntários.

Fotos e texto: Roberto Furtado