quinta-feira, 22 de abril de 2010

Capacete com viseira by Sidnei Mazza






Quando vi o amigo Sidnei em um passeio com o capacete representado pelas fotos, percebi que haveria muito mais do que uma questão estética. Tratava-se de uma proteção!
É impressionante isto que chamamos de vida, e as pessoas que temos oportunidade de conhecer todos os dias... especialmente nesta maravilhosa cidade que chamamos de Porto Alegre. Embora seja eu um desiludido com a atual violência presenciada na querida terra natal, não posso deixar de dizer que os amigos fazem a diferença para que possa ser possível viver nesta metrópole. Voltando ao assunto do título, e ao autor da proeza bem sucedida, motivo desta postagem, confiro detalhes juntamente com os amigos que por aqui frequentemente passam. As imagens demonstram a forma de fixação da viseira no capacete. para melhor entendimento, explico o que me foi passado pelo amigo Sidnei. Sidnei estaria passeando de bicicleta pela cidade quando um inseto grande e não indetificado bateu próximo de sua vista. Então surgiu a idéia de colocar uma viseira que proporcionaria maior proteção ao rosto, evitando assim que o susto ou lesão pudesse colocar em risco a momentânea dirigibilidade na bicicleta. Sabemos que numa fração de segundos estamos em risco quando o assunto é pedalar pela cidade. No susto de um inseto batendo no olho, poderíamos perder rapidamente o rumo e batermos em um carro estacionado. Existe o risco...
Então este foi o motivo que fez Sidnei elaborar a instalação da viseira. Com a gentileza das fotos tiradas e cedidas pelo amigo, repasso a todos.
A confecção se justifica, mesmo que um semelhante exista, pois um capacete para ciclismo com viseira custa muito mais do que o valor investido no projeto. Encontrei algumas opções, porém todas elas com valor superior a 500 reais. A viseira que tem custo de 10 reais em lojas de motociclismo pode ser instalada em capacetes de qualquer valor, viabilizando a idéia protetiva da face do ciclista.
Fotografia e Projeto: Sidnei Mazza
Texto devaneio: Roberto Furtado