terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Single speed... quero uma!

Neste último desafio, realizado no dia 29.11.2009, vi que haviam algumas bikes tipo single speed. Um dos participantes fez e me contou a experiência, o colega Fabio Lazarotto. Decreveu que a bike funciona muito bem... uma caloi 10 com as gancheiras traseiras modificadas pelo Sr° Zenger, ex-ciclista e ainda frame builder das antigas. O resultado é de uma single speed, capaz de se tornar uma fixa. Fabio conta que o projeto ficou muito bom, e que vale a pena ter uma bike destas. Dias atrás, antes deste desafio, contei a ele sobre minha intenção de montar uma single speed. Com certa frequência garimpo quadros "velhos", e os guardo para alguma invenção. É até motivo de conflito em casa, pq minha mãe fica de certa forma braba quando descobre que comprei mais uma "porcaria" para guardar. Ultimamente, depois que vendi um carro antigo que tinha em casa, ela ficou até feliz, e esqueceu das porcarias que ficam longe da vista. Tenho dois quadros que mereceriam uma transformação, embora fosse até um pecado. Como ambos necessitam de alguma recuperação em soldagem, talvez não seja um pecado ciclístico tão grave. Afinal, estaria a ressucitar algo já morto. Possivelmente opte pelo modelo mais antigo, embora sejam os dois da década de 90. Um quadro Raleigh USA que infelizmente tenha as gancheiras verticais, ao contrário de quase todos projetos da marca. Fabricado em Cr-Mo de tubos Columbus, segundo uma etiqueta presente ainda no quadro. Tenho feito um pouco de mistério sobre estes projetos em andamento, pq as vezes levo uma vida para concluir...e fico até envergonhado de ficar anunciando algo que nunca se apresenta. Como a trek 470 e uma GT Rave, quase prontas, mas aguardando atenção e peças. Todo dia penso em voltar para casa do trabalho de bike, mas o tempo não tem ajudado em nada... fora questões pertinentes do trabalho da necessidade de uso do carro. Seria muito bom voltar para casa pedalando uma single speed, consumindo muito pouco de energia, devido ao baixo peso da mesma, ao estilo dos entregadores no exterior. Muitos não compreendem este sentimento, de trazer a tona tradições antigas do uso de bikes... sim, pq muitos nem viram como se respirava bicicleta no passado, sem trocadores rapidos, apenas trocadores de quadro, e alta velocidade. Vento no rosto, liberdade, e dúvida sobre o futuro... sonhos em bicicletas de Cr-Mo e simplicidade funcional. No tempo em que o corredor regulava sua própria bike, por que gostava!
Roberto Furtado