quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Pedal longo e coisas da vida

Conversando com um amigo que não pedala, relatei situações sobre as pedaladas longas. Chamo de longa pedalada qualquer uma que tenha mais de 100 km, pq esta distãncia já é uma distância razoável para o preparo que tenho... quase nenhum. Não sou profissional do ciclismo, e nunca fui. E lógico que aos 33 anos nem pretendo ser. Se me perguntassem como eu faria se pudesse "resetar", bom, eu diria apenas que faria tudo exatamente como fiz para chegar aonde estou. Não mudaria nada sobre o resultado, pq eu deixaria de conhecer as pessoas que conheço hoje, as quais eu não imagino viver longe. Amigos, família... até uma cadela que chamo de filha, e que me é tão companheira. O amigo, sentado ao lado refletindo sobre as histórias de pedal, lembrou-me que sempre fui teimoso... insistente até em erros. Concordei, e agradeci... e depois ele completou. "Tu foi assim a vida inteira, pq não haveria de ser tão teimoso em cima de uma bicicleta?" Eu disse que não sabia pq era assim, só sabia que era teimoso, e que as provas longas me faziam pensar como duas pessoas diferentes... uma sendo comodista dizendo para não fazer mais isto, e a outra dizendo para fazer, pq eu era maior que qualquer dificuldade que poderia me ocorrer na vida. Hoje, acho que entendo um pouco de superação... driblei uma depressão que faz parte do passado, sou feliz, mais maduro, e vi que tudo que passei me fez melhor e maior. Os ocorridos... fatos ruins, como simples e pequenas belezas, nos formam, definitivamente. "Somos feitos de tudo que vivemos, mas escolhemos o que seremos!"
Roberto Furtado