quarta-feira, 24 de março de 2010

Reconstruindo mais uma GT (de Cromoly) - 1ª parte

Bom, depois da desilusão da primeira pintura... o quadro recebeu novo jato de granalha e nova pintura. O processo precisou ser refeito do início, pq a pintura metálica é obtida com a composição de duas camadas de tinta a pó de cores diferentes. Primeiramente recebeu a base, na cor prata, e depois o verniz azul, que resulta na cor presente nas fotos. para aqueles que não leram o outro post, repito aqui. O quadro e garfo são frutos de garimpo em lojas... o amigo Antônio conseguiu o garfo de GT Outpost e o Amigo Tchaka forneceu o quadro. Ambos encontravam-se em ótimas condições, sem amassamentos ou riscos profundos, porém com a pintura completamente destruida. Para a pintura, o quadro recebeu a preparação que protegeria o pivô deslizante de vbrake, já que este é soldado no quadro, como na maioria dos quadros de Cr-Mo. Também houve preparação na rosca que recebe o movimento central e na face interna onde se acomoda a caixa de direção. A rosca da gancheira do cambio recebeu um parafuso. Tudo isto precisa ser desta forma para que a tinta a pó não se deposite nestas faces, o que poderia impedir ou danificar as peças ou as casas onde estas seriam instaladas. A tinta a pó é tão dura e resistente, que pode até danificar a rosca. Então finalmente busquei o quadro da pintura, e desta vez fiquei satisfeito. O quadro ficará muito interessante ao cicloturismo, embora eu não pretenda ficar com este... já tenho muita bicicleta, então estou fazendo por hobby mesmo. Digo ao cicloturismo pq este quadro e garfo possuem esperas para bagageiro traseiro, paralamas e bagageiro dianteiro. A caixa de direção será STD aheadset, aproveitando o bom comprimento da espiga. Possivelmente o garfo pertenceu a uma GT de tamanho 20 que recebeu uma suspensão, justificando o comprimento da espiga e a disponibilidade deste em uma oficina de bikes. Agora os assentamentos, pivôs e roscas serão conferidos e devidamente limpos... e seguidamente engraxados para receber as peças com qualidade. Também injetarei um pouco de óleo para dentro dos tubos, para que desta forma não ocorra corrosão interna destes. Ainda não decidi pelos componentes, mas é possível que seja um grupo alívio... talvez acera ou altus. Tenho receio de montar com grupo melhor e depois não encontrar um comprador disposto a pagar por este grupo. Logo mais posto a segunda etapa... onde serão colocadas as peças do quadro. O grupo ficará para uma terceira etapa, pois tem ainda bastante "pano pra manga" ou detalhe de bike para falar.

Texto, fotos e bobagens ciclísticas: Roberto Furtado